Participamos do

Novo decreto contra a Covid-19 deve priorizar ensino presencial, diz Camilo

O modelo híbrido deve ser permitido apenas "em situações específicas, devidamente comprovadas". Novo decreto terá ajustes para fortalecer o processo de aprendizagem nas escolas e acelerar a retomada da economia, disse o governador
18:02 | Out. 01, 2021
Autor Ana Rute Ramires
Foto do autor
Ana Rute Ramires Repórter da editoria de Cidades
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Com avanço da flexibilização das medidas de isolamento, o ensino presencial será priorizado, afirmou o governador Camilo Santana (PT). Comitê definiu que o objetivo deve ser reforçar a aprendizagem com a presença do aluno em sala de aula. O modelo híbrido deve ser permitido "em situações específicas, devidamente comprovadas", disse o chefe do executivo estadual em postagem nas redes sociais.

Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia, que traça as ações no Ceará, reuniu-se na manhã desta sexta-feira, 1º. Conforme Camilo, grupo decidiu que serão feitos alguns ajustes no próximo decreto com o intuito de fortalecer o processo de aprendizagem nas escolas e acelerar a retomada da economia. "Mas sempre mantendo os cuidados necessários com a saúde através do respeito aos protocolos", ponderou.

"Os números de casos e óbitos seguem em queda em todo o Estado, e o processo de vacinação avançando no Ceará. Reforço a importância de todos os cearenses acima de 12 anos se vacinarem. Só com a vacinação em massa conseguiremos superar de vez essa pandemia", acrescentou o governador.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Dentre as novas medidas anunciadas nesta sexta, 1º, estão ainda a ampliação do horário de atendimento de restaurantes para 2h e o aumento da capacidade em eventos corporativos, hotéis e academias.

Decretos na 2ª onda no Ceará

2º lockdown: o isolamento rígido em Fortaleza começou em 5 de março de 2021. No dia 13, decreto estadual estendeu as medidas para todo o Estado.

12 de abril: no dia 4 de abril, Camilo Santana anunciou o início da flexibilização no Ceará para o dia 12 de abril. Com a reabertura, foram permitidas algumas atividades de serviço e comércio em horários reduzidos, toque de recolher de segunda à sexta-feira e lockdown aos fins de semana. 

17 de abril: decreto anterior foi mantido, com liberação de atividades físicas individuais em espaços públicos.

23 de abril: flexibilização avança com liberações para escolas, igrejas, templos. barracas de praia e academias de ginástica. Lockdown continua aos sábados e domingos.

30 de abril: Camilo anuncia flexibilização aos sábados e domingos, com autorização para funcionamento de comércio e restaurantes. Na semana, as regras seguem as mesmas.

7 de maio: após quatro semanas de flexibilização, o Ceará não avança na reabertura, mantendo as medidas em vigor. Dois indicadores acenderam sinal de alerta: alto patamar de internações e aumento na positividade de exames

14 de maio: Região de Fortaleza e de Sobral avançam na flexibilização, com ampliação do horário de funcionamento das atividades comerciais. Cariri, Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe continuam com as mesmas restrições.

22 de maio: decreto anterior é prorrogado mantendo ampliação Fortaleza e de Sobral e medidas mais rígidas nas outras três regiões do Estado

29 de maio: decreto amplia flexibilização no Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe, que passam à mesma situação de Fortaleza e Sobral. Cariri mantém restrições

4 de junho: decreto amplia horário de funcionamento de shoppings e restaurantes até 22 horas e toque de recolher vai para 23 horas. Exceção é Cariri, onde restrições são mantidas

11 de junho: governo libera aulas em todas as séries do ensino médio, amplia a capacidade de público em academias, reabre museus, bibliotecas e cinemas. Apenas o Cariri continua com restrições

18 de junho: governador anuncia prorrogação do decreto, interrompendo a sequência de reabertura. Restrições mais severas mantidas no Cariri.

25 de junho: governo libera aulas presenciais em universidades.

28 de junho: decreto autoriza o funcionamento de feiras livres.

9 de julho: anunciado aumento do horário do comércio.

23 de julho: restaurantes podem funcionar até 23 horas. Eventos podem receber até 200 pessoas.

6 de agosto: por causa da chegada da variante Delta, decreto é prorrogado sem mudanças.

20 de agosto: Camilo anuncia que restaurantes moderão funcionar até meia noite.

3 de setembro: Camilo amplia horário de comércio e academias.

17 de setembro: aulas liberadas com 100% da capacidade e anúncio de evento-teste

1º de outubro: restaurante poderão funcionar até 2h; ensino presencial reforçado

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags