Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

O que fazer se perdi agendamento de primeira ou segunda dose em Fortaleza?

Casos específicos permitem comparecer aos pontos de vacinação sem agendamento ou repescagem, para primeira e segunda doses; é preciso conferir a programação de cada local para evitar transtornos
07:41 | Ago. 12, 2021
Autor Júlia Duarte
Foto do autor
Júlia Duarte Estagiária
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Conforme a vacinação avança em Fortaleza, mais moradores vão sendo chamados para receber a primeira dose ou completar seu esquema de imunização com a segunda dose contra o coronavírus. Em alguns casos, o fortalezense pode acabar perdendo a data do agendamento e, por isso, a Prefeitura de Fortaleza define procedimentos a serem feitos nesses casos.

Confira o que fazer caso tenha perdido o agendamento da vacinação contra Covid-19

Confira o agendamento

O público da Capital pode conferir seu agendado por meio das listas diárias publicadas no site da Prefeitura de Fortaleza, por meio do portal coronavírus. Além disso, pode verificar possíveis agendamentos no site Vacine Já, no link. Segundo o coordenador da Rede de Atenção Primária e Psicossocial, Erlemus Soares, conferir os dois locais é importante para evitar perder o dia da vacinação. "É muito importante que você não perca esse agendamento. Se você ainda não olhou a lista hoje, isso tem que ser uma coisa rotineira", pontuou ele. 

Mais recentemente, o aplicativo Mais Saúde Fortaleza, da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), notifica o agendamento da vacinação contra a Covid-19 na Capital para os usuários cadastrados no Saúde Digital. Com as mensagens no WhatsApp ainda indisponíveis, a ferramenta está disponível para download nos dispositivos Android e iOS.

Perdeu primeira dose

Quem perdeu a data deve esperar repescagem em dia definido pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Algumas exceções podem se deslocar para um um ponto de vacinação sem um novo agendamento ou data definida. É preciso, entretanto, consultar no site da Prefeitura de Fortaleza os locais que estão aplicando primeiras doses, para evitar transtornos. 

LEIA MAIS| Quem perdeu agendamento da vacinação de Covid-19 deve esperar repescagem

Público com 40 anos ou mais que ainda não se vacinou: pode se encaminhar a qualquer centro de vacinação contra a Covid-19 sem precisar de agendamento para receber a D1. É preciso realizar cadastro no Saúde Digital e ter recebido confirmação via email.

Pessoas com diagnóstico de Covid-19 no dia da vacinação: a orientação é esperar por 30 dias contando a partir do dia do primeiro sintoma da infecção. Quem perdeu o agendamento nessa circunstância pode se encaminhar diretamente a um dos centros de vacinação portando resultado do teste que comprove a infecção.

Quem perdeu agendamento porque tomou a vacina contra a gripe ou outro tipo de imunizante: deve esperar por 14 dias. Após esse período, a pessoa também pode se encaminhar a um dos centros de vacinação com o comprovante de vacinação em mãos.

Pessoas que estavam viajando por motivos de trabalho: assim que chegar pode procurar um ponto de vacinação portando um comprovante da viagem, especificando que foi realizada a trabalho.

Perdeu segunda dose 

As pessoas que já tomaram a primeira dose (D1) e perderam sua data da aplicação da segunda dose (D2) podem procurar os pontos definidos para cada tipo de imunizante, sem necessidade de agendamento. A mesma recomendação vale para quem chegou a data limite do cartão de vacinação e não foi chamado. 

Segundo Erlemus Soares, determinados pontos de vacinação separam estoque justamente para esses casos. O Centro de Eventos reúne todos os três imunizantes aplicados no Ceará que precisam de segunda dose: Pfizer, Coronavac e AstraZeneca. Já os Cucas devem ser procurados em casos de segunda dose de Coronavac e os postos de saúde no caso de AstraZeneca. 

Pontos de vacinação

A campanha contra a Covid-19 em Fortaleza conta com 113 pontos de vacinação. São 100 postos de saúde, três policlínicas, Sesi Parangaba, shoppings (RioMar Papicu, RioMar Kennedy e Iguatemi), além dos quatro Cucas (Barra, Jangurussu, Mondubim e José Walter).

Confira os endereços dos postos de saúde:

- Regional I

Airton Monte (Rua Alberto Oliveira, s/n - Jardim Iracema)
Carlos Ribeiro (Rua Jacinto Matos, 944 – Jacarecanga)
Casemiro Filho (Av. Francisco Sá, 6449 - Barra do Ceará)
Francisco Domingos (Avenida Castelo Branco, 4707 - Barra do Ceará)
Fernando Façanha (Rua Rio Tocantins, s/n - Jardim Iracema)
Floresta (Rua Ten. José Barreira, 251 - Álvaro Weyne)
Guiomar Arruda (Rua General Costa Matos, 06 – Pirambu)
Maria Aparecida (Av. K, 915 - Vila Velha)
Lineu Jucá (Rua Vila Velha, 101 - Barra do Ceará)
Paulo de Melo (Rua Bernardo Porto, 497 - Monte Castelo)
4 Varas (Rua Profeta Isaías, 456 – Barra do Ceará)
Rebouças Macambira (Rua Creuza Rocha, s/n - Jardim Guanabara)
Virgílio Távora (Av. Mons. Hélio Campos, s/n - Cristo Redentor)
Zenirton Pereira (Rua José Roberto Sales, 475 – Barra do Ceará)

- Regional II

Aida Santos e Silva (Rua Trajano de Medeiros, 813 - Vicente Pinzón)
Benedito Arthur de Carvalho (Rua Jaime Leonel, 228 - Luciano Cavalcante)
Flávio Marcílio (Av. Abolição, 416 – Mucuripe)
Frei Tito (Rua José Cláudio Costa Lima, 100 - Praia do Futuro)
Irmã Hercília Aragão (Rua Frei Vidal, 1821 – São João do Tauape)
Miriam Porto Mota (Rua Cel. Jucá, 1636 – Aldeota)
Odorico de Morais (Rua Esperantina, s/n - Cais do Porto)
Pio XII (Rua Belizário Távora, s/n - Pio XII)
Rigoberto Romero (Rua Alameda das Graviolas, 195 - Cidade 2000)

- Regional III

Anastácio Magalhães (Rua Delmiro de Farias, 1679 - Rodolfo Teófilo)
César Cals de Oliveira Filho (Rua Pernambuco, 3172 – Pici)
Clodoaldo Pinto (Rua Banward Bezerra, 100 - Padre Andrade)
Cdfam Profº Gilmário Mourão (Rua Pernambuco, 1674 – Pici)
Eliézer Studart (Rua Tomáz Cavalcante, 546 - Autran Nunes)
Fernandes Távora (Rua Maceió, 1354 - Henrique Jorge)
Francisco Pereira De Almeida (Rua Paraguai, 351 - Bela Vista)
George Benevides (Rua Pio Saraiva, 168 - Quintino Cunha)
Hermínia Leitão (Rua Gen. Couto, 470 - Quintino Cunha)
Humberto Bezerra (Rua Hugo Victor, 51 - Antônio Bezerra)
Lícinio Nunes De Miranda (Rua 06, s/n - Quintino Cunha)
Luís Recamonde Capelo (Rua Maria Quintela, 935 – Bonsucesso)
Mariusa Silva Sousa (Rua Araça, s/n – Bonsucesso)
Meton de Alencar (Rua Perdigão Sampaio, 820 - Antônio Bezerra)
Sobreira de Amorim (Rua Des. Luís Paulino, 190 - Jóquei Clube)
Waldemar Alcântara (Rua Silveira Filho, 903 - Jóquei Clube)

- Regional IV

Abel Pinto (Travessa Goiás, s/n - Demócrito Rocha)
Dom Aloiso Lorscheider (Rua Betel, 1895 – Itaperi)
Francisco Monteiro (Av. Dos Eucaliptos, s/n – Dendê)
Gothardo Peixoto F. Lima (Rua Irmã Bazet, 153 - Damas)
Gutemberg Braun (Rua Monsenhor Agostinho, 505 - Vila Peri)
Jose Valdevino Carvalho (Rua Guará, S/N – Itaoca)
Oliveira Pombo (Rua Rio Grande do Sul, s/n - Couto Fernandes)
Antônio Ciríaco (Rua Gomes Brasil, 555 – Parangaba)
Roberto Bruno (Av. Borges de Melo, 910 – Fátima)
Turbay Barreira (Rua Gonçalo Souto, 420 - Vila União)

- Regional V

Argeu Herbster (Rua Geraldo Barbosa, 1095 - Bom Jardim)
Dom Lustosa (Rua A, s/n - Granja Lisboa)
Edmilson Pinheiro (Av. H, 2191 - Granja Lisboa)
Fernando Diógenes (Rua Teodoro de Castro, s/n - Granja Portugal)
Graciliano Muniz (Rua 106, 345 - Conjunto Esperança)
Guarany Mont'alverne (Rua Geraldo Barbosa, 3230 - Granja Lisboa)
João Pessoa (Rua Rubi, s/n – Jardim Jatobá)
João Elísio Holanda (Rua Juvêncio Sales, s/n – Aracapé)
José Galba de Araújo (Av. Sen. Fernandes Távora, 3161 - Genibaú)
José Paracampos (Rua Alfredo Mamede, 250 – Mondubim)
Jurandir Picanço (Rua Duas Nações, s/n - Granja Portugal)
Luciano Torres de Melo (Rua Delta, 365 - Manoel Sátiro)
Luiza Távora (Travessa São José, 940 – Mondubim)
Maciel de Brito (Av. A, s/n - 1ª etapa Conjunto Ceará)
Parque São José (Rua Des. Frota, s/n - Parque São José)
Pedro Celestino (Rua Gastão Justo, 215 - Maraponga)
Pontes Neto (Rua 541, nº 150 - 2ª etapa Conjunto Ceará)
Regina Maria Severino (Rua Itatiaia, 889 – Canindezinho)
Régis Jucá (Av I, 618 – Mondubim)
Ronaldo Albuquerque (Av I, s/n - Conj. Ceará/Genibaú)
Siqueira (Rua. Eng. Luís Montenegro, 485 – Siqueira)
Viviane Benevides (Rua João Areas, 1296 - Manoel Sátiro)

- Regional VI

Alarico Leite (Av. dos Paroaras 301 – Passaré)
Anísio Teixeira (Rua Guarany, 355 - Pq. Itamaraty)
César Cals de Oliveira (Rua Capitão Aragão, 555 - Alto da Balança)
Edilmar Norões (Rua H, 319 - Parque Dois Irmãos)
Edmar Fujita (Av. Alberto Craveiro, 1480 - Boa Vista)
Evandro Ayres de Moura (Av. Castelo de Castro, s/n - Conj. Palmeiras)
Acrísio Eufrasino de Pinho (Cruzamento das ruas 12 e Palmeiras dos Índios – Pedras)
Escola Municipal Bárbara de Alencar - Uaps Fausto Freire (Av. Isabel Bezerra, 416 - Parque Santa Maria)
Galba de Araújo (Av. Recreio, 1390 – Lagoa Redonda)
Hélio Góes Ferreira (Av. Eng. Leal Limaverde, 453 – Sapiranga)
Jangurussu (Rua Estrada do Itaperi, 146 - Passaré)
Janival de Almeida (Rua Coelho Garcia, 25 – Passaré)
João Hipólito (Rua 03, nº 88 - Dias Macêdo)
José Barros de Alencar (Rua José Nogueira, 180 – Pedras)
Luís Franklin (Rua Alexandre Vieira, s/n - Coaçu)
Manoel Carlos Gouveia (Av. Des. Faustino Albuquerque, 486 - Jardim das Oliveiras)
Maria de Lourdes (Rua Reino Unido, 115 – Jardim das Oliveiras)
Maria Grasiela (Rua Edésio Monteiro, 1450 - Santa Fé)
Marcus Aurélio Rabelo (Rua Iracema, 1100 - Santa Filomena)
Mattos Dourado (Av. Des. Floriano Benevides, 391 - Edson Queiroz)
Melo Jaborandi (Rua 315, nº 80 – Jangurussu)
Messejana (Rua Guilherme Alencar s/n - Messejana)
Monteiro de Moraes (Av. Evilásio Miranda s/n - Sapiranga Coité)
Osmar Viana (Av. Chiquinha Gonzaga, s/n – Jangurussu)
Otoni Cardoso do Vale (Rua José Teixeira Costa, 643 – Paupina)
Pompeu Vasconcelos (Rua 05, s/n, Conj. João Paulo II – Barroso)
Sítio São João (Rua Verde Cinco, 71 – Jangurussu)
Terezinha Parente (Rua Nelson Coelho 209 – Lagoa Redonda)
Waldo Pessoa (Rua Cap. Hugo Bezerra, 75 – Barroso)

Mais sobre vacina contra a Covid-19

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Jangurussu: jovens realizam sarau para conscientizar sobre temas LGBTQIA+

Diversidade
07:15 | Ago. 12, 2021
Autor
Tipo Noticia

Na manhã desta quarta-feira, 11, cerca de 25 jovens apresentaram um sarau voltado para a valorização e conscientização sobre a população LGBTQIA+ no Jangurussu. A ação aconteceu no Centro de Inclusão Tecnológica e Social (Cits) e faz parte do programa Virando o Jogo, uma política pública do governo estadual voltada para jovens entre 15 e 19 anos, que tem como objetivo recuperar alunos que estão fora da escola e do mercado de trabalho, dando acesso a renda e capacitação.

Os jovens realizaram apresentações teatrais, musicais e de dança. Para Lucas Félix, 20, o intuito, ao abordar esse tema, é quebrar um preconceito que ainda é percebido no bairro. “Na nossa comunidade tem muitas pessoas do meio LGBTQIA+ e não vemos essas pessoas engajadas ou como vozes ativas no bairro, pelo contrário, o que vemos é preconceito e piadinhas no meio da rua”, explica.

Atualmente, Lucas participa do curso do projeto e trabalha como atendente em uma pizzaria, mas, antes da pandemia, atuava em grupo de dança como dançarino e coreógrafo. A receptividade da população que assistiu as apresentações agradou os jovens. “Tinha idoso na platéia prestigiando e elogiando a beleza e, principalmente, pessoas que entenderam a mensagem que passamos”, conta Celiane Xavier, 20, que também se apresentou no sarau.

O projeto Virando o Jogo contempla os bairros de maior vulnerabilidade social na capital. O Jangurussu, por exemplo, em 2020 foi o bairro com mais assassinatos na capital.

Os participantes do projeto gostaram tanto da experiência que decidiram criar um coletivo no bairro chamado "Jangu Livre", em referência ao filme de Quentin Tarantino. O objetivo é que o coletivo funcione como um respaldo para os moradores do bairro, além de continuar com as ações de conscientização sobre a vulnerabilidade da população LGBTQIA+. “Com isso, já estamos planejando uma ação chamada o ‘carimbão da comunidade' para outubro. A gente quer pegar esse esporte comum no bairro e criar um torneio”, planeja Lucas.

O projeto possui uma parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), para qualificação profissional e inserção produtiva dos jovens. Dentre os cursos ofertados estão os de fotografia, barbearia, eletricista, vendas e outros.

Mais sobre ações sociais

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará soma 23.775 mortes e mais de 924 mil casos por Covid-19

Números da pandemia
03:18 | Ago. 12, 2021
Autor Lara Vieira
Foto do autor
Lara Vieira Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O Ceará registrou 592 novos casos de Covid-19 e 34 mortes, nesta quarta-feira, 11. A quantidade de casos foi de 924.062, nessa terça-feira, 10, para, 924.654, nesta quarta-feira. Em relação ao número do óbitos, o sistema registra um total de 23.775. Os dados são do IntegraSUS, plataforma de transparência atualizada pela Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa), consolidados às 16h41min.

Nenhum óbito com causa confirmada por Covid-19 foi registrado nas últimas 24 horas. Devido ao atraso que ocorre para que mortes mais recentes entrem no sistema, vítimas da Covid-19 que faleceram no mesmo período podem ser registradas posteriormente.

No Estado, há atualmente, 647.968 pessoas recuperadas da doença e 40.692 com suspeita de infecção. A taxa de letalidade — proporção de mortes entre os casos confirmados — é de 2,6%. Foram realizados 2.546.166 exames para detecção do coronavírus no Ceará até o momento.

Covid-19: números do Ceará

924.654 casos confirmados
23.775 óbitos
2,6% de taxa de letalidade
2.546.166 exames
647.968 pessoas recuperadas
Nenhum óbito confirmado nas últimas 24 horas

Taxa de letalidade

Há uma diferença entre taxa de mortalidade e de letalidade de uma doença. A taxa de mortalidade se refere à quantidade de pessoas que morreram por uma doença em relação à população total de um lugar — seja uma cidade, estado, país, ou até mesmo o mundo inteiro. Já a taxa de letalidade se refere à quantidade de pessoas que morreram por uma doença em relação à quantidade de infectados por ela.

Campanha de vacinação

Na campanha de vacinação contra a Covid-19 no Estado, todos os municípios cearenses já começaram a vacinar a população em geral. A nova etapa da campanha acontece de forma escalonada por ordem decrescente de idade, a partir dos 59 anos. Para receber a vacina, as pessoas devem estar devidamente cadastradas na plataforma Saúde Digital, da Sesa.

Além do público em geral, as pessoas incluídas nos grupos prioritários das fases 1, 2, 3 e 4, do PNI, estão recebendo os imunizantes contra o coronavírus em paralelo. Dentre as categorias, estão: trabalhadores da saúde, idosos, indígenas, quilombolas, pessoas com comorbidades, grávidas, puérperas, pessoas portadoras de deficiência, moradores de rua, trabalhadores da educação, profissionais do transporte coletivo rodoviário, metroviário, aéreo, aquaviário, portuários entre outros.

Evolução do coronavírus no Ceará

Casos de coronavírus no Ceará em 10 de agosto (10/8)

Casos de coronavírus no Ceará em 9 de agosto (09/8)

Casos de coronavírus no Ceará em 8 de agosto (08/8)

Casos de coronavírus no Ceará em 7 de agosto (07/8)

Casos de coronavírus no Ceará em 6 de agosto (06/8)

Casos de coronavírus no Ceará em 5 de agosto (05/8) 

Não houve atualização da plataforma IntegraSUS em 4 de julho (04/8)

Casos de coronavírus no Ceará em 3 de agosto (02/8)

Casos de coronavírus no Ceará em 2 de agosto (02/8)

Casos de coronavírus no Ceará em 31 de julho (31/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 30 de julho (30/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 29 de julho (29/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 28 de julho (28/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 27 de julho (27/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 26 de julho (26/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 24 de julho (24/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 23 de julho (23/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 22 de julho (22/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 21 de julho (21/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 20 de julho (20/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 18 de julho (18/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 17 de julho (17/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 16 de julho (16/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 15 de julho (15/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 14 de julho (14/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 11 de julho (11/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 10 de julho (10/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 9 de julho (9/7)

Casos de coronavírus no Ceará em 8 de julho (8/07)

Casos de coronavírus no Ceará em 7 de julho (7/07)

Casos de coronavírus no Ceará em 6 de julho (6/07)

Casos de coronavírus no Ceará em 5 de julho (5/07)

Casos de coronavírus no Ceará em 4 de julho (4/07)

Casos de coronavírus no Ceará em 3 de julho (3/07)

Casos de coronavírus no Ceará em 2 de julho (2/07)

Casos de coronavírus no Ceará em 1 de julho (1º/07)

Casos de coronavírus no Ceará em 30 de junho (30/06)

Casos de coronavírus no Ceará em 28 de junho (28/06)

Casos de coronavírus no Ceará em 27 de junho (27/06)

Casos de coronavírus no Ceará em 26 de junho (26/06)

Casos de coronavírus no Ceará em 25 de junho (25/06)

Casos de coronavírus no Ceará em 24 de junho (24/06)

Casos de coronavírus no Ceará em 23 de junho (23/06)

Casos de coronavírus no Ceará em 22 de junho (22/06)

Casos de coronavírus no Ceará em 21 de junho (21/06)

Casos de coronavírus no Ceará em 20 de junho (20/06)

Casos de coronavírus no Ceará em 19 de junho (19/06)

Casos de coronavírus no Ceará em 18 de junho (18/06)

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Só imagino o que pensam os funcionários da fábrica da Troller

Economia
01:05 | Ago. 12, 2021
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Autor
Ver perfil do autor
Tipo

O fim da Ford no Brasil já vem sendo anunciado desde janeiro deste ano, mas esta semana mais uma novidade pegou de surpresa os cearenses. A morte com data marcada, 31 de dezembro, foi antecipada para setembro, na fabricação de carros, e para novembro, na produção de peças, da fábrica da Troller, em Horizonte, de propriedade da montadora norte-americana. 

O que fica claro agora é que as surpresas nunca têm fim, não se tem um horizonte. Por mais que sejam feitos anúncios e avisos de “se prepara aí”, sempre é possível ser surpreendido com decisões que estão longe do nosso poder de controle. Decisões internacionais, distantes da vida corriqueira de quem precisa pagar conta de luz, água e IPTU, são tomadas e impactam famílias que viviam o sonho de estabilidade, trabalho especializado e ainda de ter uma marca como orgulho: “Trabalho na Troller”.

 

Só imagino, como trago no título deste artigo, o que se discute na mesa de jantar das mais de 470 famílias que dependem da fábrica a ser fechada neste momento. “Amor, não sei como será.”; “Mas o governo vai lutar para ter um novo comprador”; “É assim mesmo, a gente se dedica e dá nisso”.

Para além da minha imaginação, quiçá cheia de elucubrações, existe sim uma névoa de falta de informações na questão do fim da Ford no Brasil. Para exemplificar digo que desde terça-feira, 10, mandei várias perguntas ao e-mail [email protected] e nada de respostas.

As perguntas:

.Como fica a negociação com os funcionários a partir desse encerramento de atividades?

.A Ford produzirá Troller em outra parte do mundo já que não abrirá mão da marca?

.Por que as negociações para venda não andaram já que o Governo do Estado do Ceará disse até que tinham quatro investidores interessados?

.Como ficará a reposição de peças aos proprietários dos veículos?

Sei que as perguntas são para responder ao anseio da apuração jornalística, mas o resultado esperado é para responder às partes diretamente envolvidas nesse processo.

Não ter retorno é indignante, assim como foi ao governo do Estado do Ceará e à Prefeitura de Horizonte. O secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará, Maia Júnior, lançou de cara: "A marca Troller não é mundial, foi criada por cearneses!”.

Em Horizonte, o prefeito Nezinho Farias (PDT), que disse estar tentando agenda com os representantes da montadora em São Paulo, declarou: "A gente precisa até entender o que é. Foi uma decisão muito ruim da empresa de não vender mais a marca, mas só os galpões. O acordado não era isso".

Quando vamos ao sindicato dos trabalhadores da Troller, que representa o lado mais frágil, aí que a coisa fica mais alarmante. A luta da Força Sindical é por garantir direitos nos 45 minutos do segundo tempo. A garantia de estabilidade por um ano deve ser o foco das tratativas entre os representantes dos operários e a diretoria da Troller, segundo informou Raimundo Nonato Gomes, presidente da Força Sindical no Ceará.

Sem o acordo de venda da fábrica para um investidor ainda anônimo, mais de 470 operários devem ficar desempregados e Gomes disse buscar acordos semelhantes aos feitos pela montadora quando encerrou as atividades em Taubaté (SP) e Camaçari (BA).

No plano de demissão incentivada executado na unidade de São Paulo, um dos itens garantiu que, "além das verbas rescisórias, a empresa (deve) efetuar o pagamento de indenização equivalente a 205% do salário nominal mensal do empregado, por ano de serviço na empresa".

Com a estabilidade requerida pela Força Sindical, como apurou o repórter especial do O POVO Armardo Lima, Gomes explica que o operário só deve receber o salário base, sem os adicionais, que por ventura contava, a cesta básica e também a participação nos lucros da companhia.

Mas no resumo da ópera, os trabalhadores da Troller estão longe das preocupações da Ford, mais atenta a posicionamento internacional conveniente e a adequações satisfatórias ao mercado financeiro. Vender qualquer coisa a custo abaixo do esperado é inadmissível ao olhar dos investidores.

Enquanto isso, na sala de jantar de famílias de Horizonte, resta a pergunta: “Onde vou trabalhar agora?”

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Empresa chinesa de máscaras cirúrgicas assina memorando com governo cearense

Economia
00:30 | Ago. 12, 2021
Autor
Tipo Notícia

Além de garantir parte da negociação para a aquisição de 3 milhões de doses de vacina pelo Governo do Ceará diretamente da Sinovac via Butantan, Cesar Ribeiro, secretário para Assuntos Internacionais do Estado, trouxe da viagem à China um memorando de entendimento assinado pela AOK Tooling para a instalação de uma fábrica de máscaras cirúrgicas descartáveis no Estado.

Entre agosto e setembro, uma comitiva da empresa deve visitar o Ceará para conhecer o Complexo do Pecém. O destino específico será a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Ceará, segundo adiantou Ribeiro. De acordo com ele, os empresários chineses ficaram bastante interessados nas isenções fiscais ofertadas pela ZPE.

O acordo foi mediado pelo governo da cidade de Dailan, cujo uma cooperação já foi assinada com Fortaleza tornando as duas "cidades-irmãs". O secretário para Assuntos Internacionais do Ceará mencionou ainda que a AOK possui unidade nos Estados Unidos e instalar uma planta fabril no Ceará seria estratégico para atender os mercados da América do Sul.

"Agora, o próximo passo, é conversar com Maia Júnior (secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho) e o Cabeto (secretário de Saúde) para definir um grupo de trabalho para explicar a eles (os chineses da AOK) nossos processos, vantagens, mas o memorando já está assinado", acrescenta Ribeiro.

Os dois pares dele devem ter participação ainda na captação de mais empresas do setor de saúde e tecnologia visitadas por Ribeiro na China. A agenda incluiu encontros com companhias da área da saúde de equipamentos farmacêuticos, hospitalares e de insumo para a saúde como Aeonmed, Biokanthai e Sinopharm.

Energia e BRICS

Também estiveram no radar de Cesar Ribeiro na China visitas a empresas de energia como Chint, Leapton Energy e Growatt Company. O Ceará vem, especialmente após o anúncio do hub de hidrogênio verde, querendo captar uma fábrica de placas solares para o Complexo do Pecém e a apresentação do potencial de negócios do Estado é uma estratégia para isso, segundo reforça o secretário.

Outro encontro de peso para a economia local foi com o brasileiro Marcos Troyjo, que preside o chamado banco dos BRICS - grupo econômico formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Mais uma vez os potenciais do Estado foram apresentados visando a retomada do mercado internacional, segundo contou.

"Nós abrimos bastantes a agenda e estamos trazendo muitas possibilidades para o Estado", concluiu.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará sonda montadora chinesa que mira Brasil

Economia
00:30 | Ago. 12, 2021
Autor
Tipo Notícia

O objetivo do Ceará de captar uma montadora internacional não sofreu interferência após a Ford decidir encerrar as atividades da fábrica da Troller em Horizonte sem fechar o contrato de venda da unidade. De acordo com Cesar Ribeiro, secretário para Assuntos Internacionais do Estado, um grupo de trabalho conjunto com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet) pode ser construído para tentar captar a Great Wall Motors (GWM) ao Estado.

Ele conta que a montadora fez parte da agenda que a missão cearense cumpriu em junho na China, na qual ele disse ter incluído por já saber do interesse e do "projeto maduro" que a empresa tem de instalação de uma unidade no Brasil.

"A GWM vem estudando o nosso mercado nacional há mais de 8 anos. Antes de nós sairmos do Brasil acompanhamos notícias de interesses deles. Conseguimos visitar uma fábrica, conversamos com a diretoria e apresentamos nossas vantagens", contou sobre a apresentação da Zona de Processamento de Exportação e as "vantagens agressivas" para as empresas que nela se instalam.

Na agenda que cumprirá com o secretário Maia Júnior (Desenvolvimento Econômico e Trabalho), Ribeiro disse que será avaliada a possibilidade de um grupo de trabalho ser criado para insistir na captação da unidade da GWM para o Ceará.

Considerada a maior montadora privada da China, a GWM produz também carros elétricos e já possui escritório em São Paulo. Entre as marcas de destaque da montadora estão ORA, Wey e Haval. As unidades, inclusive, já são comercializadas em países da América Latina por importadoras.

Segundo já saiu em sites especializados brasileiros, a companhia já manifestou interesse ao Governo Federal e estaria mirando o Rio de Janeiro ou Iracemápolis, em São Paulo - onde teria comprado a fábrica da Mercedes-Benz. No entanto,  depois de dois meses de publicadas as notícias, nada foi confirmado pela montadora, que recebeu o secretário cearense em junho.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags