Participamos do

Facção tortura e mata jovem de 19 anos por morar em bairro de grupo rival

Jovem de 19 anos, morador do José Walter, ligou para o pai e repassou o celular para os criminosos; caso aconteceu no Pecém, em São Gonçalo do Amarante, onde trabalhava a namorada do rapaz
06:01 | Out. 22, 2021
Autor Jéssika Sisnando
Foto do autor
Jéssika Sisnando Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Arion Alencar da Silva, de 19 anos, morador do bairro Prefeito José Walter, em Fortaleza,  visitava a namorada no Pecém, município de São Gonçalo do Amarante, na noite da última quinta-feira, 21, e foi morto por integrantes de uma facção criminosa. O crime ocorreu após o jovem ser interrogado pelos faccionados, que, ao descobrirem que ele era morador do bairro da Capital, resolveram matá-lo. Familiares afirmam que a namorada de Arion também foi morta, mas não há confirmação. 

O rapaz foi visitar a namorada, que estava trabalhando no Pecém. O casal estava em uma praça quando foi abordado por integrantes de uma facção criminosa, que iniciou uma série de perguntas. Eles queriam saber onde Arion morava, por qual motivo estava no Pecém e se pertencia a alguma organização criminosa.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O jovem negou pertencer a qualquer tipo de facção, disse o nome completo e explicou que ali era o local de trabalho da namorada. Todo o interrogatório feito pelos criminosos foi filmado e exposto nas redes sociais. Além disso, uma fotografia, que seria do rapaz, morto, também foi divulgada pelos faccionados, que comemoravam a execução. 

Durante o interrogatório, os indivíduos acusaram o jovem de ter citado uma gíria de uma facção criminosa rival e ele disse que não pertence à organização criminosa, mas que ficou com medo pois não sabia qual era a facção que predominava no Pecém. 

Jovem ligou para o pai e repassou o celular para criminosos 

Conforme O POVO apurou, Arion não possuía envolvimento com facção. Ele era pai de uma criança de apenas dois anos de idade e morava com o pai. Não trabalhava formalmente, mas fazia bicos. No momento da abordagem dos criminosos, Arion ligou para o pai e passou o telefone para os faccionados. A família dele chegou a ir até uma delegacia de Polícia Civil, na esperança de encontrar o rapaz com vida, no entanto, foram informados que o corpo dele estava na sede da Perícia Forense. 

Família e amigos dizem que Arion estava no lugar errado

Arion Alencar, 19 anos, foi morto por integrantes de facção
Arion Alencar, 19 anos, foi morto por integrantes de facção (Foto: reprodução/Redes sociais )

Todos da família e amigos estão abalados. O jovem é descrito como uma pessoa alegre e que fazia amizade em todo lugar que ia. No instagram, um amigo publicou fotos de Arion dançando e brincando, imagens dele com o filho recém-nascido e em diversos momentos de descontração.

"A gente nunca sabe quando vai perder alguém e isso dói, mas espero que você esteja em um bom lugar, pois você era um bom menino. Vou sempre lembrar de você assim. Sempre sorridente e alegre. Te amo meu menino, meu anjinho", descreve o amigo.

"Meu Deus eu não me conformo. Queria saber o motivo fizeram essa injustiça. Tão novo, tão cheio de vida, tanta coisa para fazer e infelizmente estava no lugar errado", relata uma familiar.

O POVO entrevistou um amigo de Arion que falou dele como uma pessoa de bem e que não era envolvido com facções. "Nunca foi envolvido com isso. Ele foi muito querido por todos e a gente era muito amigo. O que eu precisava ele estava ali para me ajudar e ajudar quem precisava. Era uma pessoa maravilhosa e não merecia isso. Essa notícia me abalou muito. Ele não era de fazer nada errado", comentou. 

Polícia Civil investiga o caso; corpo do jovem foi abandonado em Caucaia 

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que equipes da Polícia Militar do Ceará (PMCE) e da Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE), por meio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), foram acionadas, nessa quarta-feira (20), para realizar os primeiros levantamentos acerca de um homicídio ocorrido em Caucaia, na Área Integrada de Segurança 11 (AIS 11) do Ceará. O corpo da vítima foi localizado em uma via da zona rural do município, com perfurações decorrentes de disparos de arma de fogo. Uma equipe da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) esteve no local, onde coletou indícios que subsidiarão as investigações. O Núcleo de Homicídios e Proteção à Pessoa (NHPP) da Delegacia Metropolitana de Caucaia (DMC) é a unidade da PC-CE que apura o caso com o objetivo de identificar e capturar os suspeitos de participarem do crime.

Denúncias
A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

As informações podem ser encaminhadas ainda para o telefone (85) 3101-3360, da Delegacia Metropolitana de Caucaia, ou para o número (85) 98198-7555, que é o WhatsApp do NHPP de Caucaia, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Esquartejamento em Caucaia 

Este não é o primeiro caso em que jovens se tornam vítimas das organizações criminosas. No dia 16 de setembro um rapaz chamado Luan, de 23 anos, foi esquartejado e teve a cabeça arrancada e exibida nas redes sociais. O caso aconteceu no Tabapuá, em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza.  Suspeitos da ação foram apreendidos.  

- Tenha acesso a todos os colunistas. Assine O POVO+ clicando aqui.

Mais notícias de Segurança

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags