Participamos do

Site sobre conserto de eletrônicos analisa pano de R$ 219 da Apple

Fabricante lançou tecido "especial" para limpeza de produtos como iPhones e MacBooks; site iFixIt, que publica guias de conserto de eletrônicos fez "desmanche" e análise do produto
05:49 | Out. 29, 2021
Autor Bemfica de Oliva
Foto do autor
Bemfica de Oliva Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Analise

Panos para limpar eletrônicos não são novidade. Existentes há anos e popularizados com a pandemia de Covid-19, os pedaços de microfibra fazem parte do cotidiano de muita gente. Mas que tal um com a marca Apple e custando mais de R$ 200?

Não é exagero: ao preço de R$ 219, o produto está disponível no site da fabricante. Ainda é preciso esperar dez a 12 semanas para receber o pano. Pelo menos o frete é grátis.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Pano de R$ 219 da Apple passa por "desmanche"

Especializado em publicar guias de conserto de eletrônicos, o site iFixIt decidiu fazer uma análise do produto. O portal, que sempre realiza "desmanches" de produtos como smartphones e computadores logo após o lançamento, quis entender o que faz o preço ser tão alto - nos Estados Unidos, ele é vendido por 19 dólares, (R$ 107 em conversão direta), pouco menos que o preço cobrado no Brasil.

Eles notaram que a textura é similar ao tecido usado na capa Smart Cover, disponível para iPads. Ao "desmontar" o pano, o iFixIt fez uma descoberta interessante: são, na verdade, dois pedaços de tecido colados. O texto sugere separar as metades, obtendo assim dois panos de limpeza utilizáveis.

Apple tem outros produtos com preços absurdos

É comum, entre entusiastas de tecnologia, o debate sobre se de fato os eletrônicos da Apple valem o alto preço cobrado pela empresa. Alguns itens da fabricante, porém, parecem não ter mesmo desculpa para custarem tanto.

Em julho de 2020, a empresa lançou um cabo com conectores USB tipo C em ambas as pontas. O que não faz sentido é o preço: R$ 1.299. É possível comprar um celular de entrada - ou mesmo um intermediário, em promoções - com o valor pedido pelo cabo.

Bases para colocar monitor na parede (abaixo) ou na mesa (esquerda) custam, respectivamente, R$ 1.949 e R$ 8.999; rodinhas para gabinete de computador saem por R$ 6.999
Bases para colocar monitor na parede (abaixo) ou na mesa (esquerda) custam, respectivamente, R$ 1.949 e R$ 8.999; rodinhas para gabinete de computador saem por R$ 6.999 (Foto: Divulgação/Apple)

Ao lançar a última geração do Mac Pro, em dezembro de 2019, a fabricante também foi alvo de chacota pelo preço de aguns acessórios. O gabinete do computador vem com pés fixos, mas a Apple vende um jogo de rodízios por R$ 7 mil.

Junto ao Mac Pro, foi lançado o Pro Display XDR. Com preços de entre R$ 44.999 e R$ 53.999, o monitor poderia ter o custo justificado por ser voltado a aplicações profissionais, de alto desempenho.

Impossível de engolir, porém, é o preço do que se precisa comprar junto para sequer poder usar o produto: um adaptador para fixá-lo na parede sai por R$ 1.949. Quer deixar em uma mesa? A base custa nada menos que R$ 8.999. São nove mil reais por um pedaço de metal para segurar um monitor.

Considerando esses valores, o pano de R$ 219 parece quase razoável. Quase.

Mais notícias de Tecnologia

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags