PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Vojvoda recupera intensidade de Ceni e acrescenta novos conceitos ao Fortaleza

Treinador está invicto em oito jogos pelo Tricolor, conquistou o Campeonato Cearense e lidera a Série A após duas rodadas

Lucas Mota
10:43 | 07/06/2021
Vojvoda orienta o time do Fortaleza em duelo contra o Internacional, na Série A do Campeonato Brasileiro (Foto: Aurelio Alves)
Vojvoda orienta o time do Fortaleza em duelo contra o Internacional, na Série A do Campeonato Brasileiro (Foto: Aurelio Alves)

O técnico Juan Pablo Vojvoda está prestes a completar um mês de trabalho à frente do Fortaleza, ostenta invencibilidade de oito jogos e lidera o Brasileirão após duas rodadas. Em pouco tempo, o argentino conseguiu recuperar a intensidade e a agressividade da equipe, algo visto quando Rogério Ceni comandava o Leão, e acrescentou novos conceitos táticos ao escrete tricolor, com a implementação de esquema com três defensores e variações do sistema durante os 90 minutos.

A goleada aplicada por 5 a 1 sobre o Internacional exemplifica a versão do Fortaleza sob o comando de Vojvoda e credibiliza ainda mais o trabalho no curto período. É a quarta vitória com placar elástico, desta vez contra um gigante do futebol nacional e vice-campeão da Série A 2020. Anteriormente, venceu com folga o Crato, Icasa e Atlético-CE, adversários frágeis tecnicamente no Campeonato Cearense.

Até o momento, o argentino acumula seis vitórias e dois empates, além do título Estadual. Antes de bater o Inter no Brasileirão, conquistou importante triunfo sobre o Atlético-MG fora de casa, de virada. Contra o maior rival, o Ceará, ele venceu uma e empatou duas. O próximo encontro contra o Alvinegro é decisivo, no jogo da volta pela terceira fase da Copa do Brasil, e vale vaga para as oitavas de final e cota milionária de R$ 2,7 milhões.

Quando Vojvoda foi contratado pelo Fortaleza, a diretoria tinha o discurso alinhado de que estava apostando no argentino para recuperar o futebol ofensivo do time. A característica agressiva implementada por Rogério Ceni, em duas passagens pelo clube, que resultou nos títulos da Série B, Campeonato Cearense e Copa do Nordeste, campanha de G9 no Brasileirão e classificação para a Sul-Americana, havia sido deixada de lado com os técnicos sucessores.

Enderson Moreira treinou o Tricolor para ter postura mais retraída e focou no jogo reativo. Os resultados até vieram, mas o desempenho da equipe era sofrível. As vitórias não convenciam contra rivais inferiores. Até que veio a derrota frustrante para o Bahia, na semifinal da Copa do Nordeste, culminando na demissão e, consequentemente, na contratação de Vojvoda.

Leia também:

Até agora tem se cumprido aquilo que a diretoria do Leão desejava. Não só pelos resultados positivos, mas pela filosofia implementada pelo novo treinador. O Fortaleza passou a jogar de forma agressiva, recuperando a intensidade e busca pelo ataque do sistema de Ceni. Em oito partidas, o time do Pici balançou as redes 28 vezes e sofreu apenas quatro.

A postura ofensiva e a posse de bola são as principais semelhanças com a filosofia do antigo treinador, hoje no Flamengo. Mas há diferenças importantes. Com Ceni, o Tricolor atuava com quatro jogadores avançados, às vezes sem uma referência, e priorizava os atacantes velocistas. Não havia espaço para um meia de criação. O esquema adotado era o 4-2-4 ou 4-4-2.

Com Vojvoda, o Leão passou a atuar com três defensores fazendo a saída de bola. O esquema utilizado pelo argentino é o 3-5-2, com a presença de um meia articulador, Matheus Vargas, ou o 3-4-3, este contando com mais um atacante de velocidade no trio avançado. No momento de se defender, o Tricolor se protege no 5-4-1 ou 4-4-2.

Com a bola nos pés, o time do Pici tenta atacar com até oito jogadores pisando no campo ofensivo. Sem a pelota, a equipe inteira tem funções defensivas para reforçar a marcação.

O argentino foca mais nas características e nas funções que o jogador pode integrar em campo do que se restringir ao uso do atleta pela posição de origem. Desta forma é possível entender os "improvisos" de Tinga como um dos zagueiros na primeira linha de três ao lado de Titi e Marcelo Benevenuto e Lucas Crispim como ala ou lateral-esquerdo.

Durante a partida, Tinga cumpre funções de zagueiro e lateral-direito. Tem liberdade para avançar um pouco mais pela direita, dando liberdade para quem está escalado na ala, como Pikachu ou Daniel Guedes.

Crispim, por exemplo, volta até a primeira linha quando o Fortaleza está se defendendo, como um típico lateral-esquerdo. Mas quando a equipe ataca ele cumpre funções de ala, explorando a profundidade no corredor, mas pode centralizar e ser mais um meia armador dentro de campo.

Tinga e Crispim são exemplos da movimentação constante pedida por Vojvoda na equipe. A circulação dos atletas facilita a busca pelos espaços vazios.

Na partida contra o Internacional, o trio mais adiantado, Matheus Vargas, Robson e David, procuram se mexer de forma intensa ora para receber o passe, ora para abrir o espaço para infiltrações. Robson e David não ficam restritos apenas à área para cumprir a função de atacante. Por vezes, vêm receber a bola na ponta, deixando o corredor para o ala explorar.

Foi assim que saiu o gol de Pikachu, numa bobeada da zaga Colorada. No momento que Tinga vai cobrar o lateral, Robson e Matheus Vargas se deslocam para receber, atraindo a marcação dos gaúchos, enquanto Pikachu ataca o espaço e é lançado livre.

Nos momentos defensivos, no 5-4-1 ou 4-4-2, o Fortaleza fica atento para explorar o contra-ataque. Com Enderson, o Tricolor tentou explorar bastante o conceito, mas tinha problemas na transição. Vojvoda conseguiu aperfeiçoar o contragolpe.

Dois gols construídos recentes na transição ofensiva rápida saíram contra o Inter e o Atlético-MG, na Série A. Diante do Colorado, o contra-ataque foi acionado rapidamente por Matheus Vargas em passe em profundidade para Robson. Contra o Galo, David lançou Pikachu que se aproveitou da defesa desarrumada.

O recorte do trabalho de Vojvoda, por enquanto, é curto, mas é promissor. Em pouco tempo, o argentino fez o Fortaleza subir de produção e conquistar resultados importantes.