PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

57 leitos de Covid-19 serão abertos em hospitais de Fortaleza até a próxima semana

Cinco hospitais de campanha oferecerão mais 200 leitos ainda este mês, na Capital e Interior. Camilo Santana lembra que as medidas de isolamento social devem ser cumpridas para conter o avanço da doença

Leonardo Maia
20:24 | 05/03/2021
Camilo inaugurou leitos de UTI no Hospital Leonardo da Vinci na última sexta-feira, 26. (Foto: CARLOS GIBAJA/ GOV. DO CEARA)
Camilo inaugurou leitos de UTI no Hospital Leonardo da Vinci na última sexta-feira, 26. (Foto: CARLOS GIBAJA/ GOV. DO CEARA)

Ainda este mês, mais 257 leitos de Covid-19 serão abertos no Ceará para tentar conter as altas taxas de ocupação nos hospitais. Serão 57 em hospitais de Fortaleza e 200 em hospitais de campanha pelo Estado. As alas novas estão sendo construídas no Hospital Leonardo da Vinci — que receberá 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) — e no Hospital Waldemar Alcântara — com acréscimo de 37 leitos de enfermaria. Os leitos da Capital serão entregues até o fim da próxima semana, de acordo com a assessoria do Governo do Estado.

O anúncio foi feito na tarde desta sexta-feira pelo governador Camilo Santana, pelas redes sociais. Em relação aos hospitais de campanha, o chefe do Executivo estadual disse que serão implementadas 200 novas vagas ainda em março, mas não especificou quantas serão de UTI e quantas de enfermaria. 

No total, serão abertas cinco novas unidades de campanha: duas em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) na Capital (Messejana e Praia do Futuro) e três nos hospitais regionais de Juazeiro do Norte, Sobral e Quixeramobim. Edital para construção das estruturas foi lançado na última quarta-feira, 3. 

Santana ressaltou que, mesmo com a ampliação, é fundamental que os cearenses cumpram as medidas de isolamento social determinadas em decreto estadual para evitar a proliferação de casos. Na Capital, nesta sexta, foi iniciado o período de lockdown, que vai até o próximo dia 18. No Interior, há cidades que também adotaram ou irão entrar no isolamento social mais rígido, enquanto outras seguem medidas restritivas como o toque de recolher ou apenas o funcionamento de atividades essenciais.

“O momento da pandemia é muito grave, e precisamos continuar firmes nessa luta”, insistiu o governador. Atualmente, 3,2 mil leitos estão abertos em todo o Ceará.

A rede assistencial do Ceará, incluindo as esferas pública e privada, registra ocupação de 90,8% de leitos de UTI nesta sexta-feira, de acordo com dados do IntegraSUS, plataforma da Secretária de Saúde do Estado do Ceará. Em Fortaleza, 10 unidades estão com capacidade máxima de UTIs. O Hospital Leonardo Da Vinci, considerado referência no Estado para tratamento da Covid-19, tem 120 dos 137 leitos ativos ocupados.

Fortaleza e outras 26 cidades cearenses resolveram decretar lockdown. O isolamento rígido, caracterizado pelo funcionamento exclusivo de atividades essenciais e pelo controle da circulação, tem objetivo de conter o avanço da doença. O último bloco de cidades a anunciar a medida inclui Sobral e outros 17 municípios da Zona Norte do Estado.

O POVO questionou a assessoria do Governo do Estado sobre o detalhamento dos tipos de leitos que serão abertos nos hospitais de campanha e aguarda resposta.