Participamos do

75º Festival de Cannes estende seu tapete vermelho

O maior festival de cinema do mundo está de volta com desejo de diversão e de deixar as restrições sanitárias para trás, mas sem esquecer a tragédia na Ucrânia
08:47 | Mai. 17, 2022
Autor AFP
Tipo Notícia

O Festival de Cinema de Cannes estende nesta terça-feira, 17, seu tapete vermelho para celebrar seu 75º aniversário, com o americano Forest Whitaker como o primeiro astro convidado e um filme de zumbis para abrir o evento. O maior festival de cinema do mundo está de volta com desejo de diversão e de deixar as restrições sanitárias para trás, mas sem esquecer a tragédia na Ucrânia, país que terá várias oportunidades de levantar a voz.

Tom Cruise subirá mais uma vez as escadas de Cannes de volta ao papel de piloto em "Top Gun: Maverick", um filme emblemático da década de 1980, o diretor Baz Luhrman revelará sua visão do rei do rock'n'roll com "Elvis" e David Cronenberg deliciará os fãs do cinema sangrento com "Crimes of the future".

Os 21 filmes selecionados para diisputar a Palma de Ouro são o reflexo de um equilíbrio entre cinema comercial e cinema autoral. Um equilíbrio muito menos óbvio em termos de paridade, com apenas cinco diretoras competindo pelo prêmio, um recorde para Cannes de qualquer maneira.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"As instâncias do Festival, suas equipes, o júri... tudo é paritário", defendeu-se na segunda-feira o delegado-geral do festival, Thierry Frambux. O júri, presidido pelo ator francês Vincent Landon, entregará a Palma de Ouro em 28 de maio.

Whitaker, Palma de Ouro honorário honorífica

O ator afro-americano vencedor do Oscar Forest Whitaker receberá uma Palma de Ouro honorária aos 60 anos. Protagonista de filmes emblemáticos como "O Último Rei da Escócia" ou "Bird" (com o qual ganhou o prêmio de melhor atuação no Festival de 1988), Whitaker receberá o prêmio após a cerimônia de abertura, marcada para as 19 horas (14 horas de Brasília).

O filme "Corten!", do francês Michel Hazanavicius, sobre zumbis, mas com um tom humorístico, abrirá a festa. Quarta-feira será a hora de decolar com "Top Gun: Maverick", sequência de um filme de grande sucesso e que teve o lançamento adiado devido à covid-19. Cruise, que interpretou um piloto da Força Aérea dos EUA na primeira parte (1986), retorna ao seu papel de personagem rebelde.

Então começará a festa do cinema internacional. Do russo Kirill Serebrennikov à francesa Claire Denis, passando pelos veteranos irmãos belgas Dardenne, ou o espanhol Albert Serra - o único representante do cinema ibero-americano na corrida pela Palma de Ouro -, o evento dará voz aos criadores mais singulares.

O sul-coreano Park Chan-Wook compete ao lado do japonês Hirokazu Kore-eda, assim como do americano James Gray. O ator americano Tom Hanks interpreta o empresário de Elvis Presley, Viggo Mortensen um artista que se deixa ser aberto até as tripas na companhia de Léa Seydoux e Kristen Stewart e o ator britânico Anthony Hopkins interpreta um magnata em Nova York na década de 1970.

Também estará presente o ator espanhol Javier Bardem, que participará de um encontro com o público. Todos devem percorrer o famoso tapete vermelho, ao lado de cineastas, produtores, estrelas da música e até figuras de destaque das redes sociais.

Aproximar-se do público jovem

Cannes anunciou novos parceiros para seus eventos mais glamourosos e conversas com diretores e atores. Entre os parceiros está o aplicativo chinês TikTok, que está na moda em todo o mundo. A ideia é se aproximar de um público jovem, que prefere usar o celular para filmar e ser filmado. 

Cannes também abre suas portas aos criadores ucranianos, uma forma de mostrar sua solidariedade com o país em guerra. O diretor lituano Mantas Kvedaravicius foi morto por tiros russos no mês passado na Ucrânia. Seu filme "Mariupolis 2", sobre a cidade martirizada, terá sua estreia póstuma em Cannes.

O festival conta com um grande mercado cinematográfico, que celebrará um dia especialmente dedicado a este país. O diretor ucraniano Serguei Loznitsa apresentará "The natural history of destruction", sobre os bombardeio aliado às cidades alemãs durante a Segunda Guerra Mundial.

E do lado ibero-americano haverá, sobretudo, a participação de jovens, como a espanhola Elena López Riera ("El agua"), os colombianos Andrés Ramírez Pulido ("La jauría") e Fabián Hernández ( "Um homem") e a chilena Manuela Martelli ("1976").

Podcast Vida&Arte
O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker. Confira o podcast clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar