Participamos do

Golpistas anunciam vagas falsas de emprego na Amazon via WhatsApp

Por meio do aplicativo, usuários desconhecidos enviam ofertas de emprego na multinacional de tecnologia Amazon; empresa alerta que não divulga vagas pelo WhatsApp
05:00 | Ago. 17, 2021
Autor Isabela Queiroz
Foto do autor
Isabela Queiroz Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Nesta segunda-feira, 16, várias pessoas relataram o recebimento de mensagens de um suposto gerente de marketing da empresa Amazon, por meio do aplicativo WhatsApp. O POVO apurou que usuários desconhecidos, inclusive com números de outros países, estão enviando mensagens informando um suposto recrutamento de equipe para trabalhar na multinacional de tecnologia. Procurada pela reportagem, a empresa informou que não utiliza o WhatsApp para divulgação de ofertas de emprego.

Usuários do Twitter também relatam receber mensagens com informações de supostas vagas de trabalho na Amazon. A empresa alerta que oportunidades de emprego são publicadas em seu site oficial. Além disso, a Amazon explica como identificar se um e-mail foi enviado pela empresa e como reportar e-mails fraudulentos.

Confira nota na íntegra:

A Amazon utiliza apenas os canais oficiais de contato em redes sociais, como o Facebook, o Instagram e o Twitter para se comunicar com clientes, e encorajamos que qualquer contato com a Amazon seja feito por meio do Fale Conosco, no site Amazon.com.br.

Além disso, a empresa nunca solicita informações de acesso, como login e senha, a qualquer consumidor ou entra em contato via Whatsapp para divulgar vagas e oportunidades de carreira na Amazon. Desenvolvemos todos os nossos sistemas e dispositivos com a privacidade do cliente em mente e investimos fortemente para garantir a segurança dos dados em todos os pontos de conexão do negócio.”

Mais informações para ajudar a segurança dos usuários:
- Como identificar se um e-mail foi enviado pela Amazon
- Como reportar um e-mail de phishing

Para pesquisar vagas abertas e oportunidades de carreira na Amazon, acesse: https://www.amazon.jobs/pt/ 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Golpes por WhatsApp são crime de estelionato

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) alerta para possíveis casos de estelionato aplicados em vítimas que residem no Estado por meio de aplicativos de mensagens. Segundo a PCCE, criminosos vêm aplicando golpes enviando mensagens pelo WhatsApp para confirmação de códigos, e assim, se apropriarem do aplicativo das vítimas. Muitos utilizam perfis de instituições públicas ou privadas como meio de captar as vítimas.

A PCCE orienta a população a intensificar a segurança no uso do aplicativo, por meio do recurso de verificação em duas etapas, disponível na plataforma WhatsApp. Isso impede que os fraudadores tenham acesso direto à conta do usuário. Além disso, a PCCE alerta que o cidadão não deve interagir de forma alguma com perfis suspeitos nem clicar em links enviados por pessoas desconhecidas ou pessoas que não costumam ter o hábito de compartilhar links. Em alguns casos, a vítima pode ter seus dados e imagem utilizados indevidamente por suspeitos para realizar compras e aplicar golpes em nome da vítima.

Orientação da Polícia Civil sobre golpes online

Vítimas de crimes dessa natureza podem registrar um Boletim de Ocorrência (BO), a qualquer hora do dia ou da noite, por meio da Delegacia Eletrônica (Deletron), no site http://www.delegaciaeletronica.ce.gov.br/beo/

A Deletron atende todo o Estado do Ceará. O crime de estelionato é aplicado para obtenção de vantagem ilícita da vítima. Pessoas que praticam esse tipo de crime podem pagar pena de até cinco anos de reclusão.

Como denunciar

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). O sigilo e o anonimato são garantidos.

Mais sobre golpes virtuais

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags