PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Ceará na Sul-Americana 2021: Vina é o principal destaque do Alvinegro

Foi no Alvinegro do Porangabuçu que o meia-atacante viveu o melhor momento da carreira, após 23 gols e 19 assistências na temporada de 2020

Lucas Mota
11:47 | 20/04/2021
Vina deu assistências em seis jogos na temporada de 2021 (Foto: Stephan Eilert/Cearasc)
Vina deu assistências em seis jogos na temporada de 2021 (Foto: Stephan Eilert/Cearasc)

Vinícius Goes, o Vina, é o craque do Ceará e a esperança por campanha positiva na Sul-Americana, na primeira excursão do clube em jogos oficiais fora do Brasil. Foi no Alvinegro do Porangabuçu que o meia-atacante viveu o melhor momento da carreira e ganhou novo status no futebol brasileiro, após 23 gols e 19 assistências na temporada de 2020.

Os prêmios individuais e a liderança no time do Ceará reforçam a importância de Vina para o escrete alvinegro. Vina foi decisivo na conquista da Copa do Nordeste 2020, sendo o artilheiro da competição com cinco gols e eleito o craque do campeonato. Na sequência, o Vovô disputou a Copa do Brasil e a Série A do Campeonato Brasileiro contando novamente com o brilho em campo do seu camisa 29.

LEIA MAIS:

Na milionária competição de mata-mata, Vina liderou o time na campanha até as quartas de final. Foram quatro gols marcados, entre eles o mais importante diante do Santos, finalista da Libertadores 2020, que garantiu o triunfo do Ceará sobre o Peixe nas oitavas de final. Nas quartas de final, ele não enfrentou o Palmeiras no jogo da ida, após testar positivo para a Covid-19, e o time cearense acabou derrotado por 3 a 0. Na volta, com o retorno do principal jogador, o Alvinegro conquistou o empate em 2 a 2 com um dos gols marcados pelo meia-atacante, mas o placar não foi o suficiente para a equipe avançar.

No Brasileirão, Vina foi decisivo na melhor campanha do Ceará na era dos pontos corridos da Série A, quando o clube do Porangabuçu terminou em 11º, conquistando vaga para a Sul-Americana. Ele balançou as redes 13 vezes, se tornando o maior artilheiro do Vovô na competição nacional. O meia-atacante contribuiu ainda com nove assistências, terminando o torneio dividindo o posto de principal "garçom" ao lado de Arrascaeta, do Flamengo, e de Keno, do Atlético-MG. Com as atuações, o jogador foi eleito para a seleção do Brasileirão.

O protagonismo na equipe fez com que a diretoria não poupasse esforços para renovar o contrato com o craque. Vina acertou novo vínculo com valorização salarial até o fim de 2024.

Semifinalista da Sul-Americana de 2019 pelo Atlético-MG, o jogador se prepara para escrever mais um capítulo na competição. "É inegável que é diferente. Jogar contra os ‘gringos’ é diferente. Eles têm a catimba, sabem jogar o jogo e é óbvio que a experiência conta, pois vamos enfrentar adversários a mais como a altitude, que influencia bastante, e que nós possamos nos preparar bem para que possamos ir bem e fazer história", disse ele em coletiva de imprensa.

LEIA MAIS:

Na temporada de 2021, Vina começou com altas expectativas sobre o seu rendimento. O meia-atacante chega para a estreia do Ceará na Sul-Americana sem ter balançado as redes até agora após seis partidas. O camisa 29 tem se colocado em condições de gol, mas tem parado nas defesas dos goleiros adversários. Ele ainda teve a chance de marcar nas cobranças de dois pênaltis, o último deles nas quartas de final da Copa do Nordeste, mas desperdiçou ambas.

O momento sem gols fez com que a torcida iniciasse forte movimento virtual de apoio ao principal jogador do escrete alvinegro. A hastag #fechadoscomVina virou trendings topics no Twitter.

Apesar de passar em branco quanto a gols, o meia tem sido bastante participativo nas jogadas ofensivas e crescido de produção a cada partida. Ele tem duas assistências nos seis jogos disputados na temporada. É peça chave na armação do ataque e já mostra entrosamento com Steven Mendoza, principal investimento do clube para a temporada.

É questão de tempo para a rede voltar a balançar. Quem sabe as pazes com os gols aconteça justamente na estreia na Sul-Americana, diante do Jorge Wilstermann, no Castelão.