Participamos do

Fortaleza deve renovar contrato de Marcelo Boeck até o final de 2022

Leão negocia permanência do ídolo tricolor por mais uma temporada. Goleiro chegou ao Pici em 2017 e viveu trajetória da Série C à Libertadores
10:32 | Jan. 05, 2022
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Repórter de Esportes
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Titular na reta final do ano passado e ídolo da torcida, o goleiro Marcelo Boeck deve estender a permanência no Pici por mais um ano. O Esportes O POVO apurou que o Fortaleza e o jogador encaminham acordo para a renovação do contrato até o final de 2022 e devem ajustar detalhes ainda antes do início da pré-temporada, marcada para a próxima segunda-feira, 10.

O camisa 1 chegou ao Tricolor em 2017 e, após início de maus resultados da equipe, foi peça-chave no acesso da Série C. No ano seguinte, conquistou o título da Série B. Em 2019, a partir da chegada de Felipe Alves, Boeck perdeu espaço. Foi titular no primeiro semestre, na campanha da conquista da Copa do Nordeste, e depois se tornou reserva imediato.

Em 2020, porém, o arqueiro gaúcho atuou apenas uma vez, virou terceira opção e chegou a ficar fora até das relações para os jogos durante alguns meses. A saída de Rogério Ceni mudou a situação do jogador, que teve o contrato estendido por mais uma temporada e voltou a atuar com maior frequência na última temporada.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Marcelo Boeck teve as primeiras chances com Enderson Moreira e ganhou vez com Juan Pablo Vojvoda pela lesão de Felipe Alves, em julho do ano passado. O camisa 12 se recuperou e voltou, mas falhou na derrota por 3 a 1 para o Ceará, o que deu brecha para o retorno de Boeck. O gaúcho também cometeu erros na meta, viu Felipe Alves ser preterido outra vez após reassumir a vaga e se firmou na posição até o final - disputou 19 jogos na Série A.

As oscilações dos dois arqueiros fizeram o Leão ir ao mercado e contratar o experiente Fernando Miguel, que estava no Atlético-GO. Felipe Alves tem contrato até o final de 2023 e desponta como reserva imediato para a meta, mas Boeck seguiu em pauta no Pici para uma definição do futuro.

A liderança no grupo de jogadores, a representatividade no clube - interna e externamente - e a trajetória do ídolo da Série C à Libertadores pesaram a favor da decisão da diretoria, que também levou em conta a avaliação do técnico Juan Pablo Vojvoda. O camisa 1 soma três títulos do Campeonato Cearense (2019, 2020 e 2021), um da Copa do Nordeste (2019) e um da Série B (2018).

"Toda a trajetória, em todos os anos, sempre teve um capítulozinho para engrandecer e coroar tudo isso hoje, com esse grande resultado. Nós sabíamos que ia ser difícil, mas 1 a 0 era a nossa goleada, era aquilo que nós queríamos. E não só eu, todas as pessoas que fazem o nosso dia a dia, os jogadores, a comissão, poder desfrutar de um dia como esse não tem dinheiro que pague. Se a gente pudesse voltar tudo, faria tudo de novo do mesmo jeito para poder viver um dia como hoje", disse Marcelo Boeck, em entrevista coletiva após a vitória sobre o Juventude-RS, no dia 3 de dezembro.

Na última terça-feira, 4, o Tricolor se despediu do também ídolo Osvaldo, que tinha contrato até o final do ano passado e não estava nos planos para 2022. O jogador se manifestou nas redes sociais, e o presidente Marcelo Paz também se pronunciou.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags