PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Comércio poderá funcionar na semana com até 40% da capacidade de atendimento

O comércio foi reaberto no início do mês e completou nessa sexta-feira, 23, o ciclo de 14 dias de funcionamento, período que seria analisado pelo comitê do Governo com instituições e especialistas de saúde

Samuel Pimentel
18:39 | 24/04/2021
Novas regras do decreto anunciado pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT), serão publicadas no Diário Oficial do Estado (DOE). (Foto: Fabio Lima)
Novas regras do decreto anunciado pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT), serão publicadas no Diário Oficial do Estado (DOE). (Foto: Fabio Lima)

O governador Camilo Santana (PT) anunciou que o comércio poderá funcionar na semana com até 40% da capacidade de atendimento. Nos fins de semana permanece a ordem de lockdown. O decreto estadual com as novas normas válidas para todo o Ceará deve ser publicado ainda neste sábado, no Diário Oficial do Estado (DOE).

O atual decreto em vigência foi iniciado no dia 12 de abril e prorrogado no último sábado, 17. As medidas valem até amanhã, 25.

O comércio foi reaberto no início do mês e completou nessa sexta-feira, 23, o ciclo de 14 dias de funcionamento, período que seria analisado pelo comitê do Governo com instituições e especialistas de saúde.

Regras do comércio até este domingo, 25

O comércio de rua e serviços, envolvendo estabelecimentos situados fora de shoppings, inclusive restaurantes, funcionarão das 10 às 16 horas, com limitação de 25% (vinte e cinco por cento) da capacidade de atendimento simultâneo. Foi dada, porém, possibilidade às prefeituras de optar por horário alternativo, de abertura do comércio de 7 às 13 horas.

  • Os shoppings funcionarão das 12 às 18 horas, com limitação de 25% (vinte e cinco por cento) da capacidade de atendimento simultâneo.
  • Nos shoppings deverá haver controle eletrônico nas entradas principais, informando em painéis a quantidade máxima permitida e a quantidade de pessoas naquele momento no local.
  • Inclusão da quantidade de clientes, funcionários e demais colaboradores presentes simultaneamente na capacidade máxima de cada estabelecimento, em shopping ou comércio de rua.