PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Ceará terá, em duas semanas, maior taxa do Brasil dos leitos de UTI ocupados com casos graves de coronavírus, afirma Abin

A Abin preparou uma projeção caso a curva da epidemia no Brasil seja semelhante à do Irã, Itália e China

23:11 | 25/03/2020
todos os 180 novos leitos estão ocupados, segundo a Sesa (Foto: Governo do Ceará/Divulgação)
todos os 180 novos leitos estão ocupados, segundo a Sesa (Foto: Governo do Ceará/Divulgação)

Segundo projeção realizada pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), em apenas duas semanas, os casos graves de infecção por coronavírus no Ceará demandarão 46,3% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da região. O estudo, divulgado pelo site The Intercept Brasil, tem como base a curva da epidemia no Brasil, caso seja semelhante à de Irã, Itália e China.

A Abin avalia que dos 18.510 leitos do Estado, 1.799 (9,72%) estarão ocupados por doentes com casos graves de covid-19. Segundo a projeção, das 1.944 UTIs presentes no Ceará, em duas semanas, 900 (46,3%) estarão sendo utilizadas. No entanto, a projeção ainda não contabilizou as 600 UTIs adquiridas pelo governador Camilo Santana no dia 18 de março.

Caso o fenômeno venha a acontecer, o Ceará será o primeiro lugar do País com a maior taxa proporcional de ocupação em decorrência da doença, seguido do Distrito Federal (44,5%), Santa Catarina (30,6%) e Acre (30,4%). No Brasil, o estudo revela que 10.385 leitos ( 17,4%) – dos quase 60 mil disponíveis – estarão ocupados por doentes com casos graves.

O POVO entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que respondeu com a seguinte nota - confira na íntegra.

A Prefeitura de Fortaleza tem adotado, em parceria com o Governo do Estado, uma série de medidas com foco prioritário na saúde para o enfrentamento ao Coronavírus.

Dentre as estratégias adotadas, está a antecipação a um possível cenário mais crítico.

Por isso, a Prefeitura de Fortaleza deu início às obras de construção de uma estrutura hospitalar temporária no Estádio Presidente Vargas para assistir eventuais pacientes acometidos pela Covid-19. O novo equipamento, previsto para ser entregue até o dia 20 de abril, está sendo construído com estrutura inicial de com 204 leitos, podendo chegar a 306 leitos de internação que podem ser transformados em leito de UTI.

Com relação ao atendimento no IJF2, já foram entregues 20 leitos e estão sendo preparados mais 150 leitos, com previsão de entrega até o mês de maio, todos exclusivos para pacientes diagnosticados com Covid-19.

Além destes, a gestão municipal ampliará também os leitos das Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) do Edson Queiroz, Vila Velha, Bom Jardim, Jangurussu e Itaperi, somando no total, mais 140 novos leitos disponibilizados para atender aos fortalezenses.

A Secretária de Saúde do Ceará (Sesa) foi procurada para comentar sobre a projeção, mas até o momento não retornou.

Nesta quarta, 25, chegou a 211 o número de casos confirmados no Ceará do novo coronavírus, Covid-19. Foram 26 casos a mais em comparação com o dia anterior, conforme os números da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). Todos os casos confirmados entre terça e quarta-feira foram de pessoas que moram em Fortaleza. Não há óbitos registrados no Ceará.

A Capital concentra atualmente 196 casos, 92,9% do total do Estado. Os demais casos se distribuem por outros cinco municípios. Seis deles são de moradores de Aquiraz. Quatro são de Sobral. Há ainda doente um morador de Fortim, um de Juazeiro do Norte e um de Mauriti - o prefeito do Município. Há também casos no Ceará de residentes de São Paulo e Uberlândia (MG) - um cada.


 

Confira os casos da Covid-19 confirmados no Ceará por local de residência do paciente

Fortaleza: 196

Aquiraz: 6 

Sobral: 4

Fortim: 1 

Juazeiro do Norte: 1 

Mauriti: 1 

São Paulo: 1

Uberlândia: 1

O número de casos no Ceará está entre os mais elevados do Brasil. O Ministério da Saúde aponta que, por a rede ser muito estruturada, talvez haja maior capacidade de rastreamento e diagnóstico, ou se o número está acima do normal em outros estados. A pasta estudará o que se passa no Estado em relação à pandemia.

Evolução por Estado:


 


Ouça o podcast:

 

Por que se chama coronavírus?

O nome "corona" se deve à coroa de espinhos que o envolve. Esses espinhos estão envolvidos por uma camada de gordura - retirada das próprias células humanas. Ele entra nessa capa de gordura para invadir outras células. Sem esta fina capa de gordura, o coronavírus morre.

Como é a transmissão do coronavírus?

Os coronavírus são transmitidos por ar e por mucosas. O vírus sobrevive bastante tempo em gotículas de espirro e tosse. Para evitar contaminação por meio das gotículas, recomenda-se ficar a pelo menos um metro e meio de pessoas com tosse ou espirrando.

O vírus também está em gotículas aerossóis. Elas são tão minúsculas e finas que ficam suspensas no ar, e contaminam principalmente pessoas que estão em ambientes fechados com ar condicionado.

Veja as recomendações da OMS para prevenir o novo coronavírus:

Lave as mãos frequentemente

Lave as mãos regularmente com álcool em gel ou com água e sabão. O álcool e o sabão matam vírus que podem estar nas mãos.

Mantenha distância social

Mantenha ao menos um a dois metros de distância entre você e pessoas que estejam tossindo ou espirrando. O vírus do Covid-19 é transmitido por gotículas que estão nos corrimentos nasais e saliva. A distância entre pessoas com sintomas de gripe evita que as gotículas cheguem a você.

Evite ficar tocando os olhos, nariz e boca

As mãos tocam todos os tipos de superfície e podem pegar vírus. Uma vez contaminadas, as mãos podem transferir o vírus para os olhos, nariz e boca. De lá, o vírus pode entrar no organismo e adoecer você.

Cubra a boca e o nariz ao tossir ou espirrar

Quando estiver rodeado de pessoas, cubra a boca com a dobra do cotovelo ao espirrar ou tossir. Também é possível usar lenços, que devem ser descartados prontamente depois do uso - dobre-os com a parte usada para dentro, a fim de evitar que o vírus se espalhe.

Se você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, ligue para o posto de saúde

Se você está se sentindo mal, fique em casa. Caso tenha sintomas como febre, tosse e dificuldade em respirar, ligue para o posto de saúde mais próximo. A partir da ligação, os agentes de saúde indicarão o que você deve fazer: se deve ficar em casa, se encaminharão um profissional, ou se você pode ir a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Quais os sintomas do novo coronavírus?

Os sinais do novo coronavírus se assemelham ao de uma gripe comum:

- Febre

- Tosse seca

- Cansaço

- Dificuldade para respirar em alguns casos

- Pode haver dores no corpo

- Congestão nasal

- Coriza

- Dor de garganta

- Há casos de diarreia

- Pode haver infecção do trato respiratório inferior, como nas pneumonias.

Há pessoas que não desenvolvem nenhum sintoma.

Período médio de incubação: cinco dias, com intervalos que chegam a 12 dias - período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

Acompanhe o noticiário sobre a pandemia:

Como prevenir o coronavírus

Quais são os sintomas do Covid-19, o novo coronavírus

Saiba como os idosos devem se proteger contra o coronavírus

Quais cuidados devem ser adotados nas escolas sobre o coronavírus

Quais as orientações para viagens de ônibus durante a pandemia de coronavírus

Qual a taxa de mortalidade do coronavírus?

Igrejas recomendam evitar contato em missas para prevenir coronavírus

OMS declara pandemia de novo coronavírus; entenda o que significa

Acontecimentos ligados à pandemia de coronavírus no mundo

Entenda a diferença entre Coronavírus, Covid-19 e Novo Coronavírus

Entenda a diferença entre quarentena e isolamento

Vacina e tratamento para o coronavírus estão próximos, diz OMS

Secretaria da Saúde cria canais de comunicação para informar sobre coronavírus

Novo coronavírus ameaça o esporte mundial e Jogos Olímpicos

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >