Participamos do

TikTok: conheça banco por trás das pequenas transferências feitas pelo app

O TikTok tem conquistado grande público, em parte devido à campanha de recrutamento de novos usuários por meio de um sistema de pagamentos. Saiba qual banco é responsável pelas transferências de pequeno valor feitas pela rede social aos seus usuários
17:55 | Out. 13, 2021
Autor Mateus Brisa
Foto do autor
Mateus Brisa Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Desde seu surgimento em 2016, o TikTok tem conquistado um público fiel de forma exponencial, com grande aderência em 2020, durante a pandemia de Covid-19. O aplicativo de vídeos alcançou a marca de 1 bilhão de usuários em setembro. Parte disso pode ser associado à campanha de recrutamento de novos usuários através de um sistema de pagamentos.

Pessoas podem convidar conhecidos para ingressar na plataforma, recebendo transferências de pequeno valor. Isso aconteceu em todo o Brasil, e o responsável pelos pagamentos é o banco de câmbio Bexs. Essas transações eram feitas via TED, mas se tornaram mais rápidas com o Pix, sistema de pagamento instantâneo lançado pelo Banco Central.

“Chegamos a processar 1,2 milhão de pagamentos via Pix em um único dia, é uma loucura”, contou Luiz Henrique Didier Jr., CEO do Bexs, ao portal Valor Econômico. A empresa hoje procura novas estratégias de atuação no País, como o auxílio de pequenas e médias empresas em operações de câmbio. O banco também lançou recentemente uma plataforma para o setor agropecuário junto à empresa do segmento Open Solo.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

“Estamos sempre procurando oportunidades onde podemos digitalizar e gerar capacidade de escala em operações de pagamentos internacionais”, explicou Didier. “Temos [no Brasil] uma ineficiência bastante grande em todo ciclo de importação e exportação”.

A parceria Bexs e TikTok

A iniciativa de uma parceria entre o Bexs e o TikTok partiu de Didier. Há três anos, ele percebeu o potencial da rede social, procurou a empresa responsável, ByteDance, e se locomoveu diversas vezes à China para reuniões de negociação. “Expliquei para eles que poderia montar toda a estrutura, mas precisava que todos os sistemas fossem integrados, para que o usuário com poucos cliques recebesse o dinheiro onde quisesse. Desenvolvemos a plataforma relativamente rápido”, disse.

Atualmente, quase metade do volume de câmbio processado pelo banco é oriundo de pessoas físicas. Além da parceria com o TikTok, o Bexs realiza pagamentos internacionais com a Thunes, empresa de Cingapura, e a contratação de serviços de streaming da FunHero. Em 2020, o banco teve lucro de R$ 40,238 milhões. Para Didier, esse número pode chegar a R$ 100 milhões em dois ou três anos.

MAIS NOTÍCIAS DE CURIOSIDADES

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags