Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Novo decreto: Restaurantes no Ceará poderão funcionar até meia-noite

Ceará chega a 62 casos da variante Delta e, por isso, novo decreto quase não tem mudanças
15:54 | Ago. 20, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), anunciou que restaurantes poderão funcionar até meia-noite a partir da próxima semana. Atualmente, o horário máximo ia até 23 horas. A mudança é parte do novo decreto, que entra em vigor na segunda-feira, 23 de agosto (23/08). A extensão do horário era uma das principais reivindicações do setor.

Camilo disse que essa é uma das poucas mudanças no novo decreto, que por precaução tem poucos avanços. O motivo, segundo ele, é a preocupação com a variante Delta. São até agora 62 casos confirmados no Estado.

O governador disse ainda que está sendo avaliada e será informada em breve a vacinação da população abaixo de 18 anos.

Ele apontou que se mantém queda da transmissão, dos óbitos, da ocupação dos leitos. Mas, a preocupação, segundo Camilo, é mesmo a variante Delta, razão pela qual as mudanças são poucas.

O governador apresentou na live o novo secretário da Saúde, Marcos Gadelha, que substitui Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Cabeto. Gadelha demonstrou preocupação em relação ao número de casos da variante Delta no Estado.

O Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia se reuniu nesta sexta-feira, 20 de agosto, para avaliar o cenário epidemiológico e definir se a reabertura socioeconômica avança, fica como está ou regride.

O novo decreto entra em vigor na segunda-feira, 23 de agosto (23/08). 

Decretos na 2ª onda no Ceará

2º lockdown: o isolamento rígido em Fortaleza começou em 5 de março de 2021. No dia 13, decreto estadual estendeu as medidas para todo o Estado.

12 de abril: no dia 4 de abril, Camilo Santana anunciou o início da flexibilização no Ceará para o dia 12 de abril. Com a reabertura, foram permitidas algumas atividades de serviço e comércio em horários reduzidos, toque de recolher de segunda à sexta-feira e lockdown aos fins de semana. 

17 de abril: decreto anterior foi mantido, com liberação de atividades físicas individuais em espaços públicos.

23 de abril: flexibilização avança com liberações para escolas, igrejas, templos. barracas de praia e academias de ginástica. Lockdown continua aos sábados e domingos.

30 de abril: Camilo anuncia flexibilização aos sábados e domingos, com autorização para funcionamento de comércio e restaurantes. Na semana, as regras seguem as mesmas.

7 de maio: após quatro semanas de flexibilização, o Ceará não avança na reabertura, mantendo as medidas em vigor. Dois indicadores acenderam sinal de alerta: alto patamar de internações e aumento na positividade de exames

14 de maio: Região de Fortaleza e de Sobral avançam na flexibilização, com ampliação do horário de funcionamento das atividades comerciais. Cariri, Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe continuam com as mesmas restrições.

22 de maio: decreto anterior é prorrogado mantendo ampliação Fortaleza e de Sobral e medidas mais rígidas nas outras três regiões do Estado

29 de maio: decreto amplia flexibilização no Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe, que passam à mesma situação de Fortaleza e Sobral. Cariri mantém restrições

4 de junho: decreto amplia horário de funcionamento de shoppings e restaurantes até 22 horas e toque de recolher vai para 23 horas. Exceção é Cariri, onde restrições são mantidas

11 de junho: governo libera aulas em todas as séries do ensino médio, amplia a capacidade de público em academias, reabre museus, bibliotecas e cinemas. Apenas o Cariri continua com restrições

18 de junho: governador anuncia prorrogação do decreto, interrompendo a sequência de reabertura. Restrições mais severas mantidas no Cariri.

25 de junho: governo libera aulas presenciais em universidades.

28 de junho: decreto autoriza o funcionamento de feiras livres.

9 de julho: anunciado aumento do horário do comércio.

23 de julho: restaurantes podem funcionar até 23 horas. Eventos podem receber até 200 pessoas.

6 de agosto: por causa da chegada da variante Delta, decreto é prorrogado sem mudanças.

20 de agosto: Camilo anuncia que restaurantes moderão funcionar até meia noite.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Queiroga visita centro de distribuição de vacinas em Guarulhos

Saúde
15:44 | Ago. 20, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, visitou hoje (20) o Centro de Distribuição de Insumos Estratégicos de Saúde, em Guarulhos, na Grande São Paulo. No local ficam armazenadas as doses de vacinas contra a covid-19 para serem distribuídas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI).

O ministro apresentou as diversas etapas que precisam ser cumpridas parara garantir a qualidade dos imunizantes antes de que sejam aplicados na população. Entre o processo necessário, está a checagem de temperatura e controle de qualidade e emissão de documentação pela Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A logística de distribuição é acordada entre o Ministério da Saúde e os órgãos estaduais e municipais, em reuniões feitas três vezes por semana.

A vacinação tem, segundo o ministro, papel central no enfrentamento da covid-19 no país. “Essa é a principal política pública de enfrentamento da pandemia: a vacinação. Já distribuímos mais de 215 milhões de doses”, ressaltou.

Segundo Queiroga, apesar de toda a complexidade, o ministério tem trabalhado para que a imunização aconteça dentro do menor tempo possível. “Isso acontece por toda essa logística, que é complexa, mas tem sido feita com eficiência para que toda a população receba as vacinas, é nosso dever”, acresce

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Camilo anuncia novo decreto estadual nesta sexta, 20; assista em tempo real

em transmissão
15:40 | Ago. 20, 2021
Autor Gabriela Almeida
Foto do autor
Gabriela Almeida Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), realiza transmissão nesta sexta-feira, 20, para anunciar o novo decreto de combate à Covid-19. A cada duas semanas, o momento serve para o gestor dar informações acerca das medidas adotadas no Estado, determinadas após análise de índices pandêmicos, em reunião com o Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia.

O Estado vinha passando por um período de flexibilização das atividades. Em decreto publicado no dia 26 de julho, chegaram a ser autorizados eventos com até 100 pessoas para ambientes fechados, e o horário de restaurantes foi ampliado. Contudo, dias depois foram identificados os primeiros casos da variante Delta do coronavírus no Ceará, deixando órgãos de saúde em alerta. 

No anúncio seguinte, feito no dia 6 de agosto, o petista mostrou preocupação por conta da entrada da cepa na Unidade Federativa, em um momento no qual 15 casos já haviam sido confirmados. Por esse motivo, ele prorrogou as medidas do decreto anterior e não avançou com o processo de liberação das atividades.

Desde então, o Ceará já acumula 43 casos de infecção pela Delta, identificados em moradores de 20 municípios cearenses de todas as regiões de saúde. Além disso, também foi registrado o primeiro caso da variante Alfa no Estado, uma mutação oriunda do Reino Unido.

Confira o anúncio:

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Covid-19: 75% dos adultos já tomaram a primeira dose no Brasil

Saúde
15:34 | Ago. 20, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Ministério da Saúde informou hoje (20) que 120 milhões de brasileiros já receberam a primeira dose de vacinas contra a covid-19 – o número corresponde a 75% da população adulta no país.

A expectativa da pasta é que, com a chegada de 131,4 milhões de doses em agosto e setembro, todos os brasileiros adultos estejam imunizados até o fim do próximo mês.

Ainda de acordo com o ministério, mais de 53,2 milhões de pessoas já receberam a segunda dose ou a dose única contra a covid-19. Ao todo, 207 milhões de doses foram distribuídas aos estados e ao Distrito Federal.

Assista na TV Brasil

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Vacinação em Fortaleza: veja lista de agendados para D2 neste domingo (22/08)

Covid-19
15:00 | Ago. 20, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo

A Prefeitura de Fortaleza divulgou a lista com o nome das pessoas que serão contempladas com a segunda dose (D2) da vacina contra Covid-19 neste domingo, 21. Ao todo, 3 mil pessoas devem completar o esquema vacinal. Neste sábado, 21, após a conclusão da vacinação do público adulto com até 18 anos, cerca de 24.938 pessoas nascidas entre 1982 e 1984 foram reagendadas para receber a primeira dose (D1).

É possível conferir o próprio agendamento, individualmente, por meio da plataforma Vacine Já ou pelo site da Prefeitura de Fortaleza específico sobre Coronavírus. Todos os nomes dos vacinados também são divulgados pela Prefeitura por meio de listas em PDF no site oficial da gestão. 

>> Confira lista da população agendada (D2) para domingo (22/8)

Até a quinta-feira, 19, 720.348 fortalezenses completaram o esquema vacinal contra a Covid-19, por meio da aplicação de duas doses ou com o imunizante de dose única, e garantiram uma maior proteção da doença. Com pelo menos uma das doses, o total de vacinados é de cerca de 2,3 milhões de pessoas. As informações foram divulgadas no Vacinômetro da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).

LEIA TAMBÉM | O que fazer se perdi agendamento de primeira ou segunda dose em Fortaleza?

O que levar para a vacinação

No ato da vacinação será necessário, obrigatoriamente, apresentar documento de identidade original com foto, Cartão Nacional de Saúde (CNS) ou CPF e comprovante de endereço no município de Fortaleza, pois serão contemplados apenas residentes da Capital.

Como saber se estou agendado? 

1) Para os fortalezenses, é possível consultar as listas diárias de vacinação publicadas no site Coronavírus Fortaleza e também conferir o cadastro pelo site Vacine Já (vacineja.sepog.fortaleza.ce.gov.br/);

2) No site Vacine Já, digite seu CPF, sua data de nascimento e o código solicitado. A seguir, clique em "Consultar". O sistema vai mostrar seus dados cadastrados e, se o agendamento estiver disponível, vai indicar seu horário e local de vacinação;



3) Quem não reside em Fortaleza deve lembrar que cada município possui uma logística própria de agendamento na vacinação da Covid-19 a partir dos dados do Saúde Digital. Por isso, é importante buscar os canais de comunicação da secretaria municipal de saúde da sua cidade e acompanhar como está o calendário de vacinação onde você mora. Confira no portal da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece) os sites de cada prefeitura do Ceará.

Como fazer o cadastro no Saúde Digital? 

No Ceará, é preciso realizar o cadastro na plataforma Saúde Digital para a vacinação contra a Covid-19. O POVO explica como fazer o cadastro na plataforma.

1) Para se cadastrar, é preciso acessar o site Saúde Digital (vacinacaocovid.saude.ce.gov.br/) e clicar em "Ainda não tenho cadastro";


Cadastro de vacinação no Ceará contra Covid-19.
Cadastro de vacinação no Ceará contra Covid-19. (Foto: Reprodução/Site Saúde Digital)


2) Serão solicitadas informações básicas, como país de origem, CPF, nome completo, data de nascimento, nome da mãe, telefone para contato, sexo, raça/cor e informações profissionais. O fornecimento do Cartão Nacional de Saúde (CNS) é opcional;


Para se cadastrar, é necessário preencher os campos com dados pessoais.
Para se cadastrar, é necessário preencher os campos com dados pessoais. (Foto: Reprodução/ Saúde Digital)


3) A próxima fase pede dados de saúde para identificar se a pessoa faz parte de grupos prioritários. Também é questionado se você teve Covid-19 recentemente;


Na segunda etapa, são perguntadas informações sobre a classificação da pessoa em grupos prioritários.
Na segunda etapa, são perguntadas informações sobre a classificação da pessoa em grupos prioritários. (Foto: Reprodução/ Saúde Digital)


4) A última etapa do processo pede o endereço de residência da pessoa, que servirá de base para o agendamento no município de aplicação da vacina;


Na tela seguinte, é necessário fornecer dados sobre o endereço de residência.
Na tela seguinte, é necessário fornecer dados sobre o endereço de residência. (Foto: Reprodução/ Saúde Digital)


5) Após o preenchimento de todos os dados, será aberta uma página para a confirmação de todos os dados. Nela, a pessoa deve criar uma senha de acesso e informar um e-mail;

6) A Secretaria da Saúde enviará um link de confirmação do cadastro para o e-mail fornecido.

LEIA MAISPasso a passo: como se cadastrar para a vacinação contra a Covid-19 no Ceará

O que fazer se o e-mail de confirmação do cadastro não chegar?

Primeiro, confira todas as caixas do seu e-mail, como "spam" e "lixeira". Caso não encontre a mensagem, a Sesa disponibiliza o telefone gratuito 0800 275 1475 para questionamentos sobre o Cadastro Estadual de Vacinação. No site da Sesa e do Governo do Ceará, está disponível também o assistente virtual "Plantão Coronavírus".

Caso a dúvida seja relacionada à imunização em Fortaleza, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) disponibiliza o número 156.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

No Senado, especialistas alertam sobre cuidados com a variante Delta

Saúde
14:35 | Ago. 20, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Apesar do avanço da vacinação no Brasil, com a primeira dose da vacina contra a covid-19, que já alcançou mais de 50% da população adulta, autoridades de saúde alertam que frente a variante Delta do vírus, os cuidados com as medidas sanitárias não podem ser flexibilizados. O assunto foi tema, nessa sexta-feira (20) de audiência pública da Comissão Temporária da Covid-19 do Senado. Especialistas e senadores debateram riscos e impactos da variante Delta, além do eventual surgimento de outras mutações do novo coronavírus no Brasil.

Segundo o pesquisador e professor de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Guilherme Loureiro Werneck, mesmo em países em que a população está mais acelerada houve um crescimento importante das hospitalizações por covid-19 pela nova variante. “Se nós observarmos a situação desses países, é claro que nós precisamos nos preocupar. Por quê? Porque no Brasil, em momento algum, houve um controle da transmissão comunitária da covid. Nós vivemos várias situações piores do que a atual e melhores do que atual, mas, em todas essas situações, o vírus continua circulando em taxas ainda bastante altas, o número de casos e o número de óbitos ainda são bastante altos”, avaliou o pesquisador.

Werneck acrescentou ainda que no Brasil o número de hospitalizações e óbitos por covid-19 que vinha decrescendo rapidamente, subitamente estacionou e eventualmente pode crescer no futuro. “Se isso é resultado ou não da variante Delta é muito difícil de se falar, mas o fato é que a situação momentânea do Brasil é de muita preocupação e se exige que muitas ações sejam realizadas para conter um eventual recrudescimento dessa pandemia”, alertou.

Outro aspecto levantado na audiência pública, desta vez, pela representante do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, Greice Madeleine do Carmo, é que embora a vacinação diminua o risco de uma doença mais grave, “ela não impede a doença mais grave, ela não impede o risco de a pessoa ter formas leves da doença e transmitir”. Segundo a técnica, mesmo em países como os Estados Unidos, que utilizam vacinas de terceira geração, de RNA mensageiro, como é o caso dos imunizantes da Moderna e da Pfizer, já há registros de internação de pacientes graves infectados pela variante Delta. “A variante Delta desafia todas as vacinas. Eu acho que isso é importante a gente saber, para a gente não ficar centralizando responsabilidades em cima de um ou outro produtor”, destacou a técnica.

Nova dose

Os senadores também quiseram saber sobre a necessidade de mais uma dose de imunizantes contra o novo coronavírus para quem já tomou duas doses. Para Renan Pedra, professor de genética da Universidade Federal de Minas Gerais, pesquisador da variante Delta no estado, está constatado que há uma queda progressiva dos anticorpos nas pessoas. “Isso está sendo visto não só no Brasil como em vários países. Estamos vendo acontecer, de fato, essa perda da proteção após alguns meses da vacinação, em torno de seis meses, principalmente naqueles que respondem pior à vacinação, ou pela idade – há um mecanismo que a gente chama de imunossenescência, não é só o cabelo que fica branco, nosso sistema imunológico também envelhece e nesse sentido a capacidade de resposta às vacinas é menor e tende a ser mais curta – e nos imunodeficientes”, explicou.

Para ele “está muito claro hoje que essas pessoas vão precisar de um esquema melhor”. Segundo Renan Pedra, é preciso diferenciar terceira dose, que é mais uma dose no esquema normal de vacinação para quem responde menos, da chamada dose de reforço, que é posterior para pessoas que responderam bem à vacinação, ficaram protegidas, mas essa proteção foi diminuindo ao longo do tempo. “São duas coisas bastante diferentes a serem discutidas. Está muito claro que um esquema reforçado, ou seja, um esquema de três doses, ou no caso da vacina Janssen, um esquema de duas doses, uma dose adicional, vai ser necessário. Já é evidente que é necessário para os imunodeficientes e para os idosos. Então, isso acho que é um consenso já na ciência”, ressaltou.

Segundo o pesquisador, ainda não há evidências suficientes se todos os vacinados precisarão de reforço na imunização seis meses a oito meses depois do esquema inicial completo. “Essa é uma discussão muito complexa. Eu acho que a gente não teria argumentos exaustivos aqui para estar debatendo. Não existe nenhum consenso na comunidade científica sobre quem vai fazer terceira dose e qual a priorização. Isso é o mais importante: quem é prioridade? A gente vai vacinar adolescentes saudáveis de 12 a 17 anos ou vamos fazer uma terceira dose em pessoas com comorbidades ou que estejam na faixa dos 50 anos? Em um cenário de escassez de vacina, em que a gente não teria que estar fazendo escolha de Sofia, como nós fizemos desde o início dessa vacinação, por falta de vacina, nós tivemos que ir priorizando, o que não é o desejável”, observou.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags