PUBLICIDADE
Saúde
NOTÍCIA

Prevenção: como devemos nos defender do coronavírus?

O biólogo Átila Iamarino explica como o coronavírus funciona e quais medidas preventivas são eficazes para impedir a propagação do Covid-19

Catalina Leite
13:55 | 13/03/2020
A concentração ideal de álcool é 70%. Os álcoois 90% e 100% evaporam muito rápido, antes de matar o coronavírus.
A concentração ideal de álcool é 70%. Os álcoois 90% e 100% evaporam muito rápido, antes de matar o coronavírus. (Foto: DEÍSA GARCÊZ)

O Covid-19, doença causada pelo coronavírus Sars-Cov-2, já chegou a todos os continentes e tem mobilizado o mundo em pesquisas científicas para evitar altos índices de contágio e para desenvolver medicamentos eficazes. A Organização Mundial da Saúde (OMS) elencou medidas preventivas recomendadas em diversas situações epidemiológicas, dependendo do país.

Enquanto isso, medidas gerais devem ser praticadas para evitar a propagação do coronavírus. Mesmo no Ceará, onde não há casos confirmados, nada garante que o Sars-Cov-2 não esteja circulando de fato no Estado. Por isso, o biólogo Átila Iamarino explica ao O POVO como se proteger ao máximo do Covid-19.

+ Leia mais: "Essa seria a primeira pandemia da história passível de ser controlada", diz OMS

Primeiro, é preciso entender a estrutura do Sars-Cov-2. O coronavírus recebe esse nome “corona” pela coroa de espinhos que o envolve. Esses espinhos estão envolvidos por uma camada de gordura - retirada das próprias células humanas. “O vírus tem que estar disfarçado no nosso corpo para entrar nas nossas células. Para isso, ele se encapa com uma gordura das nossas células para invadir outras”, explica Átila.

Sem esta fina capa de gordura, o coronavírus morre. Felizmente, é muito simples removê-la: basta aplicar sabão, álcool 70%, vinagre 10% e detergentes. Por isso, a primeira medida preventiva a ser executada por todas as pessoas é lavar regularmente as mãos com água e sabão, passar álcool em gel e desinfetar superfícies inanimadas com os produtos corretos.

O biólogo ressalta que o ideal é sempre lavar as mãos com água e sabão por 20 segundos. Caso as mãos estejam muito sujas, (por exemplo, enlameadas) o álcool em gel é ineficiente. Também em relação ao álcool, Átila reforça que a concentração ideal é de 70%. Os álcoois com concentração de 90% e 100% evaporam muito rápido, antes de matar os vírus.

Ao lavar as mãos, siga os seguintes passos:

1. Passe sabão e molhe com água;

2. Esfregue a palma de cada mão;

3. Esfregue entre os dedos;

4. Esfregue o polegar de cada mão;

5. Lave o dorso de cada mão;

6. Lave os punhos.

Transmissão por ar e mucosa

Outra característica dos coronavírus é que eles são transmitidos por ar e por mucosas. O vírus sobrevive um bom tempo em gotículas de espirro e tosse. Para evitar contaminação por meio das gotículas, recomenda-se ficar a uma distância de pelo menos um metro e meio de pessoas com tosse ou espirrando.

+ Leia mais: Saiba quais são os sintomas do Covid-19, o novo coronavírus

Entretanto, o vírus também está em gotículas aerossóis. Elas são tão minúsculas e finas que ficam suspensas no ar, e contaminam principalmente pessoas que estão em ambientes fechados com ar condicionado. O biólogo menciona o caso do cruzeiro Diamond Princess, que ficou em quarentena no Japão. Como o ar dentro do navio era reciclado, mesmo aqueles pacientes em isolamento foram infectados pelo Covid-19, já que o vírus viajava pelas tubulações.

Dessa forma, o ideal é evitar aglomerações e ambientes fechados com ar-condicionado. Caso seja inviável deixar de frequentar determinados espaços, Átila recomenda levar um pano com álcool ou detergente para higienizar superfícies tocadas por muitas pessoas. Maçanetas, corrimãos e balaústres de ônibus são alguns dos objetos a serem limpos.

“Limpar superfícies, principalmente metálicas, funciona melhor que usar máscara”, reforça o especialista. As máscaras devem ser utilizadas apenas por pessoas com sintomas.

+ Leia mais: Coronavírus: viagens de ônibus devem seguir orientações da OMS

As recomendações do biólogo correspondem às medidas preventivas da OMS, e devem ser seguidas por todos os brasileiros, mesmo aqueles em regiões sem casos confirmados. Confira as recomendações preventivas da OMS abaixo:

Lave as mãos frequentemente

Lave as mãos regularmente com álcool em gel ou com água e sabão. O álcool e o sabão matam vírus que podem estar nas mãos.

Mantenha distância social

Mantenha ao menos um a dois metros de distância entre você e pessoas que estejam tossindo ou espirrando. O vírus do Covid-19 é transmitido por gotículas que estão nos corrimentos nasais e saliva. A distância entre pessoas com sintomas de gripe evita que as gotículas cheguem a você.

Evite ficar tocando os olhos, nariz e boca

As mãos tocam todos os tipos de superfície e podem pegar vírus. Uma vez contaminadas, as mãos podem transferir o vírus para os olhos, nariz e boca. De lá, o vírus pode entrar no organismo e adoecer você.

Pratique a higiene respiratória

Ou seja, quando estiver rodeado de pessoas, cubra a boca com a dobra do cotovelo ao espirrar ou tossir. Também é possível usar lenços, que devem ser descartados prontamente depois do uso - dobre-os com a parte usada para dentro, a fim de evitar que o vírus se espalhe.

Se você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, ligue para o posto de saúde

Se você está se sentindo mal, fique em casa. Caso tenha sintomas como febre, tosse e dificuldade em respirar, ligue para o posto de saúde mais próximo. A partir da ligação, os agentes de saúde indicarão o que você deve fazer: se deve ficar em casa, se encaminharão um profissional, ou se você pode ir a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Canais de comunicação com a Secretaria da Saúde

 A população pode ligar para os números 3219-5973, 3219-8582 e 98439-0422
A população pode ligar para os números 3219-5973, 3219-8582 e 98439-0422 (Foto: Reprodução/Sesa)