Participamos do

Apenas mandante, taxas e aval dos clubes: o protocolo da CBF para volta do público aos estádios

Entidade elabora documento de recomendações para retorno dos torcedores aos jogos nas competições nacionais e estabelece critérios técnicos e médicos para liberação
09:29 | Ago. 13, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Repórter de Esportes
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em mais um passo para a volta dos torcedores aos jogos, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) finalizou a elaboração do protocolo de recomendações para retorno do público aos estádios nas competições nacionais. O Esportes O POVO teve acesso ao documento, que foi elaborado pela Comissão Médica Especial e pela Diretoria de Competições da entidade e prevê apenas torcida mandante, cálculo de taxas nas regiões e aval dos clubes.

No final de julho, a Confederação já havia avisado às federações estaduais que o protocolo estava em andamento diante do avanço da vacinação contra Covid-19, com previsão de execução do "projeto piloto" a partir das quartas de final da Copa do Brasil. Nesta semana, o documento foi finalizado e encaminhado aos filiados.

Durante este período, clubes como Flamengo-RJ, Atlético-MG e Cruzeiro-MG conseguiram liminar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para realizar partidas com presença de público.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O protocolo, porém, estabelece que a adoção "está sujeita à aprovação do mesmo nos respectivos Conselhos Técnicos (em reuniões extraordinárias)" com os clubes das Séries A, B e C do Campeonato Brasileiro. Nas outras competições, como a Copa do Brasil, a decisão será da Diretoria de Competições da entidade.

Além disso, apenas os torcedores da equipe mandante poderão ir aos jogos "a fim de se evitar deslocamentos de torcedores de outras localidades".

A CBF até estabeleceu critérios técnicos para os torneios com jogos de mata-mata: "no caso de um dos clubes envolvidos não ter autorização pelo órgão sanitário local para receber público no estádio, ambas as partidas não terão público" e "será permitida a diferença máxima de 15% das respectivas capacidades, prevalecendo a condição liberada do estádio com menor quantitativo", em caso de capacidades diferentes liberadas pelas autoridades locais.

Cálculo de taxas

Na área médica, a entidade criou a "matriz da taxa de normalidade", que "considera os parâmetros epidemiológicos das localidades" em relação à pandemia. Foram estabelecidos seis critérios com pontuações diferentes pelos médicos Carlos Starling e Braulio Couto para se avaliar os seguintes pontos:

  1. Taxa de Incidência (casos novos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias)
  2. Tendência da taxa de casos novos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias
  3. Mortalidade por COVID-19 por 1.000.000 habitantes nos últimos 14 dias
  4. Tendência da taxa de mortalidade por 1.000.000 habitantes nos últimos 14 dias
  5. Letalidade de COVID-19 (global)
  6. Percentual da população PLENAMENTE VACINADA contra SARS-CoV-2

Vacinação plena ou testagem

Para liberar a entrada dos torcedores nos estádios, haverá medidas de barreira e controle individual. Haverá aferição de temperatura, uso obrigatório de máscaras, distanciamento social nas cadeiras e nos setores dos estádios. Além disso, só terão acessos aqueles com vacinação plena (duas doses ou dose única) ou com teste para Covid-19 em 72 ou 48 horas antes do duelo.

Para auxiliar os clubes na operação da venda de ingressos, no controle de acesso e no rastreamento epidemiológico, a CBF disponibilizará um serviço virtual para consulta acerca de vacinas e testes dos torcedores. Após a venda do ingresso, os clubes deverão informar à entidade o CPF do cliente e os dados do bilhete (número e setor do estádio). Haverá equipamento de leitura do ingresso por meio digital.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags