PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

Desabamento de prédio em Fortaleza: confira o que se sabe até agora

Até a manhã deste sábado, 19, oito mortes foram confirmadas após desabamento de prédio em Fortaleza. Outras sete pessoas foram resgatadas com vida e uma mulher segue desaparecida

23:22 | 17/10/2019
(Foto: Luciana Pimenta)

Atualizada às 17h30min deste sábado, 19/10/2019

Encerraram neste sábado, 19 de outubro (19/10), as buscas das vítimas do desabamento de prédio em Fortaleza. Saiba até agora o que se sabe sobre a tragédia no Edifício Andréa.

MORTOS NO DESABAMENTO DE PRÉDIO EM FORTALEZA

As nove mortes confirmadas são: Nayara Pinho Silveira, de 31 anos; Antônio Gildasio Holanda, de 60 anos; Frederick Santana dos Santos, de 30 anos; Izaura Marques Menezes, de 81 anos; Maria da Penha Bezerril Cavalcante, de 81 anos, Roseane Marques de Menezes, de 56 anos, Vicente de Paulo Vaconcelos de Menezes, 86 anos, Eriverton Laurentino Araújo, 44 anos, e Maria das Graças Rodrigues, 53. 

QUEM SÃO AS VÍTIMAS MORTAS DA TRAGÉDIA NO EDIFÍCIO ANDRÉA

Maria das Graças Rodrigues, 53 - Foi a nona vítima localizada. Removida dos escombros na tarde deste sábado, 19. Ela era a síndica do prédio.

Eriverton Laurentino Araújo - Eriverton, 44, foi a oitava vítima localizada. Seu corpo foi removido dos escombros na manhã desse sábado, 19. Ele era o cuidador que acompanhava Vicente de Paulo.

Vicente de Paula de Menezes - O idoso de 86 anos foi a sétima vítima identificada. O corpo dele foi retirado dos destroços do edifício na noite de sexta-feira, 18. 

Rosane Marques de Menezes - O corpo de Rosane, 56, foi encontrado na noite desta quinta-feira, 17, sendo o sexto óbito confirmado.

Nayara Pinho Silveira - Nayara foi a quinta vítima identificada. O corpo foi retirado dos escombros na tarde desta quinta-feira, 17. Ela havia perdido a mãe recentemente e residia há pouco tempo no prédio. Assim como Nayara, o pai Antônio Gildasio, de 60 anos, também foi morto, sendo a quarta vítima identificada. 

Antônio Gildasio Holanda Silveira - Gildasio era pai de Nayara e a identificação só possível por meio da necropapiloscopia. Ele morava no apartamento 301 junto com a filha. O corpo foi retirado dos escombros na manhã desta quinta-feira, 17.

Izaura Marques - A idosa de 81 anos era professora aposentada e foi a terceira vítima identificada. Moradora do apartamento 501, residia com o marido no prédio. De acordo com uma amiga, ela era carioca. Izaura participava de um clube de leitura para a terceira idade.

Maria da Penha Bezerril Cavalcante - Maria da Penha foi o segundo corpo encontrado pelos bombeiros, mas seguia sem identificação até a noite desta quinta-feira, 17. Ela foi encontrada com auxilio de cães farejadores.

Frederick Santana dos Santos - Fred foi a primeira vítima identificada. O corpo foi retirado na noite de terça-feira, por volta Das 23h30min. O homem de 30 anos trabalhava como entregador de água. Quando o edifício desabou ele estava com mais dois colegas, que conseguiram sobreviver. Ao O POVO Online, amigos de Fred contaram que o rapaz juntava dinheiro para dar à filha uma festa de aniversário. 

VÍTIMAS RESGATADAS COM VIDA DO DESABAMENTO DE PRÉDIO

>>> Confira a lista com as vítimas sobreviventes e saiba quem são elas

Sete vítimas foram resgatadas com vida. São elas: Cleide Maria da Cruz Carvalho, 60 anos; Gilson Moreira Gomes, 53 anos; Francisco Rodrigues Alves, 59 anos; Maria Antônia Peixoto, 72 anos; Fernando Marques, 20 anos; Davi Sampaio, 22 anos; e João Ícaro Coelho de Meneses, de 35 anos.

Apesar de não haver confirmação oficial, O POVO Online recebeu a informação de mais um rapaz identificado apenas como Yuri.

Na "zona quente", como os bombeiros se referem aos escombros, 135 profissionais militares trabalham para resgatar as vítimas. Desses, 40 são especialistas em busca e resgate de estruturas colapsadas.

 O QUE TERIA OCASIONADO O DESABAMENTO DO PRÉDIO EM FORTALEZA?

Até agora não se sabe a causa do desabamento. Apesar disso, um inquérito policial foi aberto e o Ministério Público já apura a responsabilidade do crime.

Foi divulgado um vídeo de uma das câmeras de segurança do prédio que mostrava pedreiros quebrando uma das colunas de sustentação poucos minutos antes do colapso.

De acordo com moradores, o prédio, de 38 anos, apresentava problemas há bastante tempo. Uma reforma havia começado para corrigir problemas estruturais e na última terça-feira, 15, dia que o prédio desabou, ainda estava em andamento. Um vídeo publicado na internet mostra essas falhas. A pedido do O POVO Online, o engenheiro Gerardo Portela, doutor em Riscos e Segurança, analisou o material.

“Os dois pilares neste estágio já são suficientes para causar a queda do prédio. Primeiro, que são pilares com pouca robustez e completamente deteriorados, com uma exposição quase que total da armação. Não há dúvidas (da causa)”, declarou.

Uma Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) foi registrada na última segunda-feira, 14, um dia antes da tragédia. Em coletiva de imprensa, o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea-CE), Emanuel Mota, declarou que a ART responsabiliza um engenheiro - o qual o nome não foi divulgado. De um ponto de vista administrativo, ele pode até ter suspenso o registro profissional. Uma comissão interna irá avaliar possível responsabilidade do engenheiro sobre o desastre.

DOAÇÕES PARA VÍTIMAS DO DESABAMENTO DO PRÉDIO

Grupos se solidarizam pela tragédia e organizam doações. Em parceria com o grupo Abraçando a Comunidade, os voluntários do Fortaleza Solidária realizaram na última terça-feira, 15, campanha de arrecadação de doações às vítimas. Para ajudar, era necessário se cadastrar no site oficial do projeto, por meio deste link.

Além disso, a família Sindeaux realiza uma campanha de arrecadação de dinheiro na internet, pedindo o valor de R$ 50 mil. A campanha encerra no dia 16 de dezembro, e você pode doar por meio deste link.

Confira mapa de esquema de emergência para socorro das vítimas do desabamento de prédio:

Confira galeria de fotos da tragédia do Edifício Andrea:

Clique na imagem para abrir a galeria

CONFIRA VÍDEO SOBRE O DESABAMENTO DO PRÉDIO EM FORTALEZA:

No mesmo dia, foi divulgado um vídeo de uma das câmeras de segurança do prédio que mostrava pedreiros quebrando uma das colunas de sustentação poucos minutos antes do colapso.