PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Reserva financeira e mais serviços: as lições de um salão na pandemia

Com permissão para reabrir de forma gradual, o Salão Mabelle voltou a funcionar nesta terça-feira, 13. Os sócios do empreendimento, apesar de acreditarem em retomada lenta da economia, aprenderam com a pandemia como se reinventar

Beatriz Cavalcante
16:02 | 13/04/2021
Salão Mabelle se reinventou na pandemia (Foto: Adailma Mendes)
Salão Mabelle se reinventou na pandemia (Foto: Adailma Mendes)

Dois meses após abrir o próprio salão, a pandemia veio em 2020. Sem reservas financeiras e com dívidas no cartão, os sócios Maurício Gomes, 35, e Thiago Alves, 29, pensavam que iam fechar as portas definitivamente do estabelecimento localizado no bairro São João do Tauape, em Fortaleza.

A opção foi tentar financiamento por meio do microcrédito orientado. Mas não conseguiram reunir o grupo de pessoas necessário para a aprovação do empréstimo. A ocasião os fez se reinventarem. O Salão Mabelle passou então a atender na casa de clientes.

O resultado foi que, em vez de falir, quando puderam reabrir, apostaram em novo aluguel, ampliando o espaço para seguir as regras sanitárias. "Começamos com o salão menor e quando começou a pandemia, com a preocupação (em relação à Covid-19), aumentamos. Assim aumentamos também a gama de serviços, contratamos mais pessoas, fizemos a economia girar", detalha Thiago.

Clique na imagem para abrir a galeria

De lição deste período que ainda se perpetua, os sócios aprenderam a fazer uma reserva financeira. "Porque em um momento destes, difícil, se você não tem uma economia é o que torna tudo mais difícil", acrescenta Maurício. "O mais desafiador para mim foi que a gente começou o salão bem no início desta doença. Foi muito difícil, porque eu não tinha uma renda e cheguei ao ponto de achar que ia fechar porque eu não ia ter condições de manter. Havia muitas despesas para arcar, pois no início fiz muitas compras e não tinha mais como pagar as dívidas. Fiquei devendo muito no cartão", lembra-se.

Como estratégia de negócios, os sócios negociaram com fornecedores, o que os garantiu parcelamentos sem juros para os produtos que utilizam no salão. Já com o aluguel não conseguiram negociação. O jeito foi seguir com o contrato inicial sem flexibilizações. "Outra mudança é que eu não trabalhava com hora marcada. Com a pandemia, a gente aprendeu a marcar hora e viu que é melhor desta forma", diz Maurício.

E nesta reabertura gradual da economia no Ceará, que iniciou na última segunda-feira 12, o Mabelle voltou a funcionar presencialmente, de acordo com o decreto estadual, abrindo das 10 às 16 horas, com limitação de 25% da capacidade de atendimento simultâneo. Neste contexto, os sócios acreditam que dá para tocar o negócio, mas "a retomada ainda vai ser lenta". 

Com informações da jornalista Adailma Mendes

O que determina o decreto  

A partir da segunda-feira, 12 de abril, o Ceará segue em isolamento social, mas começa a saída gradual do lockdown.

Das 20 às 5 horas do dia seguinte, ocorre toque de recolher. A partir de 20 horas de sexta-feira até 5 horas de segunda-feira, há isolamento social rígido, o chamado lockdown.

As atividades seguem com restrições e algumas continuam proibidas. Confira o que muda:

Comércios e serviços

- O comércio de rua e serviços, envolvendo estabelecimentos situados fora de shoppings, inclusive restaurantes, funcionarão das 10 às 16 horas, com limitação de 25% (vinte e cinco por cento) da capacidade de atendimento simultâneo. Foi dada, porém, possibilidade às prefeituras de optar por horário alternativo, de abertura do comércio de 7 às 13 horas.

- Os shoppings funcionarão das 12 às 18 horas, com limitação de 25% (vinte e cinco por cento) da capacidade de atendimento simultâneo.

- Nos shoppings deverá haver controle eletrônico nas entradas principais, informando em painéis a quantidade máxima permitida e a quantidade de pessoas naquele momento no local.

- Inclusão da quantidade de clientes, funcionários e demais colaboradores presentes simultaneamente na capacidade máxima de cada estabelecimento, em shopping ou comércio de rua.

Restaurantes

Restaurantes poderão abrir das 12 às 18 horas durante a semana, com 25% da capacidade. Já nos sábado e domingos, o esquema é de lockdown e só podem funcionar para entregas. 

Ampliação das escolas

Crianças de até três anos já podiam ir às escolas, com o novo decreto, estão autorizadas as aulas presenciais para as crianças de quatro e cinco anos da Educação Infantil e para o 1º e 2º ano do Ensino Fundamental, observada a limitação de 35% da capacidade.

Construção civil

Podem funcionar a partir de 8 horas.

Instituições religiosas

Igrejas e outros espaços religiosos poderão realizar celebrações presenciais, desde que observados o limite de 10% da capacidade.

Hotéis

- Estão autorizados a funcionar com 80% da capacidade.

- O uso dos apartamentos e quartos limitado ao máximo de três adultos ou dois adultos com três crianças.

- Os restaurantes de hotéis, pousadas e congêneres poderão funcionar, de segunda a sexta-feira, das 16h às 20h, bem como aos sábados e domingos, desde que exclusivamente para o atendimento de hóspedes. 

O que não vai reabrir

  • academias;
  • parques aquáticos;
  • barracas de praia;
  • cinemas;
  • museus e teatros, públicos ou privados

O setor das academias e das barracas de praia se posicionaram no, reivindicando o direito de funcionar.

Leia o decreto, publicado na noite de sábado.

Não se sujeitam à restrição de horário de funcionamento:

a) serviços públicos essenciais;
b) farmácias;
c) supermercados/congêneres;
d) indústria;
e) postos de combustíveis;
f) hospitais e demais unidades de saúde e de serviços odontológicos e veterinários de emergência;
g) laboratórios de análises clínicas;
h) segurança privada;
i) imprensa, meios de comunicação e telecomunicação em geral;
j) funerárias.

Saiba tudo sobre a flexibilização do lockdown no Ceará:

Escolas podem reabrir educação infantil até 5 anos e 1º e 2º anos do fundamental

"Só 20% do setor devem reabrir agora", diz associação de bares e restaurantes

"Setor produtivo está contribuindo e sociedade deve fazer o mesmo", diz Fecomércio-CE

Governo do Ceará publica novo decreto; veja o que pode reabrir no Estado

Academias permanecem fechadas e setor reivindica reconhecimento como atividade essencial 

Histórico 

Na sexta-feira, 26 de março, o lockdown havia sido prorrogado por mais uma semana, até domingo, 4 de abril,  em decisão tomada na reunião do comitê científico.

O lockdown foi decretado em Fortaleza em 3 de março e entrou em vigor em 5 de março. Seria pelo período de 14 dias, incialmente até 18 de março.

Em 11 de março, o lockdown foi estendido para todos os municípios do Ceará, a partir de 13 de março, indo até o dia 21 em todo o Ceará, inclusive em Fortaleza. Foi a primeira vez que todo o Ceará ficou simultaneamente no chamado isolamento social rígido.

Em 19 de março, o lockdown foi prorrogado até 28 de março. Houve nova prorrogação até 4 de abril, dia em que o governador anunciou que a reabertura poderia começar na segunda-feira, 12 de abril.