Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Bares e restaurantes: risco de demissões e incidência baixa de Covid-19 explicam ampliação

Para o presidente da Abrasel no Ceará, fim do programa de auxílio emergencial às empresas ajudou a ‘sensibilizar’ governo do Estado para flexibilizar horário de funcionamento do setor

O anúncio feito pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT), de que restaurantes poderão funcionar até meia-noite a partir da próxima segunda-feira, 23, foi visto, pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Ceará (Abrasel-CE), como um "reconhecimento muito importante" sobre a importância do setor de alimentação fora do lar para a geração de empregos.

O segmento foi o único a ter horário flexibilizado no anúncio do novo decreto. Atualmente, o horário máximo permitido para o funcionamento de até 23 horas. De acordo com o presidente da entidade, Taiene Righetto, a categoria tem se reunido frequentemente com o governo do Estado para apresentar pleitos do setor, mas também resultados de pesquisas internas que indicam baixos números de contaminação por Covid-19 em bares e restaurantes no Ceará, em um momento no qual cresce a preocupação com a variante Delta do vírus. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Sobre o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego (BEm), estabelecido pela Medida Provisória 1.045 e com validade até a próxima sexta-feira (27), Taiene disse acreditar que, mesmo com a perspectiva de prorrogação, após aprovação na Câmara dos Deputados, a possibilidade de seu encerramento apareceu como um "fator novo" nas negociações com o governo estadual para ampliação de horário do segmento.  

"Nosso setor hoje está com 60% da mão de obra nesse benefício, suspensa, mas com estabilidade de dois meses após o retorno. Então, se você traz toda essa mão de obra novamente tem 50% de limitação da ocupação, ao mesmo tempo, essa é uma matemática que não fecha. Isso ia acabar refletindo em demissões de quem já estava trabalhando e acho que foi um dos pontos que sensibilizou o Governo do Estado", avalia.

Ele acrescenta, ainda que o segmento de alimentação fora do lar é um dos maiores empregadores em determinados nichos de mão de obra. "Empregamos muita gente que tem dificuldades maiores de colocação em outros setores, tais como os profissionais com idade mais avançada. Também somos compostos por 60% de mulheres. Então somos um termômetro bastante importante na economia", conclui. 

Decretos na 2ª onda no Ceará

2º lockdown: o isolamento rígido em Fortaleza começou em 5 de março de 2021. No dia 13, decreto estadual estendeu as medidas para todo o Estado.

12 de abril: no dia 4 de abril, Camilo Santana anunciou o início da flexibilização no Ceará para o dia 12 de abril. Com a reabertura, foram permitidas algumas atividades de serviço e comércio em horários reduzidos, toque de recolher de segunda à sexta-feira e lockdown aos fins de semana. 

17 de abril: decreto anterior foi mantido, com liberação de atividades físicas individuais em espaços públicos.

23 de abril: flexibilização avança com liberações para escolas, igrejas, templos. barracas de praia e academias de ginástica. Lockdown continua aos sábados e domingos.

30 de abril: Camilo anuncia flexibilização aos sábados e domingos, com autorização para funcionamento de comércio e restaurantes. Na semana, as regras seguem as mesmas.

7 de maio: após quatro semanas de flexibilização, o Ceará não avança na reabertura, mantendo as medidas em vigor. Dois indicadores acenderam sinal de alerta: alto patamar de internações e aumento na positividade de exames

14 de maio: Região de Fortaleza e de Sobral avançam na flexibilização, com ampliação do horário de funcionamento das atividades comerciais. Cariri, Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe continuam com as mesmas restrições.

22 de maio: decreto anterior é prorrogado mantendo ampliação Fortaleza e de Sobral e medidas mais rígidas nas outras três regiões do Estado

29 de maio: decreto amplia flexibilização no Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe, que passam à mesma situação de Fortaleza e Sobral. Cariri mantém restrições

4 de junho: decreto amplia horário de funcionamento de shoppings e restaurantes até 22 horas e toque de recolher vai para 23 horas. Exceção é Cariri, onde restrições são mantidas

11 de junho: governo libera aulas em todas as séries do ensino médio, amplia a capacidade de público em academias, reabre museus, bibliotecas e cinemas. Apenas o Cariri continua com restrições

18 de junho: governador anuncia prorrogação do decreto, interrompendo a sequência de reabertura. Restrições mais severas mantidas no Cariri.

25 de junho: governo libera aulas presenciais em universidades.

28 de junho: decreto autoriza o funcionamento de feiras livres.

9 de julho: anunciado aumento do horário do comércio.

23 de julho: restaurantes podem funcionar até 23 horas. Eventos podem receber até 200 pessoas.

6 de agosto: por causa da chegada da variante Delta, decreto é prorrogado sem mudanças.

20 de agosto: Camilo anuncia que restaurantes moderão funcionar até meia noite.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar