PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

"Se você tem chance de ficar em casa, continue fazendo isso", alerta especialista

Apesar de diminuição considerável dos índices, algumas atividades continuam apresentando grande risco de contaminação

Leonardo Maia
12:57 | 09/09/2020
Restaurantes self service estão entre as atividades com maior risco de contaminação. (Foto: NELSON ALMEIDA / AFP)
Restaurantes self service estão entre as atividades com maior risco de contaminação. (Foto: NELSON ALMEIDA / AFP)

Com o processo de retomada econômica, voltar a fazer as atividades de antes da pandemia se tornou algo atraente. Ir ao cinema, encontrar amigos em um restaurante e frequentar barracas de praia deixaram saudades por um bom tempo, mas agora já estão com portas abertas novamente, ainda com restrições decorrentes da pandemia do novo coronavírus.

O momento que estamos vivendo, no entanto, permanece com a necessidade do resguardo, conforme explica o epidemiologista Marcelo Gurgel, professor da Universidade Estadual do Ceará (Uece). “Se você tem chance de ficar em casa, faça isso. Se precisa sair, faça de forma cuidadosa. Circule menos e passe o menor tempo que puder fora de casa”, pondera.

De acordo com o especialista, a facilidade de contágio, ainda que os índices tenham diminuído consideravelmente nos últimos meses, segue acontecendo. Ele explica que espaços comuns de estabelecimentos, como banheiros de restaurantes, dificilmente conseguem ser higienizados completamente a cada uso e podem ser responsáveis pela propagação do vírus.

Leia mais | Internações e óbitos por coronavírus caem drasticamente em Fortaleza, aponta levantamento

Locais que reúnem um grande número de pessoas e são fechados, sem permitir a circulação do ar, estão listados entre os mais perigosos, como os bares, que seguem fechados no Estado. Gurgel o protocolo sanitário coordenado pelo arcebispo metropolitano de Fortaleza, dom José Antonio Aparecido Tosi. O retorno iniciado no último sábado, 5, obedece uma série de requisitos, como a aferição da temperatura na entrada de cada templo e o rigor na limpeza do espaço.

Cinema e academia de ginástica estão entre atividades com maior risco de contágio, alerta associação

Em gráfico divulgado em julho pela Associação Médica do Texas, atividades presentes no cotidiano foram colocadas em uma escala de risco de contaminação, que varia entre um e nove. Os resultados foram obtidos mediante consulta a 14 médicos da força-tarefa da Covid-19 na instituição.

Riscos variam entre um e nove, de acordo com critérios como a duração da exposição e a proximidade das pessoas.
Riscos variam entre um e nove, de acordo com critérios como a duração da exposição e a proximidade das pessoas. (Foto: Reprodução/Associação Médica do Texas)

A zona vermelha da tabela, que inclui atividades com risco 8 ou 9, alerta para os locais com alta probabilidade de contaminação. São eles: restaurantes self service, academias, cinemas, parques de diversões, shows, estádios de futebol, cultos religioso e bares.

Para Marcelo Gurgel, a lista não pode ser considerada totalmente fidedigna pelos brasileiros, mas serve como alerta. O especialista ressalta que o estudo foi elaborado com base na realidade dos Estados Unidos e baseado na opinião de poucos profissionais. “Algumas situações, como o abastecimento de automóveis, são distintas em relação ao Brasil, o que pode alterar os riscos”, defende.

Ainda que alguma atividade possa ser mais arriscada que outra, os cuidados devem ser os mesmos sempre que sair e voltar para casa. Além do uso de máscara e álcool em gel, Gurgel recomenda que, ao chegar em casa, o banho seja a primeira coisa a se fazer, preferencialmente em um banheiro de serviço da casa. A escolha de uma roupa limpa para usar quando voltar também deve ser feita antes de sair.

Confira principais dicas para se prevenir de uma contaminação

1. Evite sair de casa, prefira fazer as coisas de maneira remota;

2. Ao sair, tome todos os cuidados: máscara, distanciamento social e higienização das mãos;

3. Não demore muito na rua. Evite circular em mais de um lugar quando sair;

4. Volte do trabalho para casa, não pare em bares, por exemplo;

5. Ao chegar em casa, entre por uma porta secundária, se possível. Tome banho, coloque uma roupa limpa e higienize seus pertences;

6. Se for em um hospital ou trabalhar na área de saúde, use os equipamentos necessários, como o face shield.

Fonte: Marcelo Gurgel