PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
Noticia

De Diniz a estrangeiros: Fortaleza estuda nomes em busca por novo treinador

Tricolor se abre para opções do exterior, mantém ex-comandante do São Paulo no páreo e monitora técnicos disponíveis no mercado

16:26 | 27/04/2021
Fernando Diniz é um dos alvos do Fortaleza na busca por treinador
 (Foto: JÚLIO CAESAR)
Fernando Diniz é um dos alvos do Fortaleza na busca por treinador (Foto: JÚLIO CAESAR)

Com perfil definido e sem pressa para definição, o Fortaleza analisa os nomes disponíveis no mercado da bola para decidir o treinador para a sequência da temporada 2021. Com Fernando Diniz no páreo e estrangeiros em pauta, o clube do Pici estuda as possibilidades e mantém contatos ativos antes de afunilar as negociações com um alvo, apurou o Esportes O POVO.

Sem clube desde o início de fevereiro, quando foi demitido do São Paulo, Fernando Diniz foi o primeiro alvo do Tricolor após a demissão de Enderson Moreira, no último domingo, 25. O presidente Marcelo Paz conversou com o ex-atacante, que se encaixa no estilo desejado para o comando técnico. O treinador de 47 anos sinaliza recusa à oportunidade, de acordo com pessoas próximas, mas o clube vê as conversas em andamento.

Em paralelo, a cúpula do futebol do Leão evita focar em apenas um nome e monitora outras possibilidades para dar sequência ao processo de seleção, no qual os treinadores serão sabatinados sobre modelo de jogo, perspectivas na Série A e atual elenco de jogadores. Não necessariamente o escolhido será um técnico jovem e "moderno", mas que se adeque ao perfil.

LEIA MAIS

+ Zagueiro Titi é regularizado e está apto para estrear pelo Fortaleza
+ Dirigentes e funcionários do Fortaleza suspensos por comissão do STJD vão a julgamento no Pleno
+ Procurando técnico com características ofensivas, Fortaleza acertou o gol 36% das vezes no Nordestão

Anteriormente em pauta - e com duas recusas acumuladas -, Dorival Júnior não foi consultado pelo clube desta vez. Também disponível no mercado, o experiente Abel Braga foi cogitado, mas disse em entrevista ao Sportv, na última segunda-feira, 26, que pretende rumar para o futebol do exterior após o vice-campeonato brasileiro com o Internacional-RS.

O desejo de um comandante com estilo ofensivo e experiente no Brasileirão também fazem alguns nomes serem descartados, como Thiago Larghi, ex-Goiás, Jair Ventura, ex-Sport-PE, e Antônio Carlos Zago, demitido neste mês do Kashima Antlers, do Japão. Os medalhões Vanderlei Luxemburgo e Luiz Felipe Scolari também não fazem parte dos planos.

Diante do cenário no mercado nacional, o Fortaleza não se fecha para as opções do exterior. Ao contrário de outras vezes, em que precisava de uma definição rápida em meio ao Campeonato Brasileiro, a diretoria enxerga o período de quase um mês até o início da competição nacional como trunfo para possível adaptação de um treinador estrangeiro. Por isso, o argentino Ariel Holan e o uruguaio Diego Aguirre estão na mira para eventuais conversas em breve.

Outras opções internacionais também foram oferecidas ao Tricolor por intermediários e empresários no mercado da bola, mas sem avanços até o momento. Além da avaliação dos critérios adotados para a escolha, o clube também leva em consideração as cifras envolvidas em razão da valorização do dólar. Os dirigentes também rechaçam contratar um estrangeiro somente pelo "modismo" do sucesso recente dos portugueses Jorge Jesus e Abel Ferreira - é preciso se encaixar no perfil, portanto.

Comandado de forma interina pelo auxiliar fixo Leonardo Porto, o Leão do Pici volta a campo no próximo sábado, 1, diante do Caucaia, às 16 horas, na Arena Castelão, pela segunda rodada da segunda fase do Campeonato Cearense.