Caso Kaianne: audiência para decidir se acusado vai à júri ocorre no próximo dia 6

Leonardo é acusado de articular e pagar executores

A audiência para decidir se acusado de matar a contadora Kaianne Bezerra vai a júri popular ocorre no próximo dia 6 de junho. A mulher foi morta no dia 26 de agosto de 2023 dentro da própria residência no Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza. Leonardo Nascimento Chaves, companheiro da vítima, foi preso em setembro de 2023.

Inicialmente havia suspeita de latrocínio (roubo seguido de morte), mas as investigações apontaram para um crime de feminicídio cometido pelo próprio companheiro da contadora. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Leonardo e Kaianne eram casados e no dia do crime o homem estava na calçada de casa quando homens invadiram a residência. A Polícia Militar foi acionada e encontrou a contadora morta. Leonardo estava em um compartimento nos fundos da casa.

Em depoimento, ele relatou que molhava as plantas do lado de fora quando foi rendido por assaltantes e em seguida trancado. Um dos criminosos foi até ele e o outro rendeu a contadora, que estava no quarto. 

As investigações resultaram nas prisões dos acusados de invadir a casa, entre eles um adolescente e um motorista de aplicativo. No depoimento de Leonardo, companheiro de Kaianne, ele relata que esteve um estabelecimento comercial no município horas antes do crime. 

Ao checar as imagens, a Polícia identificou que Leonardo esteve no estacionamento com o adolescente e o motorista de uber. Imagens das câmeras de vigilância flagraram o encontro do companheiro de Kaianne com os executores do crime. 

Confrontado com as imagens, o adolescente declinou o nome de Leonardo como o responsável por articular e contratar os responsáveis pela ação. Leonardo foi preso e teve a prisão mantida pela Justiça. 

 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Segurança pública Ceará feminicídio Ceará violência contra mulher

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar