PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

"É prematuro", diz presidente do Sindicato dos Atletas do Ceará sobre volta do futebol em maio

Marcos Gaúcho, presidente do Safece, espera que não haja decisões precipitadas neste momento de crise e relata preocupação dos atletas

Lucas Mota
16:55 | 29/04/2020
Futebol cearense ainda não definiu data de retorno
Futebol cearense ainda não definiu data de retorno (Foto: JÚLIO CAESAR/O POVO)

Mescla de cautela e ansiedade. Os jogadores do futebol cearense acompanham com atenção e preocupação os movimentos dos clubes e das entidades sobre as possibilidades de retorno do esporte em maio. Mantendo contato frequentes com os profissionais da bola, o presidente do Sindicato dos Atletas do Ceará (Safece), Marcos Gaúcho, espera que não haja decisões precipitadas neste momento de crise.

+ FutCast #93 | Robinson de Castro abre o jogo: preocupação com coronavírus, testagem do elenco e volta do futebol

"Acho que tem que ter cautela. É prematuro. Uma vida vale muito mais que mil gols. Se o futebol volta em maio, quem assina se responsabilizando?", questionou.

+ Sem prazo estabelecido e na espera de manual da CBF, Fortaleza adota cautela sobre volta em maio

O sindicalista explica que os jogadores estão ansiosos para o retorno pela questão financeira, mas preocupados com a possibilidade de contaminação do coronavírus.

"Eles querem resolver o quanto antes porque reflete no lado financeiro, principalmente aqueles que jogam em divisões menores. Mas há uma preocupação grande quanto à saúde. O atleta não se preocupa só com ele, mas também com os familiares, pessoas de risco."

+ Marcelo Paz detalha balanço de abril e ações para enfrentar a crise: "perdeu muitas receitas"

Marcos Gaúcho diz ainda que a classe está assustada com as perspectivas diante do posicionamento do Comitê Médico da Fifa, que sugeriu volta do esporte apenas para setembro. O presidente do Sindicato explica que nem todos os clubes terão condições de seguir o protocolo de segurança da CBF. "Temos dois, três clubes cearenses dos oito (na segunda fase do Campeonato Cearense) com condições de seguir o protocolo diante do custo. Será que o Barbalha tem condições? Quem pagará os testes? Repito: é preciso ter cautela."

Há um grupo no WhatsApp com representantes do sindicatos e de atletas dos oito clubes da segunda fase do estadual. Entre os jogadores, estão Marcelo Boeck e Osvaldo, do Fortaleza; Ricardinho e Fernando Prass, do Ceará; Erandir, do Caucaia; e Daniel, do Atlético-CE.

"Nós conversamos sobre o assunto. Ninguém quer se precipitar com posicionamento. Mas há sentimento de cautela, estão acompanhando os protocolos, as matérias", afirma.

No Estado, apenas Ceará e Fortaleza já se manifestaram sobre adquirir testes de detecção do coronavírus. Os presidentes dos dois clubes, Robinson de Castro e Marcelo Paz, vão aguardar a posição do Governo do Estado sobre o isolamento social no próximo decreto para definir retorno.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) articula a volta dos jogos dos estaduais no fim de semana de 16 e 17 de maio e deu o aval aos clubes para que retomem as atividades a partir do dia 1º de maio, quando encerra o período de férias coletivas dos jogadores.