Participamos do

Pescador pode faturar R$ 7 milhões com vômito de baleia

O tailandês Naron Phetcharaj encontrou a peça rara flutuando em uma praia de Niyom. Especialistas atestaram se tratar da substância âmbar cinza, utilizada na fabricação de perfumes
14:56 | Out. 09, 2021
Autor Isabela Queiroz
Foto do autor
Isabela Queiroz Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Um tailandês de 56 anos voltou de uma pescaria com um pedaço do tesouro marinho de 30 quilos que pode valer uma quantia equivalente a R$ 7,4 milhões. Narong Phetcharaj avistou o objeto branco flutuando no mar da praia de Niyom, na província de Surat Tani, e viu que poderia ser o raro vômito de baleia, que lhe renderia um bom dinheiro.

De acordo com o jornal Daily Mail, o pescador arrastou a peça até a areia para levá-la para casa. Para comprovar que a substância se tratava do âmbar cinza, outro nome para o raro material, o pescador queimou uma pequena parte da peça. O derretimento rápido comprovou que se tratava da substância valiosa. Além disso, especialistas da Universidade Prince of Songkla comprovaram a autenticidade do material.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Eufórico com a descoberta, o tailandês afirmou que se conseguir vender a peça por um bom valor vai parar de trabalhar como pescador e dar uma festa para os seus amigos. "Estou tão animado que não sei o que fazer. Pretendo vender, porque já recebi um certificado que prova que ele é real", disse Narong.

O âmbar cinza, conhecido como vômito de baleia, é uma substância formada no intestino das baleias cachalotes e pode ser encontrada flutuando no mar ou arrastada pela correnteza até as costas litorâneas. Considerado raro, o material é muito valioso por ser usado pela indústria farmacêutica na fabricação de perfumes, por ter propriedades que prolongam a fixação das fragrâncias. O francês Chanel Nº 5, por exemplo, contém o âmbar cinza em sua composição.

Tenha acesso a todos os colunistas. Assine O POVO+ clicando aqui

MAIS NOTÍCIAS DE CURIOSIDADES

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags