PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Caso Neymar: Najila Trindade é indiciada por fraude processual, denúncia caluniosa e extorsão

O ex-marido de Najila, Estivens Alves, foi denunciado por fraude processual e divulgação de conteúdo erótico

13:59 | 10/09/2019
(Foto: Reprodução)

A modelo Najila Trindade foi indiciada pela Polícia Civil de São Paulo por fraude processual, denúncia caluniosa e extorsão. Ela acusou o jogador de futebol Neymar de estupro e agressão no último mês de maio. O ex-marido de Najila, Estivens Alves, foi denunciado por fraude processual e divulgação de conteúdo erótico. As informações são da IstoÉ.

O indiciamento de Najila ocorre após a conclusão de dois inquéritos que investigavam as acusações contra Neymar. Por falta de provas, o jogador não foi indiciado. Os novos inquéritos, que irão apurar supostos crimes cometidos por Najila e pelo ex-marido, foram encaminhados ao Tribunal de Justiça para apreciação dos representantes do Ministério Público e do Poder Judiciário.

“Com base no conjunto probatório reunido durante as investigações, a delegada decidiu pelo indiciamento de N. e Estivens Alves seu ex-companheiro, pelo crime de fraude processual (art. 347, parágrafo único, CP). Decidiu, ainda, por indiciar Alves pelo artigo 218-C, por divulgar material com conteúdo erótico de N. para um repórter, em troca de publicações suas na internet. Após o esclarecimento da materialidade delitiva, procedida à realização das respectivas perícias e oitivas, a autoridade também decidiu pelo indiciamento de N. nos crimes de denunciação caluniosa e extorsão”, informou nota divulgada pela Secretaria da Segurança Pública de São Paulo.

Relembre o caso

As investigações do possível estupro cometido por Neymar começaram no dia 31 de maio, quando Najila Trindade registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia de Defesa da Mulher, em São Paulo.

Leia mais: Neymar acusado de estupro por mulher: confira o que se sabe até agora sobre as investigações

De acordo com a modelo, o crime teria acontecido durante um encontro com o jogador em um hotel de Paris, na França. No depoimento, Najila contou que Neymar estava alterado e que a forçou a fazer sexo sem preservativo.

Neymar usou as redes sociais para divulgar as conversas que teve com a modelo e negou ter cometido o crime. Durante as investigações Neymar prestou depoimento e chegou a afirmar que estava sendo vítima de extorsão por parte de Najila.

O atacante não foi indiciado após conclusão do inquérito pela 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, em Sâo Paulo, no dia 29 de julho último.