Participamos do

Estabelecimentos públicos estaduais vão cobrar passaporte da vacina a partir do próximo dia 20

Cobrança do passaporte foi a única alteração deliberada pelo Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia, que realizou reunião na tarde desta sexta, 10
19:18 | Dez. 10, 2021
Autor Ana Rute Ramires
Foto do autor
Ana Rute Ramires Repórter da editoria de Cidades
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Os estabelecimentos públicos do Governo do Ceará irão passar a cobrar o passaporte da vacina a partir do dia 20 de dezembro. Anúncio foi feito em live pelo governador Camilo Santana (PT) e pelo titular da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), Marcus Gadelha. Essa foi a única alteração prevista para o novo decreto, deliberada em reunião do Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia nesta tarde.

"Durante essa próxima semana, a Sesa vai definir os protocolos e critérios dependendo das atividades de cada setor do Governo. Mas a partir do dia 20 terá a obrigatoriedade de apresentação do passaporte nos estabelecimentos públicos do Estado do Ceará", explicou o governador.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Nessa terça-feira, 7, o prefeito de Fortaleza, José Sarto (PDT), enviou à Câmara Municipal de Fortaleza projeto de lei que determina a obrigatoriedade da apresentação de comprovante de vacinação para a entrada em repartições e prédios públicos da Prefeitura de Fortaleza. 

Vacinação no Ceará

"Das pessoas aptas a receber vacina, temos 89,6% vacinada com a primeira dose. O dado importante: quase 80% acima de 12 anos já tomaram o esquema completo", destacou o governador.

Conforme Gadelha, o cenário da Covid-19 no Ceará continua em estabilidade. "Não está tendo aumento no número de casos nem de óbitos. O número de pessoas com teste positivo também não tem aumentado. Isso mostra a estabilidade do cenário epidemiológico. Temos que continuar aumentando a cobertura vacinal e estimular a dose de reforço", disse o secretário. 

O chefe do executivo estadual alertou para a importância da dose de reforço para evitar sintomas graves. Segundo ele, parte da população que já está apta a receber a terceira dose, principalmente os idosos, não estão indo tomar.  

"Saiu um estudo feito pela USP mostrando que 93% das pessoas que perderam a vida de março a novembro no Ceará não tinham se vacinado", disse Camilo.

Ele afirmou ainda que a vacinação vai continuar durante o fim do ano: "não vamos parar entrega de vacinas e vacinação". O governador pediu para que os municípios não desativem as unidades de vacinação no período. "É fundamental que permaneçam com as unidades e as equipes funcionando". 

Camilo destacou a preocupação em todo o mundo a respeito do surgimento da Ômicron e os efeitos dessa variante diante vacina e dos vacinados. "O número de casos na Europa tem aumentado. Estamos acompanhando o comportamento em outros continentes, países e tomando medidas de precaução. Os números continuam estáveis, isso é muito positivo. Mas monitoramos para evitar qualquer tipo de recrudescimento do vírus no Estado", acrescentou. 

Decreto anterior

O último decreto estadual, publicado no dia 27 de novembro, estabeleceu a proibição de grandes festas de Réveillon. Festas em locais abertos deverão ter no máximo cinco mil pessoas e em ambientes fechados o máximo será 2.500 pessoas. As medidas são válidas a partir de 16 de dezembro.

Além disso, estabelecimentos que ainda estão sob restrições de capacidade como academias, cinemas e teatros foram liberados a ampliar o funcionamento para 100% da capacidade desde que passem a exigir o passaporte de vacinação e documentação de identificação com foto.

Decretos na 2ª onda no Ceará

2º lockdown: o isolamento rígido em Fortaleza começou em 5 de março de 2021. No dia 13, decreto estadual estendeu as medidas para todo o Estado.

12 de abril: no dia 4 de abril, Camilo Santana anunciou o início da flexibilização no Ceará para o dia 12 de abril. Com a reabertura, foram permitidas algumas atividades de serviço e comércio em horários reduzidos, toque de recolher de segunda à sexta-feira e lockdown aos fins de semana.

17 de abril: decreto anterior foi mantido, com liberação de atividades físicas individuais em espaços públicos.

23 de abril: flexibilização avança com liberações para escolas, igrejas, templos. barracas de praia e academias de ginástica. Lockdown continua aos sábados e domingos.

30 de abril: Camilo anuncia flexibilização aos sábados e domingos, com autorização para funcionamento de comércio e restaurantes. Na semana, as regras seguem as mesmas.

7 de maio: após quatro semanas de flexibilização, o Ceará não avança na reabertura, mantendo as medidas em vigor. Dois indicadores acenderam sinal de alerta: alto patamar de internações e aumento na positividade de exames

14 de maio: Região de Fortaleza e de Sobral avançam na flexibilização, com ampliação do horário de funcionamento das atividades comerciais. Cariri, Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe continuam com as mesmas restrições.

22 de maio: decreto anterior é prorrogado mantendo ampliação Fortaleza e de Sobral e medidas mais rígidas nas outras três regiões do Estado

29 de maio: decreto amplia flexibilização no Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe, que passam à mesma situação de Fortaleza e Sobral. Cariri mantém restrições

4 de junho: decreto amplia horário de funcionamento de shoppings e restaurantes até 22 horas e toque de recolher vai para 23 horas. Exceção é Cariri, onde restrições são mantidas

11 de junho: governo libera aulas em todas as séries do ensino médio, amplia a capacidade de público em academias, reabre museus, bibliotecas e cinemas. Apenas o Cariri continua com restrições

18 de junho: governador anuncia prorrogação do decreto, interrompendo a sequência de reabertura. Restrições mais severas mantidas no Cariri.

25 de junho: governo libera aulas presenciais em universidades.

28 de junho: decreto autoriza o funcionamento de feiras livres.

9 de julho: anunciado aumento do horário do comércio.

23 de julho: restaurantes podem funcionar até 23 horas. Eventos podem receber até 200 pessoas.

6 de agosto: por causa da chegada da variante Delta, decreto é prorrogado sem mudanças.

20 de agosto: Camilo anuncia que restaurantes moderão funcionar até meia noite.

3 de setembro: Camilo amplia horário de comércio e academias.

17 de setembro: aulas liberadas com 100% da capacidade e anúncio de evento-teste

1º de outubro: restaurante poderão funcionar até 2h; ensino presencial reforçado

15 de outubro: jogos autorizados com 30% da capacidade; as igrejas poderão funcionar com 100% da capacidade; e lojas, eventos e restaurantes também tiveram capacidade ampliada

29 de outubro: Decreto: Camilo amplia para 80% público nos estádios e exige vacinação

12 de novembro: Passaporte de vacina será exigido em restaurantes, bares e eventos no Ceará

26 de novembro: Ceará não terá grandes festas de Réveillon. Festas em locais abertos deverão ter no máximo cinco mil pessoas e em ambientes fechados o máximo será 2.500 pessoas.

Conteúdo sempre disponível e acessos ilimitados. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags