Participamos do

Nos últimos dez jogos, Fortaleza sofreu 60% dos gols em lances de bola parada

Tricolor tomou 15 gols nos últimos dez compromissos, entre Série A e Copa do Brasil, e viu nove tentos saírem em jogadas oriundas de escanteios, faltas e até lateral
14:42 | Out. 21, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Repórter de Esportes
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A goleada sofrida por 4 a 0 para o Atlético-MG, na última quarta-feira, 20, no Mineirão, pela semifinal da Copa do Brasil, foi um reflexo do momento instável do sistema defensivo do Fortaleza na temporada. Dos 15 gols sofridos nos últimos dez jogos, nove foram oriundos de lances de bolas paradas - ou seja, 60% do total (assista aos lances abaixo).

Nos dez compromissos recentes - oito pela Série A e dois pela Copa do Brasil -, o Tricolor somou cinco derrotas e cinco vitórias. Além do revés para o Galo, também aconteceram placares elásticos contra Atlético-GO (3 a 0) e Flamengo-RJ (3 a 0), por exemplo. Entre falhas individuais e coletivas, nove gols saíram em bola parada: escanteios, faltas e até cobrança de lateral.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A série negativa da retaguarda teve início em outra derrota para o próprio Atlético-MG, por 2 a 0, pelo Brasileirão. No Castelão, Junior Alonso aproveitou cobrança de escanteio de Nacho Fernández e balançou as redes. No triunfo por 3 a 1 sobre o São Paulo, pelo mata-mata nacional, após cobrança de falta cruzada, Gabriel Sara aproveitou o bate-rebate na área e mandou para as redes.

Na sequência, o Internacional-RS bateu o Leão por 1 a 0 no Beira-Rio ao aproveitar cobrança rápida de lateral, em que Yuri Alberto tocou para Edenílson, e o volante marcou o único gol. A defesa voltou a sucumbir na derrota por 3 a 0 para o Atlético-GO: no primeiro tento, Dudu cobrou falta cruzada, Marcelo Benevenuto e Felipe Alves não conseguiram cortar, e Felipe marcou contra.

Em outro duelo no Castelão, o cenário se repetiu em dose dupla: no 3 a 0 para o Flamengo-RJ, Pedro aproveitou cobrança de escanteio de Andreas Pereira - e falha de Felipe Alves - para abrir a contagem; pouco depois, Andreas cobrou falta direto para o gol, a bola desviou na defesa, o goleiro defendeu e Michael aproveitou a sobra para ampliar.

Diante do Galo, em Belo Horizonte, foram mais três gols oriundos de lances de bola parada. No primeiro, Hulk cobrou falta da entrada da área, Titi cortou e Guilherme Arana aproveitou a sobra para acertar belo chute. No segundo, Keno serviu Réver em cobrança de escanteio. Para dar números finais ao duelo, Zaracho aproveitou rebote de Felipe Alves após cobrança de falta de Arana e marcou por cobertura.

"Eu considero que os dois primeiros gols foram muito perto um do outro. O primeiro gol se inicia em uma falta, bola parada, e a bola entra no ângulo, muito difícil. O segundo gol também em uma bola parada. Nós temos que corrigir isso, é seguir trabalhando", reconheceu o técnico Juan Pablo Vojvoda, em entrevista coletiva no Mineirão.

Em busca de ajustes defensivos, o Fortaleza volta a campo no próximo sábado, 23, diante do Athletico-PR, às 19h15min, no Castelão, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags