Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Próximo adversário do Ceará no Castelão, Santos é um dos piores visitantes da Série A

Com seis pontos conquistados, o Peixe divide a pior campanha fora de casa com o Vovô, o América-MG e o Grêmio, além de ter a segunda defesa mais vazada e estar entre os times com mais derrotas longe de seus domínios
10:32 | Set. 14, 2021
Autor Horácio Neto
Foto do autor
Horácio Neto Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Ceará se prepara para receber o Santos no sábado, 18, na Arena Castelão, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Alvinegro de Porangabuçu terá a oportunidade de encerrar a sequência de cinco jogos sem vencer na Série A contra um dos visitantes menos efetivo do torneio. Com seis pontos conquistados, o Peixe divide a pior campanha fora de casa com Vovô, América-MG e Grêmio e tem um aproveitamento de 22,22% longe da Vila Belmiro.

Com grandes dificuldades de vencer fora de casa, o time da baixada santista não conseguiu apenas uma vitória, no duelo contra a Chapecoense, na Arena Condá. Além deste triunfo, o Peixe acumulou três empates e cinco derrotas. Somente Grêmio (6) e Athletico-PR (7) perderam mais jogos como visitante.

Um dos principais problemas do Santos atuando longe da Vila Belmiro são os números de gols sofridos pela equipe. A defesa do Peixe já foi batida 16 vezes, sendo a segunda mais vazada entre os visitantes, empatado na posição com Bahia e superado apenas pela Chapecoense (17). Com 25 gols sofridos em todo o Campeonato Brasileiro, os tentos fora de casa representam 80%.

Oposto ao que tem apresentado longe de seus domínios, Ceará e Santos tem mostrado ótimas campanhas dentro de casa. O Vovô divide com o Flamengo a posição de quarto melhor mandante, com 18 pontos conquistados e 66,67% de aproveitamento para ambos. Logo abaixo aparece os santistas, ocupando a quinta melhor campanha, com 17 pontos e um rendimento de 51,52%.

Buscando usar os números como vantagem, o Ceará busca a vitória contra o Santos no sábado, 18, às 21 horas, na Arena Castelão, pelam21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Apresentado oficialmente, Gabriel Santos diz estar "realizando um sonho de criança" no Ceará

COLETIVA
21:18 | Set. 13, 2021
Autor Mateus Moura
Foto do autor
Mateus Moura Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Gabriel Santos foi apresentado oficialmente nesta segunda-feira, 13, no estádio Carlos de Alencar Pinto, sede do Ceará. O atacante de 22 anos, que chega por empréstimo da Caldense-MG até maio de 2022 com opção de compra de 60% dos direitos econômicos, disse estar realizando um sonho de criança, revelou ter conversado com Saulo Mineiro e contou sobre a alegria de ter recebido a proposta do Vovô.

"Quando eu fiquei sabendo da notícia, fiquei muito feliz. Foi uma surpresa. É tudo novo isso que estou vivendo. Não quis saber de outras propostas, quando soube do Ceará, nós conversamos e eu fiquei feliz, por isso estou aqui."

O atacante chamou a atenção do Alvinegro após se destacar na Caldense-MG, clube que disputa a Série D do Campeonato Brasileiro. Atualmente, Gabriel é o artilheiro do Brasil entre todas as divisões, com 13 gols marcados.

"Não tem muita comparação. D é uma distância grande para o A. Sei que vou encontrar adversários bem mais fortes e difíceis, equipes qualificadas. Mas eu sei da minha qualidade também, não é porque eu estava jogando a Série D que me considero um jogador de Série D. Aqui vou mostrar meu potencial e se Deus quiser fazer muitos gols."

Aos 22 anos, o novo camisa 90 do Vovô terá o seu primeiro grande desafio na carreira. O atleta, que teve passagens pela Ucrânia e em clubes do interior do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, considera sua chegada ao Ceará a realização de um sonho de criança.

"Estou realizando um sonho de criança. Não foi fácil chegar aqui, batalhei muito, passei por muita dificuldade. Estar aqui é a realização de um sonho, não só meu, mas também da minha família, que viveram esse sonho comigo, principalmente minha mãe, avó e namorada, que me ajudaram muito neste período em que pensei até em desistir. Poder estar aqui é tudo novo, e estou aproveitando ao máximo."

Gabriel Santos se definiu como um atleta com velocidade e força, além de ter a capacidade de finalizar com as duas pernas e ter bom cabeceio. O atacante pode atuar como centroavante ou jogar aberto e possui características de jogo semelhantes com a de Saulo Mineiro, que deixou o clube em julho e ainda é o artilheiro do Vovô na temporada.

"Eu cheguei a conversar com o Saulo, nós trocamos um papo. Fiquei sabendo da trajetória que ele fez aqui (no Ceará), foi uma trajetória muito bonita, onde ele também veio de uma divisão menor. Ele fez o papel dele muito bem, e agora, eu quero seguir os passos dele e espero fazer uma linda história aqui no clube."

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Conheça a história do soldado dinamarquês torcedor do Ceará

Jacob Pedersen
20:13 | Set. 13, 2021
Autor Carolina Parente
Foto do autor
Carolina Parente Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O soldado real dinamarquês Jacob Pedersen, 44, residente na quarta maior cidade do país europeu, a pequena Aalborg, sonha em viver no Brasil. O homem pretende deixar permanentemente sua terra natal para viver no lugar que mais ama no mundo: a capital do Ceará. “Fortaleza tem tudo o que um dia sonhei. Nela me sinto em casa. As pessoas são muito amigáveis e sorridentes”.

Mas até que o seu sonho se torne realidade, Jacob continuará viajando à amada terra duas vezes por ano. Ele possui um contrato com o Exército Real Dinamarquês, o que deve postergar a realização de seu desejo por mais duas décadas, assegurando-lhe, por outro lado, uma aposentadoria confortável.

No intuito de diminuir o tempo de espera para que a mudança ocorra de vez, Jacob tem planos de colocar um negócio na Capital cearense dentro de dois ou três anos. Como bom empreendedor, não dá detalhes sobre seu projeto, mas promete ser algo inédito na cidade, algo que viu somente na Europa.

“Devo garantir uma boa renda antes de ousar na tomada de qualquer decisão e romper o contrato. Viverei em Fortaleza sim, mas preciso me certificar de ter uma boa qualidade de vida no Brasil e da possibilidade de visitar a Dinamarca periodicamente”, comenta.

Ele diz não entender por que as pessoas são “loucas” para ir à Dinamarca. Para um escandinavo talvez não seja a Social Democracia, tão bem vista pelos brasileiros, o suprassumo da alegria e o segredo para a autossatisfação. É um modelo baseado na providência de aspectos vitais à população, como saúde e educação pública de qualidade.

Segundo ele, o sistema é funcional, mas começar uma vida no país nórdico é “muito difícil”. Por ser nativo e estar bem inserido na sociedade, tudo é ótimo; mas, para estrangeiros, especialmente refugiados, pode ser “bastante” desafiador. A língua é complicada e fazer amigos não é fácil.

No último relatório da World Happiness Report, estudo patrocinado pela ONU que avalia o nível de felicidade dos países, a Dinamarca obteve o terceiro lugar, ficando atrás apenas da Finlândia e da Islândia, todos países nórdicos. Desacreditando-a, Jacob Pedersen diz não entender em que é baseada a pesquisa e supõe que a solidão seja superior em seu país em relação ao Brasil.

“Na Dinamarca as pessoas só miram o chão; não cumprimentam desconhecidos. É muito difícil fazer amigos aqui, já em Fortaleza é muito fácil. Tenho vários amigos fortalezenses de quem costumo sentir falta”, desabafa.

Para Jacob Pedersen, viver em um país quente é um sonho de infância, ele só nunca soube qual lugar escolheria até vir ao Brasil pela primeira vez em 2017, depois de tanto ter viajado o mundo. Visitou São Paulo, Rio de Janeiro e, por fim, a Capital do Ceará, pela qual se encantou. 

“Rio e São Paulo são cidades enormes e não são quentes todo o ano. É difícil explicar o que senti quando cheguei em Fortaleza; para mim, é como o paraíso”. A Jacob lhe falta calor em todas as suas formas, humano e climático. “Em meu país, o verão é curto e as pessoas, frias.”

Jacob é generoso e gosta de ajudar pessoas. Com o sorriso de uma criança ganha o dia e faz valer a sua vinda à capital alencarina. No Natal de 2020, doou cestas básicas a famílias no bairro Bom Jardim, onde é sempre tratado como celebridade. E por todos os lados da cidade é bem recebido. “Nunca serei totalmente cearense, mas sinto-me 100% aceito como sou”, relata. 

"É difícil explicar o que senti quando cheguei em Fortaleza; para mim, é como o paraíso." Jacob Pedersen

Quando está em Fortaleza, ele adora ir à praia, bater uma bola com os amigos, passear no shopping Iguatemi, tomar um cafézinho na chocolateria Kopenhagen, cujo nome remete à capital dinamarquesa, e provar a típica culinária nordestina.

O homem costuma se encantar com as pequenas coisas: o sorriso sincero de um desconhecido, um soim que vê rodopiando nas árvores e a própria perspectiva de um futuro em construção no Brasil. A única coisa de que reclama sobre a cidade é o trânsito.

E, claro, Jacob não deixa de trazer consigo seu companheiro fiel, o cachorrinho Lenin, da raça terrier russo toy. O animal de estimação, assim como o tutor, ama o sol e, por isso, adora acompanhar as aventuras do dono no Brasil.

O inusitado dinamarquês torcedor do Ceará

Como se não bastasse a paixão pela cidade de Fortaleza, o homem foi fisgado pela animada torcida do Ceará Sporting Club em 2017. Ao time alvinegro, ele devota todo o amor que tem pelo futebol brasileiro, sendo até nomeado embaixador oficial do time na Dinamarca.

Em 2021, durante uma partida de futebol em Aalborg, a bandeira do CSC foi hasteada. O dinamarquês presenciou o jogo com uma jaqueta do Vovô, desfilando seu orgulho por ser um cearense de coração.

E Jacob não parou por aí. O soldado fez uma a tatuagem do escudo do time do Ceará e o momento da execução da arte eternizada em sua pele foi parar nas redes sociais oficiais do clube.

MAIS NOTÍCIAS DE CURIOSIDADES

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará aciona Fifa para cobrar dívida de clube paraguaio na negociação de Mateus Gonçalves

No tribunal
15:17 | Set. 13, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O departamento jurídico do Ceará prepara ação na Fifa para cobrar o Cerro Porteño, do Paraguai, por dívida na negociação pelo atacante Mateus Gonçalves, vendido em janeiro deste ano por 420 mil dólares (cerca de R$ 2,3 milhões na cotação da época). A informação foi divulgada inicialmente pelo ge e confirmada pelo Esportes O POVO.

No início de 2021, o Alvinegro selou a transação de 40% dos direitos econômicos do jogador de 26 anos para o clube paraguaio. O acordo foi fechado de forma parcelada: 100 mil dólares de imediato, após o atacante ser aprovado nos exames médicos, 200 mil dólares em julho e 120 mil dólares em setembro.

As cifras da entrada foram pagas no ato da transferência - em torno de R$ 560 mil à época. Os valores do meio do ano, entretanto, estão em aberto e sem pagamento por parte do Cerro, o que motivou o Vovô a acionar a entidade máxima do futebol. O montante é equivalente a pouco mais de R$ 1 milhão na cotação atual.

Pelo cenário, o clube de Porangabuçu projeta que a parcela final, prevista para o final deste mês, também deverá se tornar uma dívida e motivo de nova disputa judicial. Seriam mais R$ 627 mil para os cofres.

Após duas temporadas e 56 partidas disputadas com a camisa alvinegra, Mateus Gonçalves rumou para o Cerro Porteño no começo desta temporada. No Paraguai, o camisa 11 soma 29 jogos e um gol marcado.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará e Fortaleza completam somados 10 jogos sem vencer na Série A

10:34 | Set. 13, 2021
Autor Horácio Neto
Foto do autor
Horácio Neto Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Ceará e Fortaleza apresentaram uma queda de desempenho neste momento do Campeonato Brasileiro e, após as derrotas para Grêmio e Atlético-MG, respectivamente, somam juntos 10 partidas sem vencer. Já são cinco rodadas seguidas sem vitórias dos rivais na primeira divisão. A dupla cearense só tem jejum menor que o Santos, há seis confrontos sem triunfos, e o Athletico-PR, com oito partidas sem conquistar os três pontos.

Os clubes que amargam sequências sem triunfo são o Furacão (8), o Peixe (6), o Sport (5), o Vovô (5) e o Leão (5). Dentre os nordestinos com cinco jogos sem comemorar vitória, os pernambucanos ainda jogam na rodada, em casa, contra o Internacional, e podem chegar ao sexto embate. A Chapecoense, clube com maior período sem ganhar nesta edição da Série A, venceu o Bragantino fora e deu fim a marca negativa.

O jejum de vitórias dos rivais da capital cearense se refletiu na tabela. Nos cinco jogos sem vencer, o Ceará somou dois pontos dos 15 possíveis, caindo da sétima colocação para a 11ª. Já o Fortaleza não teve grandes prejuízos e, mesmo obtendo apenas três pontos em cinco rodadas, conseguiu perder só uma posição, saindo do terceiro lugar para o quarto.

Ceará e Fortaleza entram em campo neste final de semana no Brasileirão, pela 21ª rodada, buscando encerrar a marca negativa. O Alvinegro recebe o Santos no sábado, 18, às 21 horas, no Castelão. Já o Tricolor vai a Porto Alegre encarar o Internacional, no Beira-Rio, neste domingo, 19, às 11 horas.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Tiago Nunes explica saída de Fernando Sobral e avalia atuação do Ceará na derrota para o Grêmio

COLETIVA
15:40 | Set. 12, 2021
Autor Mateus Moura
Foto do autor
Mateus Moura Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em entrevista coletiva após a derrota por 2 a 0 para o Grêmio, neste domingo, 12, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS), pela 20ª rodada da Série A, o treinador Tiago Nunes avaliou o desempenho do Ceará na partida, explicou a saída de Fernando Sobral e comentou sobre as atuações de Vina e Mendoza.

Apesar do Vovô ter tido mais a posse de bola durante a partida (59%) e ter trocado 506 passes, a equipe esbarrou em um sistema defensivo bem montado pelo treinador Felipão e pouco conseguiu produzir ofensivamente. O Alvinegro só teve uma finalização correta no jogo, aos 46 minutos, com Erick.

"Penso que a principal dificuldade que tivemos foi na chegada na última parte do campo, sendo mais agudos, com mais presença ofensiva e finalizações. A equipe teve mais facilidade na construção desde trás, procurando a saída de bola mais curta, mas faltou um pouco mais de profundidade e agressividade para que criássemos mais chances de gol."

A baixa efetividade do sistema ofensivo é algo que perdura desde a época de Guto Ferreira. Com pouca inspiração nas construções das jogadas, o quarteto formado por Lima, Mendoza, Vina e Jael não conseguiu desempenhar um bom futebol.

"Com certeza um dos pontos que precisamos evoluir é a chegada no último terço, a agressividade com movimentos de ataque na última linha do adversário. Mas o futebol não é feito só pela nossa equipe, também tem a equipe adversária, que se propôs a marcar muito bem nossos jogadores e fechou bem os espaços. Precisamos evoluir, mas tem um adversário que conseguiu neutralizar muitas ações nossas por mérito deles."

O treinador de 41 anos comentou, de forma específica, sobre dois atletas: Mendoza e Vina. Tidos como um dos principais atletas do elenco, a dupla não têm conseguido manter a regularidade durante as partidas.

"Particulamente, eu não gosto de personificar em um ou dois jogadores a responsabilidade do resultado, nem quando se ganha e nem quando se perde. O Mendoza cumpriu um papel tático importante. Entendi que até aquele momento (da substituição) ele vinha fazendo uma partida taticamente condizente. Depois acabou caindo um pouco (de rendimento).

Sobre o Vina, que permaneceu em campo até os 43 da etapa final, Nunes ressaltou as qualidades do meio-campista. "O Vina é um jogador extremamente técnico, com potencial de finalização, que em um lance pode desequilibrar. Este tipo de atleta, na minha opinião, tem que ficar em campo mais tempo."

Um dos principais jogadores da temporada, o volante Fernando Sobral foi substituído durante o segundo tempo para a entrada de Marlon. Questionado sobre o motivo da modificação, Tiago Nunes explicou que queria um jogador mais leve para infiltrar no último terço da defesa gremista.

"Sobre a saída do Fernando Sobral, eu optei por um jogador com mais movimento, um pouco mais leve, que tem mais capacidade de chegar no último terço, próximo da área, que é o Marlon. O Fernando é um jogador que tem muita condução de bola e muita força física. Como o Grêmio nos marcou mais atrás, não tinha muito espaço para conduzir essa bola, precisávamos de um jogador um pouco mais leve para chegar neste último terço."

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags