Participamos do

Queiroga responde com "dedo do meio" a protesto de brasileiros nos EUA

Parte da comitiva de Jair Bolsonaro à Assembleia Geral da ONU, ministro da Saúde Marcelo Queiroga fez gesto obsceno a protesto de brasileiros em Nova Iorque; veja vídeo
05:47 | Set. 21, 2021
Autor Bemfica de Oliva
Foto do autor
Bemfica de Oliva Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, respondeu com o "dedo do meio" a manifestantes brasileiros em Nova Iorque na noite dessa segunda-feira, 20. Ele está na cidade como parte da comitiva do governo brasileiro à Assembleia Geral das Nações Unidas.

O momento foi registrado em vídeo, que viralizou nas redes sociais. Nas imagens, Queiroga é visto perdendo a paciência e fazendo o gesto obsceno a um protesto que chegou perto do veículo onde estava parte da comitiva. Os manifestantes responderam com o mesmo gesto.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Veja vídeo de gesto obsceno do ministro Queiroga

A comitiva do governo brasileiro tem passado por diversas situações constrangedoras desde que desembarcou em Nova Iorque. Na segunda-feira, 20, o prefeito da cidade, Bil de Blasio, afirmou em pronunciamento que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sequer deveria ter ido. A frase foi dita em resposta ao fato de que, oficialmente, Bolsonaro não se vacinou contra a Covid-19. Em janeiro, a caderneta de vacinação do presidente foi colocada sob sigilo de 100 anos.

No dia anterior, quando chegou à cidade, Bolsonaro teve que entrar no hotel onde está hospedada a comitiva pela porta dos fundos. A frente do local estava tomada por um protesto contra o presidente.

A recusa de Bolsonaro à vacinação teve outras consequências. Por determinação da Prefeitura, pessoas não vacinadas não podem frequentar áreas fechadas em Nova Iorque. Desde o domingo, 19 quando chegou na cidade, o presidente tem feito suas refeições na rua.

Na noite de domingo, ele e parte da comitiva comeram pizza na calçada de um restaurante. O estabelecimento não tem espaço para refeições, servindo apenas para entregas no balcão, mas o presidente não pôde entrar no local. Na segunda-feira, ele teve que almoçar na área externa de uma churrascaria, pelo mesmo motivo.

Mais notícias de Política

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags