PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Covid-19: Camilo prorroga decreto e interrompe sequência de reabertura

Cariri segue com mais restrições. Há dois meses, a retomada das atividades econômicas e comportamentais acontece de forma gradual no Estado

19:00 | 18/06/2021
Governador Camilo Santana (Foto: REPRODUÇÃO/FACEBOOK/CAMILO SANTANA)
Governador Camilo Santana (Foto: REPRODUÇÃO/FACEBOOK/CAMILO SANTANA)

O governador Camilo Santana (PT) anunciou a prorrogação do atual decreto de isolamento social nesta sexta-feira, 18. As deliberações já em vigor permanecerão por mais uma semana, a partir da próxima segunda, 21. A decisão — por prudência, conforme apontou o governador — foi tomada hoje pelo Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia. Dessa forma, o Cariri permanece com mais restrições.

O governador informou que a procura por atendimento na rede de saúde segue em queda, assim como o número de casos e óbitos. A transmissão do coronavírus está estável. Todavia, ele disse que a preocupação no Cariri permanece. Segundo Camilo, o crescimento de casos em outros estados também preocupa e contribuiu para a decisão de interromper o avanço da flexibilização. 

O chefe do executivo estadual também demonstrou preocupação com aglomerações em festejos juninos. "Teremos vários outras festas juninas. Quem não gosta de festa junina? Mas vamos deixar isso para o próximo ano em um momento em que a gente possa superar a pandemia", afirmou.  

O secretário da Saúde do Estado, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Cabeto, disse que há tendência de redução no Cariri, mas os números seguem muito altos. A taxa de positividade de exames no Estado é de 17%, o que indica que queda na transmissão viral. Especificamente na região do Cariri, esse índice salta para 53%, o que significa transmissão alta. Cabeto salienta a estabilidade em relação à semana anterior. No Cariri, o secretário considera que começa a haver controle. Um sinal disso é uma discreta redução na taxa de transmissão da doença na região, que caiu de 0,92 para 0,89. 

Em junho, há redução significativa no atendimento em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) no Ceará com relação ao mês de maio. Além disso, ele destaca que a maioria dos casos é de quadros virais leves, que somam 60% das demanda. Há queda de ocupação em leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e de enfermarias. Contrário do que é registrado no Cariri: atendimento elevado em UPAs, platô na ocupação de UTIs e discreta redução em enfermarias.

Sobre a vacinação, Cabeto apresentou dados segundo os quais o número de mulheres imunizadas no Ceará é significativamente maior que o de homes em todas as faixas de idade já vacinadas. Segundo ele, neste final de semana, Ceará deve chegar a 40% da população adulta vacinada com a primeira dose. Estado tem 34% da população com mais de 18 anos já vacinada com a D1 e 15% vacinada com a D2. 

Dentre as expectativas para o novo decreto, estava a autorização de retorno das feiras livres. Contudo, a previsão, de acordo com anunciado pelo governador Camilo Santana (PT), de que essas atividades voltassem a funcionar a partir do dia 21 de junho não foi concretizada. 

No anúncio anterior, feito há uma semana, o Governo divulgou a liberação de aulas em todas as séries do ensino médio, a ampliação da capacidade de público em academias e a reabertura de museus, bibliotecas e cinemas.

As medidas valem para as regiões de Fortaleza, Sobral, Litoral Leste/Jaguaribe e Sertão Central. Apenas o Cariri foi mantido com restrições devido aos indicadores preocupantes da região. Documento foi publicado na íntegra no sábado, 12. 

Decretos na 2ª onda no Ceará

2º lockdown: o isolamento rígido em Fortaleza começou em 5 de março de 2021. No dia 13, decreto estadual estendeu as medidas para todo o Estado.

12 de abril: no dia 4 de abril, Camilo Santana anunciou o início da flexibilização no Ceará para o dia 12 de abril. Com a reabertura, foram permitidas algumas atividades de serviço e comércio em horários reduzidos, toque de recolher de segunda à sexta-feira e lockdown aos fins de semana. 

17 de abril: decreto anterior foi mantido, com liberação de atividades físicas individuais em espaços públicos.

23 de abril: flexibilização avança com liberações para escolas, igrejas, templos. barracas de praia e academias de ginástica. Lockdown continua aos sábados e domingos.

30 de abril: Camilo anuncia flexibilização aos sábados e domingos, com autorização para funcionamento de comércio e restaurantes. Na semana, as regras seguem as mesmas.

7 de maio: após quatro semanas de flexibilização, o Ceará não avança na reabertura, mantendo as medidas em vigor. Dois indicadores acenderam sinal de alerta: alto patamar de internações e aumento na positividade de exames

14 de maio: Região de Fortaleza e de Sobral avançam na flexibilização, com ampliação do horário de funcionamento das atividades comerciais. Cariri, Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe continuam com as mesmas restrições.

22 de maio: decreto anterior é prorrogado mantendo ampliação Fortaleza e de Sobral e medidas mais rígidas nas outras três regiões do Estado

29 de maio: decreto amplia flexibilização no Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe, que passam à mesma situação de Fortaleza e Sobral. Cariri mantém restrições

4 de junho: decreto amplia horário de funcionamento de shoppings e restaurantes até 22 horas e toque de recolher vai para 23 horas. Exceção é Cariri, onde restrições são mantidas

11 de junho: governo libera aulas em todas as séries do ensino médio, amplia a capacidade de público em academias, reabre museus, bibliotecas e cinemas. Apenas o Cariri continua com restrições