Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Presidente da FCF detalha protocolo para público nos estádios e está confiante na liberação do Governo

Em entrevista exclusiva ao programa Esportes do Povo, Mauro Carmélio detalhou como deve funcionar a filtragem dos torcedores e numa escala de zero a dez, escolheu sete como possibilidade de ter uma resposta positiva do Governo do Estado à solicitação da volta do público aos estádios
17:15 | Ago. 06, 2021
Autor - Brenno Rebouças
Foto do autor
- Brenno Rebouças Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Federação Cearense de Futebol (FCF), Ceará e Fortaleza vivem a expectativa de uma resposta do Governo do Estado ao pedido de retorno do público aos estádios de futebol. Durante esta semana, as três instituições concluíram e entregaram ao poder público um protocolo de segurança, baseado em exemplos da Fifa e Conmebol e sob orientações da CBF.

Em entrevista ao programa Esportes do Povo, da rádio O POVO CBN, nesta sexta-feira, 6, o presidente da FCF, Mauro Carmélio, comentou sobre o assunto. O dirigente disse que a movimentação nesse sentido foi um pedido da própria CBF e afirmou que em uma escala de zero a dez, coloca como sete a expectativa de ter a solicitação atendida pelo Governo.

"A CBF nos mandou a missão de que na próxima fase da Copa do Brasil, se o Fortaleza passasse pelo CRB, nós teríamos torcedores. De imediato, fizemos reuniões com Fortaleza e Ceará; fizemos viagens para Brasília (para acompanhar Flamengo x Defensa Y Justicia, que teve público) e estamos acelerados. O protocolo e diretrizes já estão na mão do Governo, através da Seplag (Secretaria do Planejamento e Gestão) e dentro dessa situação já há o interesse de botar em pauta no “comitê do covid” do Governo para ser analisado. Nós requeremos, dentro do diapasão de Ceará e Fortaleza, 40% da capacidade, com o torcedor comparecendo ao estádio com toda segurança, toda cautela", disse.

O percentual solicitado, porém, é um limite máximo. Carmélio diz que, a depender da análise do Governo, pode-se trabalhar com uma porcentagem menor. Além disso, a liberação de 40% da capacidade é uma solicitação específica para o Castelão, que, segundo o dirigente, é a única praça esportiva a oferecer condições para isso.

“O Castelão é setorizado, tem facilidade da gente fazer (dividir) setores, há condição de separar o torcedor, de ter a distância determinada pela legislação. O valor de 40% é o número máximo que a gente pode fazer dentro da segurança”, garante.

Como o Esportes O POVO já havia informado, o protocolo prevê acesso aos estádios apenas para torcedores que tenham tomado as duas doses da vacina contra a Covid-19 (ou a dose única da Janssen) ou àqueles que fizeram teste RT-PCR 48 horas antes. A verificação ficará por conta dos clubes, mas o presidente da FCF revelou qual a ideia para execução.

"Os meninos (funcionários da FCF e dos clubes) estiveram lá em Brasília, no jogo do Flamengo e verificaram o trabalho que foi realizado. Tinham contêineres que ficavam fora do estádio e controle de barreiras. Somente quem estava vacinado fazia o cadastramento, porque é tudo online. Sendo que no jogo do Flamengo houve um erro. O torcedor foi receber o ingresso ou a credencial para ir ao estádio no momento do jogo e isso criou um tumulto. Nós estamos pensando em entregar 24h ou 48 horas antes do jogo e deverá ter barreiras da Polícia Militar para permitir somente a quem está com o ingresso ou credencial chegar perto do Castelão no dia da partida", disse.

Carmélio explicou ainda que em caso de retorno do público ainda este mês, deverá acontecer somente para Copa do Brasil e Série A do Brasileiro. A CBF não discute ainda a situação para as demais séries. “Temos uma esperança muito grande. Estamos torcendo que dê certo dentro dessa estrutura”, disse o dirigente.

A Secretaria do Esporte e Juventude (Sejuv) informa que a decisão de liberação de público nos jogos da Arena Castelão ou de qualquer outra praça esportiva do Ceará é definida em conjunto com a Secretaria da Saúde e o Comitê Estadual de Combate à Pandemia. Ressalta ainda que a Secretaria do Esporte e Juventude sequer foi representada em qualquer reunião sobre possível retorno de público aos estádios.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Clubes e FCF entregam protocolo ao Governo do Estado por volta do público aos estádios

Futebol cearense
18:00 | Ago. 05, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O protocolo elaborado por Ceará, Fortaleza e Federação Cearense de Futebol (FCF) acerca da liberação de torcida nos estádios já está nas mãos do Governo do Estado. Os clubes e a entidade responsável pelo futebol local encaminharam o documento, que solicita liberação de 40% de público nos jogos, e aguardam o parecer, apurou o Esportes O POVO.

No início desta semana, dirigentes de Vovô e Leão se reuniram com a Federação para finalizar o protocolo, que já era discutido há algumas semanas. As partes estabeleceram o pedido de liberação de 40% da capacidade do estádio seguindo dois requisitos: imunização completa pela vacina (duas doses ou dose única, no caso da Janssen) ou teste PCR para Covid-19 em até 48 horas antes da partida.

No caso da Arena Castelão, palco dos jogos de alvinegros e tricolores, seriam cerca de 24 mil pessoas com acesso - a capacidade total atual do estádio é de 60 mil torcedores.

Protocolo do futebol cearense para volta da torcida aos estádios:

  • Liberação de 40% de público
  • Torcedores imunizados pela vacina ou testados até 48 horas antes do jogo

O documento foi enviado à Secretaria de Saúde do Governo, e os clubes e a FCF têm a expectativa de que o tema entre em pauta na reunião semanal do Comitê estadual de combate à pandemia, na próxima sexta-feira, 6, apurou o Esportes O POVO.

Com relação de parceria fora dos gramados, Ceará e Fortaleza já conversavam sobre a volta do público há alguns meses e se movimentavam nos bastidores. Uma empresa de tecnologia chegou a firmar parceria para disponibilizar um aplicativo que controlaria a entrada dos torcedores no estádio de acordo com o protocolo - a operação deverá ser assumida pelos próprios clubes, no entanto.

No mês passado, a Federação e os dois clubes chegaram a marcar uma reunião com a Secretaria de Saúde para discutir a possibilidade de público no Clássico-Rei da Série A, no último dia 1º, mas o pleito perdeu força sem retorno do Estado e sem apoio da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

A entidade máxima do futebol nacional planeja libera a presença de público nas competições que organiza a partir das quartas de final da Copa do Brasil, no final deste mês de agosto - o que incluiria o Fortaleza. Em paralelo, o Flamengo-RJ recorreu ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e conseguiu liminar para ter público nas partidas como mandante em torneios nacionais, o que irritou a CBF em razão de decisão coletiva dos clubes sobre o tema antes da Série A.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Clubes e FCF pretendem requerer liberação de 40% de público nos estádios

Volta aos estádios
00:30 | Ago. 04, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em reunião na tarde de ontem, Ceará, Fortaleza e Federação Cearense de Futebol (FCF) ajustaram os últimos detalhes do protocolo para o retorno dos torcedores aos estádios, que será apresentado ao Governo do Estado nesta quarta-feira, segundo O POVO apurou. O documento solicita liberação de 40% da capacidade dos estádios e prevê acesso para torcedores com imunização completa pela vacina ou testagem prévia para Covid-19.

O protocolo estabelece dois critérios principais para o acesso dos torcedores: as duas doses da vacina tomadas — ou dose única, no caso da Janssen — ou realização de teste PCR até 48 horas antes da partida. No caso da Arena Castelão, utilizada pelos dois clubes, a liberação de 40% de público seria equivalente a 24 mil torcedores — a capacidade total atual é de 60 mil pessoas.

O pedido oficial será encaminhado ao Governo nesta quarta-feira e deverá entrar em pauta na reunião semanal do Comitê Estadual de Combate à Pandemia, na próxima sexta-feira, 6.

Diante da intenção da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de permitir a presença de público a partir das quartas de final da Copa do Brasil — e, possivelmente, ampliar para outras competições —, os dois clubes cearenses da Série A e a Federação decidiram se antecipar para tentar avançar nas tratativas.

As três partes mantinham conversas há alguns meses e já se movimentavam nos bastidores para dar esse passo. Uma reunião chegou a ser marcada com a Secretaria de Saúde do Estado, mas sem sucesso pela ausência do titular da pasta, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto.

Alvinegros e tricolores, inclusive, chegaram a firmar parceria com uma empresa de tecnologia que disponibilizaria um aplicativo para controlar a entrada dos torcedores de acordo com os requisitos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará, Fortaleza e FCF finalizam protocolo e querem liberação de 40% de público nos estádios

Volta aos estádios
16:38 | Ago. 03, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Em reunião na tarde desta terça-feira, 3, Ceará, Fortaleza e Federação Cearense de Futebol (FCF) ajustaram os últimos detalhes do protocolo para o retorno dos torcedores aos estádios. O Esportes O POVO apurou que o documento, que será enviado ao Governo do Estado na próxima quarta-feira, 4, solicita liberação de 40% da capacidade dos estádios e prevê acesso para torcedores com imunização completa pela vacina ou testagem prévia para Covid-19.

O protocolo estabelece dois critérios principais para o acesso dos torcedores: as duas doses da vacina tomadas - ou dose única, no caso da Janssen - ou realização de teste PCR até 48 horas antes da partida. No caso da Arena Castelão, utilizada pelos dois clubes, a liberação de 40% de público seria equivalente a 24 mil torcedores - a capacidade total atual é de 60 mil pessoas.

O pedido oficial será encaminhado ao Governo na quarta-feira, 4, e deverá entrar em pauta na reunião semanal do Comitê estadual de combate à pandemia, na próxima sexta-feira, 6.

Diante da intenção da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de permitir a presença de público a partir das quartas de final da Copa do Brasil - e, possivelmente, ampliar para outras competições -, os dois clubes cearenses da Série A e a Federação decidiram se antecipar para tentar avançar.

As três partes mantinham conversas há alguns meses e já se movimentavam nos bastidores para dar esse passo. Uma reunião chegou a ser marcada com a Secretaria de Saúde, mas sem sucesso pela ausência do titular da pasta, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto.

Alvinegros e tricolores, inclusive, chegaram a firmar parceria com uma empresa de tecnologia que disponibilizaria um aplicativo para controlar a entrada dos torcedores de acordo com os requisitos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

A caixinha de Pandora

00:30 | Ago. 01, 2021
Autor Alan Neto
Foto do autor
Alan Neto Autor
Ver perfil do autor
Tipo Opinião

1. NOS bastidores trama-se o seguinte, com vistas a sucessão de 2022. Vamos abrir essa caixinha de Pandora? Seria feito um apelo ao Camilo para permanecer até o final do governo, carregar nas costas o candidato do PDT. Não foi assim quando era um desconhecido secretário de Estado e Cid segurou as pontas. Por qual razão não repetir a dose?

2. PRECISAMENTE aí, onde a tira pode quebrar. Quer dizer, então, que Camilo ficaria sem mandato, ele que é hoje o mais bem avaliado governador do Brasil? Quem seria o beneficiado? Isolda? Zezinho? Mauro Filho? A preço de hoje, dizem as pesquisas internas, Zezinho é o preferido por ser uma figura leve. Isolda tímida e Mauro apenas finge que sai para o jogo.

3. PRA completar. Esta bomba pode e vai estourar. Luizianne está disposta a se candidatar, conforme a víbora, seu guru. Não engole - nem pode - o PT perder o Governo para três do grupo dos FGs que ela odeia, só quer distância. Senado é muito pouco para Camilo e para o PT. Tem razão. Zé Airton não tem cacife e Guimarães tem medo de arriscar. Vai que é tua, Loura!

 

COVIL DE COBRAS

MAIS fácil o Oceano Atlântico secar, do que se marcar uma audiência com a vice Isolda Cela. Timidez, aceita-se. Mas tudo tem limite.

QUANTO mais ICMS entrar, mais os cofres do Governo do Estado ficam abarrotados. Posto de gasolina, então, virou monumental mapa da mina.

FHC, pavão maior dos tucanos, aponta o governador do Rio Grande do Sul e o senador Tasso para candidato do PSDB à Presidência. Papo furado. Ele quer para ele mesmo. O que impede é a idade. Lembram? Quando em vez, cita o premier Adenauer, que governou a Alemanha, com 92 anos, justo sua idade?

PERGUNTAR não ofende. Sarto ao menos conhece o riacho Pajeú que passa por dentro da sede do Paço?

SÓ tem uma coisa. Candidato que Camilo não apoiar para sucedê-lo, estará frito e mal pago...

MODA agora é Bolsa de Valores. Tem até guru, que está em todas. Vou entrar nessa, mesmo sem um centavo no bolso e a bolsa vazia. Não é moda? Tou dentro.

QUEM deve e não paga é o que? Nelson Rodrigues tinha razão:o velhaco, porque morreu, não deixará de ser velhaco.

 

Assis Cavalcante, presidente da CDL Fortaleza(Foto: CDL Fortaleza/Divulgação)
Foto: CDL Fortaleza/Divulgação Assis Cavalcante, presidente da CDL Fortaleza

O MIDAS

ASSIS Cavalcante, o Midas, passa à história como melhor presidente que a CDL já teve. Renovou-a de uma ponta a outra, através de métodos simples. Assis pensa, agora, no Natal da Luz, já o projeta. Ele é aquele tipo que, por sua simplicidade e gentileza, agrada de cara. É, também, o proprietário da maior rede de óticas da cidade, Visão, que já subiu a casa das 25. Quem cedo madruga...

 

AUSENTE

ESTE mês, Bolsonaro, presidente da República, estará no Cariri. Sexta, 13. Camilo já avisou (ou não?) de que não irá. Será supersticioso? Esqueceu que ele é o chefe da Nação? Camilo não sofre de amnésia.

BARULHEIRA INFERNAL

DISPARADA a publicidade mais barulhenta nas tevês é a da Zenir. De arrombar os tímpanos. O filme é o mesmo. Ou seja: a agência, que é dona da conta, foi a mesma do Romcy, que faliu, e Rabelo, quase. Não se renovou em nada. Espera-se que a Zenir não seja a próxima...

ÁRVORE GENEALÓGICA

NOVO Chefe da Casa Civil, senador Ciro Nogueira, é o maior líder do Piauí. Tem ramificações cearenses em sua árvore genealógica, posto que sobrinho do ex-deputado Etevaldo Nogueira, um dos maiores políticos da santa terrinha.

VÍCIO BENDITO

DARIVAL Bringel, o rei dos hospitais, presidente da Unimed-Ceará, movido a desafios, inaugura, até final do ano, a primeira unidade de Atenção Integrada à Saúde, na Capital. Funcionará no antigo prédio do Ibeu-CE. Vai mais além. Para não perder o vício bendito de inaugurar hospitais, o primeiro da fila é o de Limoeiro do Norte, cuja obra começa em setembro.

LOCKDOWN À VISTA

PREGO aviso. Os primeiros casos da nova cepa do coronavírus já deram sinais aqui no Ceará. Se multiplicar, novo lockdown à vista. Valei-nos, Senhor!  

   

FURNA A ONÇA

.QUEM quiser se esconder do prefeito Átila Câmara, é só ir a Maranguape. Depois de eleito não pisa na Prefeitura, não circula, não responde às mensagens, não atende ao eleitor. Minha terra não saiu dos tempos de Adão e Eva. Que praga, hein?

.PLACAR acusa. CMF ativa e viva - 10 x AL, 2. AL virou local ideal para retiro ou encontro de casais. Fruto de uma gestão que não se renova, nem se inova. Goleada de Antônio Henrique.

.JORNALISTA Moema Soares, presidente da TVC, dará um boom na programação jornalística da emissora, com mudanças profundas, a partir de amanhã. Além do mais, repaginou o prédio. Meu bisavô já dizia: Pessoa certa, no lugar certo, tem tudo para dar certo.

.PRAÇA Portugal, coitada! Virou centro de manifestações políticas de todas colorações.

.SÓ consultando o Google já que ninguém me respondeu: O que é mesmo Tribeca?

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Comunidade do Conjunto Ceará organiza movimento contra descaso em obras do polo de lazer

Fortaleza
17:25 | Jul. 23, 2021
Autor Marília Serpa
Foto do autor
Marília Serpa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O polo de lazer do bairro Conjunto Ceará, em Fortaleza, se tornou sede colaborativa dos movimentos sociais e culturais do local. Na tentativa de preservar o espaço, que passa por obras há três anos, o movimento S.O.S. Conjunto Ceará realizará um ato simbólico nesta sexta-feira, 23. 

A situação vem sendo enfrentada pela população há três anos. Desde 2018, a comunidade do bairro sofre com o descaso por parte do Governo do Estado com obras que foram iniciadas, mas nunca finalizadas no equipamento.

Além das obras inacabadas, que prejudicaram empreendedores locais, a comunidade sofre com a possibilidade de entrega do prédio localizado no polo, conhecido como Território Criativo, para uma organização de outro bairro. A construção sempre foi ocupada e utilizada por coletivos que realizam ações sociais no local, lojistas que trabalhavam com arte e cultura, além de funcionar como centro cultural na região, oferecendo oficinas que são geridas pela própria comunidade do Conjunto Ceará.

O movimento acontece nesta sexta-feira, 23, às 18 horas, na praça do polo de lazer do bairro. Coletivos criativos e culturais que atuam no local participarão do ato visando obter respostas, além de fazer com que o caso ganhe visibilidade e mais mobilização por parte da população. Até o momento, o ofício organizado conta com 100 assinaturas de instituições, associações, coletivos, sindicatos etc.

Johnson Sales, morador do bairro e membro do coletivo Território Criativo, conta que o movimento é um chamado à comunidade para que ela se mobilize na defesa da história cultural do Conjunto Ceará e do cumprimento dos acordos que o governo fez com a sociedade. "O movimento é um ato que vai reunir vários coletivos e figuras públicas do movimento cultural e político do Estado. A ideia é chamar a atenção da sociedade e também chamar a responsabilidade do Governo do Estado", explica.

LEIA MAIS | 11 homens são resgatados de trabalhos em condição análoga à escravidão em Fortaleza

Operação desarticula organização criminosa atuante em Caucaia, Fortaleza e Maracanaú

Entenda o caso

A situação começou em 2018, ano em que alguns prédios pertencentes à Companhia de Habitação do Estado do Ceará (Cohab) iriam ser leiloados. Dentre eles, os prédios Território Criativo e o Centro Cultural Patativa do Assaré, utilizados pela comunidade do Conjunto Ceará, que movimentavam o comércio local, enriqueciam a cultura do lugar e promoviam oficinas gratuitas aos jovens. Para que eles não fossem leiloados, surgiu o movimento S.O.S. Conjunto Ceará, formado por 68 coletivos e movimentos de juventude da cidade de Fortaleza.

“Quando o leilão veio à tona, foram conclamados todos os movimentos de juventude da cidade de Fortaleza, que lutaram até conseguir derrubar dois deles. Foram feitas várias reuniões de articulação com o Governo do Estado para lutar não somente pelo Centro Cultural Patativa do Assaré, mas pelo polo de lazer como um todo”, explica Flor Fontenele, defensora dos direitos humanos e colaboradora do movimento.

Nas negociações, foram realizadas reuniões com a Cohab, Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag) e outros órgãos públicos, com a finalidade de lutar pela reforma do polo de lazer do Conjunto Ceará e do prédio. Após ampla mobilização, foi feito um acordo com a Casa Civil, onde foi elaborado um projeto de reforma. O governador do Estado, Camilo Santana (PT), compareceu em 2018 ao bairro e assinou a ordem de serviço.

LEIA MAIS | Mulher é presa após se passar por produtora de Michel Teló e Luan Santana

Operação da PF contra fraudes a benefícios emergenciais cumpre mandados em Juazeiro e Maranguape

No entanto, as obras, avaliadas em R$ 4 milhões, nunca foram finalizadas. Na época, as chaves do prédio Território Criativo foram entregues à construtora para que passasse por reforma e servisse de acomodação para os operários durante o período. “Estávamos esperando a obra andar, pois ela estava muito lenta. De repente, fomos surpreendidos com o abandono da obra. A construtora sumiu, abandonou a obra, o polo ficou às escuras. Fizemos alguns movimentos reclamando da situação”, conta Flor.

O local permaneceu abandonado por três anos, quando, de repente, uma nova placa com aviso de retomada de obras foi colocada no bairro. Ainda, um novo documento, elaborado pela Cohab e pela Seplag, determinava que o prédio passaria pelas reformas com a finalidade de ser cedido para uma organização do bairro Barroso, também em Fortaleza.

“Foi elaborado um termo de cessão de uso, como se estivessem liberando e repassando o prédio para uma outra organização no bairro Barroso, chamada Associação Comunitária Conjunto Sítio Estrela, no Barroso. Tivemos acesso a esse documento, que doa o nosso prédio que estava na mão do Estado para reforma, para ser usado até 2025 por outra organização. Isso é um absurdo, porque além de destruírem e deixarem abandonado, ainda elaboraram um termo para que ele seja cedido para outra organização use”, esclarece a defensora.

O movimento

Com a finalidade de reivindicar que as reformas sejam feitas para permitir o uso do polo de lazer e do prédio à população do bairro, o movimento S.O.S. Conjunto Ceará visa expor e denunciar a situação de descaso enfrentada pela comunidade desde então. “Nós queremos explicações, queremos saber que entidade é essa que vem lá do Barroso e está querendo tomar o prédio que pertence à comunidade do Conjunto Ceará, que está conosco desde 1998, sendo muito conhecido no lugar”, explica Flor.

O movimento organizou um ofício que já conta com mais de 100 assinaturas que demonstram apoio de instituições, associações, coletivos, sindicatos etc. Dentre o pontos exigidos no documento, os envolvidos pedem a apresentação do projeto a ser executado no polo de lazer; garantia de que os empreendedores poderão retornar ao antigo local de trabalho; entrega do polo e do prédio para continuar sendo gerido e utilizado pela comunidade local; definição de políticas públicas e ações governamentais que voltados para os jovens que frequentam o local; e a retomada do diálogo e negociações entre o governo e a comunidade para resolver os impasses.

"Não dá para desconhecer a história e a força do movimento cultural do Conjunto Ceará, não dá para descumprir acordos que foram feitos em uma mesa de negociações entre a sociedade civil e o Governo do Estado. Então, o ato foca na qualificação da relação entre o governo e a comunidade para a reforma do polo de lazer", completa Johnson.

No Facebook, há uma página criada para dar voz ao movimento, dispondo de publicações, fotos, vídeos e documentos que explicam mais detalhadamente não somente o ato, mas a causa dele. A página pode ser acessada por meio do link.

O POVO entrou em contato com a Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag) para obter um posicionamento por parte do órgão, mas até o presente momento não recebeu resposta.

Clique na imagem para abrir a galeria

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags