Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Ceará tem 27% da população vacinada contra a Covid-19

A campanha de imunização vem ocorrendo para o público geral, de 18 a 59 anos, e demais grupos prioritários no Estado. Na Capital, adolescentes já começaram a ser vacinados
23:19 | Set. 03, 2021
Autor Mirla Nobre
Foto do autor
Mirla Nobre Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Ceará tem um total de 2.530.677 pessoas que completaram a imunização contra a Covid-19 (duas doses de AstraZeneca, CoronaVac, Pfizer ou dose única da Janssen). A quantidade equivale a 27,54%* da população, de um total de 9,1 milhões de pessoas que residem no Estado. Em relação à primeira dose (D1), mais de cinco milhões de pessoas receberam a vacina, contabilizando 58,63% da população do Estado. As informações são da plataforma Vacinômetro, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), consolidadas às 17 horas, dessa quinta-feira, 2.

As estimativas da quantidade populacional são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A plataforma ainda mostra que, nas últimas 24 horas, mais de 42 mil pessoas receberam a D1, 46 mil a D2 e nenhuma a dose única. O Ceará aplicou mais de sete milhões de doses da vacina contra a doença em sete meses da campanha de vacinação contra a doença, iniciada em 18 de janeiro.

LEIA MAIS | Vacinas da Pfizer e da AstraZeneca neutralizam variante Delta após 2ª dose

+ Morre 1ª pessoa com variante Delta do coronavírus no Ceará

No levantamento dos imunizantes que chegaram ao Ceará, por meio do Plano Nacional de Imunização (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde, mais de nove milhões de vacinas foram entregues ao Estado e foram distribuídas aos 184 municípios. A população vem sendo contemplada com doses das vacinas CoronaVac/Instituto Butantan, AstraZeneca/Oxford, Pfizer/BioNTech e Janssen/Johnson&Johnson — esta última utiliza apenas uma dose de aplicação para imunização contra o vírus.

Na tarde desta sexta-feira, 3, o Ceará recebeu novo lote de vacinas contra a Covid-19. Foram 93.600 doses da vacina da Pfizer/BioNTech, que serão utilizadas para aplicação da segunda dose (D2) na campanha de vacinação contra a doença no Estado. A chegada do novo lote foi antecipada pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT), em publicações nas redes sociais nesta manhã.

Confira os números da vacinação no Ceará

Total de doses aplicadas: 7.917.206
Total de D1 aplicadas: 5.386.529
Total de D2 aplicadas: 2.373.962
Total de doses únicas aplicadas: 156.715

Campanha de vacinação

Na campanha de vacinação contra a Covid-19 no Estado, todos os municípios cearenses já começaram a vacinar a população em geral. A nova etapa da campanha acontece de forma escalonada por ordem decrescente de idade, a partir dos 59 anos. Para receber a vacina, as pessoas devem estar devidamente cadastradas na plataforma Saúde Digital, da Sesa.

LEIA MAIS | Passo a passo: como se cadastrar para a vacinação contra a Covid-19 no Ceará

O total de 39 municípios cearenses iniciaram a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos. Em Fortaleza, adolescentes de 12 anos já foram agendados para receber a primeira dose do imunizante nos próximos dias. A vacinação na Capital teve início no dia 26 de agosto. Até hoje, 866.916 fortalezenses completaram o esquema vacinal contra a doença.

Veja os números de vacinados por grupo prioritário no Estado**

- Profissionais de Saúde (fase 1)

Dose 1 (D1): 259.099 (102%)
Dose 2 (D2): 239.383 (87%)
Dose Única (DU): 123

- Idosos institucionalizados (fase 1)

Dose 1 (D1): 2.198 (108%)
Dose 2 (D2): 2.169 (107%)
Dose Única: 0

- Indígenas (fase 1)

Dose 1 (D1): 19.919 (95%)
Dose 2 (D2): 19.616 (94%)

- Idosos > 75 anos (fase 1)

Dose 1 (D1): 375.131 (108,78%)
Dose 2 (D2): 360.422 (104,33%)
Dose Única: 141

- Deficientes institucionalizados (fase 1)

Dose 1 (D1): 620 (148,28%)
Dose 2 (D2): 619 (138%)
Dose Única: 0

- Idosos entre 70 e 74 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 240.247 (108,05%)
Dose 2 (D2): 245.995 (99,17%)
Dose Única (DU): 137

- Idosos entre 65 e 69 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 272.238 (98,36%)
Dose 2 (D2): 275.981 (93,76%)
Dose Única (DU): 247

- Idosos entre 60 e 64 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 339.487 (99%)
Dose 2 (D2): 312.116(79%)
Dose Única: 651

- Povos e comunidades quilombolas (fase 2)

Dose 1 (D1): 14.863 (101%)
Dose 2 (D2): 13.847 (86%)
Dose Única: 79

- Trabalhadores da Força de Segurança, Salvamento e Forças Armadas (fase 2)

Dose 1 (D1): 32.728 (111%)
Dose 2 (D2): 24.246 (61%)
Dose Úncia: 124

- Gestantes, Puérperas e Comorbidades (fase 3)

Dose 1 (D1): 59.396 (93%)
Dose 2 (D2): 36.393 (51%)

- PCD e Comorbidades (Fase 3)

Dose 1 (D1): 423.446 (82%)
Dose 2 (D2): 313.948 (43%)
Dose Única: 2.098

- Trabalhadores da Educação (Fase 4)

Dose 1 (D1): 175.320 (99%)
Dose 2 (D2): 137.688 (17%)
Dose Única: 437

- Trabalhadores Portuários (Fase 4)

Dose 1 (D1): 2.978 (133%)
Dose 2 (D2): 626
Dose Única: 2

- Trabalhadores Transporte Aéreo (Fase 4)

Dose 1 (D1): 1.641 (96%)
Dose 2 (D2): 1.664 (79,13%)
Dose Única: 2

*A Sesa destacou que os dados oscilam negativamente em relação aos dias anteriores por consequência de ajustes nas planilhas enviadas pelos municípios.

**As porcentagens da vacinação da população cearense são definidas com base em metas estabelecidas pela Secretaria Estadual da Saúde do Ceará (Sesa) para cada público prioritário. As taxas de aplicação correspondem às doses que já foram distribuídas. Mediante o envio de lotes de vacinas pelo Ministério da Saúde (MS), as doses dos imunizantes são distribuídas aos municípios proporcionais às estimativas populacionais de cada grupo prioritário (meta).259.285

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Camilo anuncia novo decreto contra a pandemia no Ceará: veja o que muda

PANDEMIA
14:28 | Set. 03, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O horário de funcionamento de comércio e academias no Ceará será ampliado a partir da próxima segunda-feira. O comércio de rua poderá abrir de 8 às 22 horas. Academias poderão funcionar de 5h30min às 22h30min. O novo decreto estadual foi anunciado pelo governador Camilo Santana (PT) na tarde desta sexta-feira, 3 de setembro (03/09). Camilo disse que a ampliação de horário atende demanda do setor e evita concentração de público em determinados horários.

Decreto atual, em vigor até o próximo domingo, 5, permite o funcionamento do comércio de rua das 9 às 19 horas (com limitação de 50%) e das academias de 6 às 22 horas (com 40% capacidade). O governador disse que o novo decreto, a ser publicado até este sábado, 4, irá também prever a realização de eventos-teste.

Camilo disse que a demanda assistencial, o número de casos e a transmissão seguem em baixa. Porém, continua a preocupação com a variante Delta. Segundo o secretário da Saúde, Marcos Antônio Gadelha Maia, o número de casos da variante Delta no Estado segue em 96. Houve uma morte.

"Você que ainda não se vacinou, procure se vacinar. Lembre-se do exemplo dessa semana de uma pessoa que morreu no Ceará, o primeiro caso pela variante Delta, e que poderia ter sobrevivido se tivesse se vacinado. Morreu porque não tinha tomado a vacina. A vacina não que evite de ter a Covid-19, mas diminui muito as consequências, a gravidade da doença", alertou o governador.

O secretário Marcos Gadelha disse que o conjunto de dados dá otimismo grande no combate à pandemia. Porém, há preocupação em função da variante Delta. Ele destacou que há entre 4% e 5% de exames positivos de Covid-19 no Estado. No pico da pandemia, a situação chegou a cerca de 70%. Salientou também a queda do número de casos e mortes. Ele fez apelo por vacinação e disse que não há estratégia mais eficaz.

"Estamos trabalhando agora o prazo em que nós vamos iniciar uma terceira dose, de reforço, na população mais idosa no Estado do Ceará", acrescentou Camilo.

Decretos na 2ª onda no Ceará

2º lockdown: o isolamento rígido em Fortaleza começou em 5 de março de 2021. No dia 13, decreto estadual estendeu as medidas para todo o Estado.

12 de abril: no dia 4 de abril, Camilo Santana anunciou o início da flexibilização no Ceará para o dia 12 de abril. Com a reabertura, foram permitidas algumas atividades de serviço e comércio em horários reduzidos, toque de recolher de segunda à sexta-feira e lockdown aos fins de semana. 

17 de abril: decreto anterior foi mantido, com liberação de atividades físicas individuais em espaços públicos.

23 de abril: flexibilização avança com liberações para escolas, igrejas, templos. barracas de praia e academias de ginástica. Lockdown continua aos sábados e domingos.

30 de abril: Camilo anuncia flexibilização aos sábados e domingos, com autorização para funcionamento de comércio e restaurantes. Na semana, as regras seguem as mesmas.

7 de maio: após quatro semanas de flexibilização, o Ceará não avança na reabertura, mantendo as medidas em vigor. Dois indicadores acenderam sinal de alerta: alto patamar de internações e aumento na positividade de exames

14 de maio: Região de Fortaleza e de Sobral avançam na flexibilização, com ampliação do horário de funcionamento das atividades comerciais. Cariri, Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe continuam com as mesmas restrições.

22 de maio: decreto anterior é prorrogado mantendo ampliação Fortaleza e de Sobral e medidas mais rígidas nas outras três regiões do Estado

29 de maio: decreto amplia flexibilização no Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe, que passam à mesma situação de Fortaleza e Sobral. Cariri mantém restrições

4 de junho: decreto amplia horário de funcionamento de shoppings e restaurantes até 22 horas e toque de recolher vai para 23 horas. Exceção é Cariri, onde restrições são mantidas

11 de junho: governo libera aulas em todas as séries do ensino médio, amplia a capacidade de público em academias, reabre museus, bibliotecas e cinemas. Apenas o Cariri continua com restrições

18 de junho: governador anuncia prorrogação do decreto, interrompendo a sequência de reabertura. Restrições mais severas mantidas no Cariri.

25 de junho: governo libera aulas presenciais em universidades.

28 de junho: decreto autoriza o funcionamento de feiras livres.

9 de julho: anunciado aumento do horário do comércio.

23 de julho: restaurantes podem funcionar até 23 horas. Eventos podem receber até 200 pessoas.

6 de agosto: por causa da chegada da variante Delta, decreto é prorrogado sem mudanças.

20 de agosto: Camilo anuncia que restaurantes moderão funcionar até meia noite.

3 de setembro: Camilo amplia horário de comércio e academias.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Covid-19 no Ceará: Camilo muda horários de funcionamento em novo decreto

em transmissão
13:49 | Set. 03, 2021
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), anunciou nesta sexta-feira, 3, o novo decreto de combate à Covid-19. A cada duas semanas, o momento serve para o gestor dar informações acerca das medidas adotadas no Estado, determinadas após análise de índices pandêmicos, em reunião com o Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia.

o novo decreto ampliou o horário de funcionamento do comércio de rua, que poderá abrir de 8 às 22 horas. Academias também têm horário ampliado: de 5h30min às 22h30min.

 

Confira o anúncio:

 

Decretos na 2ª onda no Ceará

2º lockdown: o isolamento rígido em Fortaleza começou em 5 de março de 2021. No dia 13, decreto estadual estendeu as medidas para todo o Estado.

12 de abril: no dia 4 de abril, Camilo Santana anunciou o início da flexibilização no Ceará para o dia 12 de abril. Com a reabertura, foram permitidas algumas atividades de serviço e comércio em horários reduzidos, toque de recolher de segunda à sexta-feira e lockdown aos fins de semana. 

17 de abril: decreto anterior foi mantido, com liberação de atividades físicas individuais em espaços públicos.

23 de abril: flexibilização avança com liberações para escolas, igrejas, templos. barracas de praia e academias de ginástica. Lockdown continua aos sábados e domingos.

30 de abril: Camilo anuncia flexibilização aos sábados e domingos, com autorização para funcionamento de comércio e restaurantes. Na semana, as regras seguem as mesmas.

7 de maio: após quatro semanas de flexibilização, o Ceará não avança na reabertura, mantendo as medidas em vigor. Dois indicadores acenderam sinal de alerta: alto patamar de internações e aumento na positividade de exames

14 de maio: Região de Fortaleza e de Sobral avançam na flexibilização, com ampliação do horário de funcionamento das atividades comerciais. Cariri, Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe continuam com as mesmas restrições.

22 de maio: decreto anterior é prorrogado mantendo ampliação Fortaleza e de Sobral e medidas mais rígidas nas outras três regiões do Estado

29 de maio: decreto amplia flexibilização no Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe, que passam à mesma situação de Fortaleza e Sobral. Cariri mantém restrições

4 de junho: decreto amplia horário de funcionamento de shoppings e restaurantes até 22 horas e toque de recolher vai para 23 horas. Exceção é Cariri, onde restrições são mantidas

11 de junho: governo libera aulas em todas as séries do ensino médio, amplia a capacidade de público em academias, reabre museus, bibliotecas e cinemas. Apenas o Cariri continua com restrições

18 de junho: governador anuncia prorrogação do decreto, interrompendo a sequência de reabertura. Restrições mais severas mantidas no Cariri.

25 de junho: governo libera aulas presenciais em universidades.

28 de junho: decreto autoriza o funcionamento de feiras livres.

9 de julho: anunciado aumento do horário do comércio.

23 de julho: restaurantes podem funcionar até 23 horas. Eventos podem receber até 200 pessoas.

6 de agosto: por causa da chegada da variante Delta, decreto é prorrogado sem mudanças.

20 de agosto: Camilo anuncia que restaurantes moderão funcionar até meia noite.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Covid-19: Ceará tem mais de 50% da população vacinada com pelo menos uma dose

CORONAVÍRUS
19:56 | Set. 02, 2021
Autor Mirla Nobre
Foto do autor
Mirla Nobre Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Ceará tem mais 5,5 milhões de pessoas que receberam pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19 (uma dose de AstraZeneca, CoronaVac, Pfizer ou dose única da Janssen). A quantidade equivale a 59,86%* da população, de um total de 9,1 milhões de pessoas que residem no Estado.

Em relação às pessoas que receberam as duas doses, o Estado soma 2,3 milhões de pessoas imunizadas. As informações são da plataforma Vacinômetro, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), consolidadas às 17 horas, dessa quarta-feira, 1º. As estimativas da quantidade populacional são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A plataforma ainda mostra que, nas últimas 24 horas, mais de 30 mil pessoas receberam a primeira dose (D1), 25 mil a segunda dose (D2) e nenhuma a dose única. O Ceará aplicou mais de sete milhões de doses da vacina contra a doença em sete meses da campanha de vacinação contra a doença, iniciada em 18 de janeiro.

LEIA MAIS | Vacinas da Pfizer e da AstraZeneca neutralizam variante Delta após 2ª dose

+ Morre 1ª pessoa com variante Delta do coronavírus no Ceará; ele não se vacinou

No levantamento dos imunizantes que chegaram ao Ceará, por meio do Plano Nacional de Imunização (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde, mais de nove milhões de vacinas foram entregues ao Estado e foram distribuídas aos 184 municípios. A população vem sendo contemplada com doses das vacinas CoronaVac/Instituto Butantan, AstraZeneca/Oxford, Pfizer/BioNTech e Janssen/Johnson&Johnson — esta última utiliza apenas uma dose de aplicação para imunização contra o vírus. 

Confira os números da vacinação no Ceará

Total de doses aplicadas: 7.827.808
Total de D1 aplicadas: 5.343.999
Total de D2 aplicadas: 2.327.667
Total de doses únicas aplicadas: 156.142

Campanha de vacinação

Na campanha de vacinação contra a Covid-19 no Estado, todos os municípios cearenses já começaram a vacinar a população em geral. A nova etapa da campanha acontece de forma escalonada por ordem decrescente de idade, a partir dos 59 anos. Para receber a vacina, as pessoas devem estar devidamente cadastradas na plataforma Saúde Digital, da Sesa.

LEIA MAIS | Passo a passo: como se cadastrar para a vacinação contra a Covid-19 no Ceará

O total de 39 municípios cearenses iniciaram a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos. Fortaleza iniciou na última quinta-feira, 26. Nessa quarta-feira, adolescentes de 12 anos já foram contemplados com a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Até hoje, 841.946 fortalezenses completaram o esquema vacinal contra a doença.

Veja os números de vacinados por grupo prioritário no Estado**

- Profissionais de Saúde (fase 1)

Dose 1 (D1): 258.887 (102%)
Dose 2 (D2): 238.527 (87%)
Dose Única (DU): 122

- Idosos institucionalizados (fase 1)

Dose 1 (D1): 2.198 (108%)
Dose 2 (D2): 2.169 (107%)
Dose Única: 0

- Indígenas (fase 1)

Dose 1 (D1): 19.553 (95%)
Dose 2 (D2): 19.254 (94%)

- Idosos > 75 anos (fase 1)

Dose 1 (D1): 375.148 (108,78%)
Dose 2 (D2): 360.588 (104,33%)
Dose Única: 140

- Deficientes institucionalizados (fase 1)

Dose 1 (D1): 550 (148,28%)
Dose 2 (D2): 550 (138%)
Dose Única: 0

- Idosos entre 70 e 74 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 239.928 (108,05%)
Dose 2 (D2): 245.731 (99,17%)
Dose Única (DU): 136

- Idosos entre 65 e 69 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 272.340 (98,36%)
Dose 2 (D2): 267.948 (93,76%)
Dose Única (DU): 252

- Idosos entre 60 e 64 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 339.487 (99%)
Dose 2 (D2): 312.116(79%)
Dose Única: 651

- Povos e comunidades quilombolas (fase 2)

Dose 1 (D1): 14.949 (101%)
Dose 2 (D2): 13.827 (86%)
Dose Única: 79

- Trabalhadores da Força de Segurança, Salvamento e Forças Armadas (fase 2)

Dose 1 (D1): 32.721 (111%)
Dose 2 (D2): 23.894 (61%)
Dose Úncia: 104

- Gestantes, Puérperas e Comorbidades (fase 3)

Dose 1 (D1): 59.185 (93%)
Dose 2 (D2): 35.224 (51%)

- PCD e Comorbidades (Fase 3)

Dose 1 (D1): 423.257 (82%)
Dose 2 (D2): 304.090 (43%)
Dose Única: 2.169

- Trabalhadores da Educação (Fase 4)

Dose 1 (D1): 175.313 (99%)
Dose 2 (D2): 131.850 (17%)
Dose Única: 460

- Trabalhadores Portuários (Fase 4)

Dose 1 (D1): 2.978 (133%)
Dose 2 (D2): 622
Dose Única: 2

- Trabalhadores Transporte Aéreo (Fase 4)

Dose 1 (D1): 1.641 (96%)
Dose 2 (D2): 1.650 (79,13%)
Dose Única: 2

*A Sesa destacou que os dados oscilam negativamente em relação aos dias anteriores por consequência de ajustes nas planilhas enviadas pelos municípios.

**As porcentagens da vacinação da população cearense são definidas com base em metas estabelecidas pela Secretaria Estadual da Saúde do Ceará (Sesa) para cada público prioritário. As taxas de aplicação correspondem às doses que já foram distribuídas. Mediante o envio de lotes de vacinas pelo Ministério da Saúde (MS), as doses dos imunizantes são distribuídas aos municípios proporcionais às estimativas populacionais de cada grupo prioritário (meta).259.285

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Vacinômetro: Ceará tem 26,76% da população vacinada contra a Covid-19

CORONAVÍRUS
23:14 | Set. 01, 2021
Autor Mirla Nobre
Foto do autor
Mirla Nobre Autor
Ver perfil do autor
Tipo

O Ceará tem um total de 2.458.539 pessoas que completaram a imunização contra a Covid-19 (duas doses de AstraZeneca, CoronaVac, Pfizer ou dose única da Janssen). A quantidade equivale a 26,76%* da população, de um total de 9,1 milhões de pessoas que residem no Estado. Em relação à primeira dose (D1), mais de cinco milhões de pessoas receberam a vacina, contabilizando 57,83% da população do Estado. As informações são da plataforma Vacinômetro, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), consolidadas às 17 horas, dessa terça-feira, 31.

As estimativas da quantidade populacional são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A plataforma ainda mostra que, nas últimas 24 horas, mais de 35 mil pessoas receberam a D1, 21 mil a D2 e nenhuma a dose única. O Ceará aplicou mais de sete milhões de doses da vacina contra a doença em sete meses da campanha de vacinação contra a doença, iniciada em 18 de janeiro.

LEIA MAIS | Vacinas da Pfizer e da AstraZeneca neutralizam variante Delta após 2ª dose

+ Morre 1ª pessoa com variante Delta do coronavírus no Ceará; ele não se vacinou

No levantamento dos imunizantes que chegaram ao Ceará, por meio do Plano Nacional de Imunização (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde, mais de nove milhões de vacinas foram entregues ao Estado e foram distribuídas aos 184 municípios. A população vem sendo contemplada com doses das vacinas CoronaVac/Instituto Butantan, AstraZeneca/Oxford, Pfizer/BioNTech e Janssen/Johnson&Johnson — esta última utiliza apenas uma dose de aplicação para imunização contra o vírus.

Mais de 357 mil doses da CoronaVac chegaram ao Ceará na manhã desta quarta-feira, 1º. Os imunizantes serão utilizados para aplicação da primeira e segunda doses (D1 e D2). O anúncio da chegada das vacinas foi realizado pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT), por meio das redes sociais. O gestor ainda informou que mais dois lotes devem chegar ao Estado ainda hoje: um lote da AstraZeneca, com 27.000 doses, e outro carregamento com 56.160 doses da Pfizer. Ambas as remessas serão utilizadas para aplicação da D2.

Confira os números da vacinação no Ceará

Total de doses aplicadas: 7.772.318
Total de D1 aplicadas: 5.313.779
Total de D2 aplicadas: 2.302.596
Total de doses únicas aplicadas: 155.943

Campanha de vacinação

Na campanha de vacinação contra a Covid-19 no Estado, todos os municípios cearenses já começaram a vacinar a população em geral. A nova etapa da campanha acontece de forma escalonada por ordem decrescente de idade, a partir dos 59 anos. Para receber a vacina, as pessoas devem estar devidamente cadastradas na plataforma Saúde Digital, da Sesa.

LEIA MAIS | Passo a passo: como se cadastrar para a vacinação contra a Covid-19 no Ceará

O total de 39 municípios cearenses iniciaram a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos. Fortaleza iniciou na última quinta-feira, 26. Nesta quarta-feira, adolescentes de 12 anos foram contemplados com a primeira dose da vacina contra a Covid-19. A campanha segue ao longo da semana em ordem decrescente de idade. Até hoje, 831.769 fortalezenses completaram o esquema vacinal contra a doença.

Veja os números de vacinados por grupo prioritário no Estado**

- Profissionais de Saúde (fase 1)

Dose 1 (D1): 258.887 (102%)
Dose 2 (D2): 238.527 (87%)
Dose Única (DU): 122

- Idosos institucionalizados (fase 1)

Dose 1 (D1): 2.198 (108%)
Dose 2 (D2): 2.169 (107%)
Dose Única: 0

- Indígenas (fase 1)

Dose 1 (D1): 19.553 (95%)
Dose 2 (D2): 19.254 (94%)

- Idosos > 75 anos (fase 1)

Dose 1 (D1): 375.148 (108,78%)
Dose 2 (D2): 360.588 (104,33%)
Dose Única: 140

- Deficientes institucionalizados (fase 1)

Dose 1 (D1): 550 (148,28%)
Dose 2 (D2): 550 (138%)
Dose Única: 0

- Idosos entre 70 e 74 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 239.928 (108,05%)
Dose 2 (D2): 245.731 (99,17%)
Dose Única (DU): 136

- Idosos entre 65 e 69 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 272.340 (98,36%)
Dose 2 (D2): 267.948 (93,76%)
Dose Única (DU): 252

- Idosos entre 60 e 64 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 339.487 (99%)
Dose 2 (D2): 312.116(79%)
Dose Única: 651

- Povos e comunidades quilombolas (fase 2)

Dose 1 (D1): 14.949 (101%)
Dose 2 (D2): 13.827 (86%)
Dose Única: 79

- Trabalhadores da Força de Segurança, Salvamento e Forças Armadas (fase 2)

Dose 1 (D1): 32.721 (111%)
Dose 2 (D2): 23.894 (61%)
Dose Úncia: 104

- Gestantes, Puérperas e Comorbidades (fase 3)

Dose 1 (D1): 59.185 (93%)
Dose 2 (D2): 35.224 (51%)

- PCD e Comorbidades (Fase 3)

Dose 1 (D1): 423.257 (82%)
Dose 2 (D2): 304.090 (43%)
Dose Única: 2.169

- Trabalhadores da Educação (Fase 4)

Dose 1 (D1): 175.313 (99%)
Dose 2 (D2): 131.850 (17%)
Dose Única: 460

- Trabalhadores Portuários (Fase 4)

Dose 1 (D1): 2.978 (133%)
Dose 2 (D2): 622
Dose Única: 2

- Trabalhadores Transporte Aéreo (Fase 4)

Dose 1 (D1): 1.641 (96%)
Dose 2 (D2): 1.650 (79,13%)
Dose Única: 2

*A Sesa destacou que os dados oscilam negativamente em relação aos dias anteriores por consequência de ajustes nas planilhas enviadas pelos municípios.

**As porcentagens da vacinação da população cearense são definidas com base em metas estabelecidas pela Secretaria Estadual da Saúde do Ceará (Sesa) para cada público prioritário. As taxas de aplicação correspondem às doses que já foram distribuídas. Mediante o envio de lotes de vacinas pelo Ministério da Saúde (MS), as doses dos imunizantes são distribuídas aos municípios proporcionais às estimativas populacionais de cada grupo prioritário (meta).259.285

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Globo deve demitir funcionários que se recusarem a tomar vacina da Covid

demissão
21:28 | Set. 01, 2021
Autor Kauanna Castelo
Foto do autor
Kauanna Castelo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Rede Globo comunicou nesta quarta-feira, 1º de setembro (01/09), que os funcionários que se recusarem a tomar a vacinar contra a Covid-19 poderão ser demitidos. A empresa afirma que a decisão foi tomada visando o bem da coletividade, sendo fundamental para que a saúde dos colaboradores não seja colocada em risco. 

De acordo com o comunicado da emissora, o imunizante é "uma estratégia eficaz contra a disseminação do vírus e uma forte aliada para proteção de todos", e passa a ser obrigatório para todos os funcionários, incluindo estagiários e jovens aprendizes. A não vacinação poderá resultar na demissão.

O canal também afirmou que os colaboradores que não podem ser vacinados por motivos médicos não correm risco de desligamento. Mesmo destacando que a ação está "alinhada com o que é praticado em diversas empresas", a Rede Globo é a primeira emissora de televisão brasileira a impor esse tipo de decisão.

Veja comunicado da Globo na íntegra

Em mais de um ano de pandemia, temos aprendido a cada dia sobre formas de prevenção e combate à Covid-19. E este é um aprendizado contínuo. A partir dele, podemos dizer que a aplicação das vacinas é uma estratégia eficaz contra a disseminação do vírus e uma forte aliada para proteção de todos.

Seguindo o compromisso de contribuir para um ambiente seguro para nossas pessoas, informamos que a vacinação contra a Covid-19 passa a ser uma condição obrigatória para todos os colaboradores trabalharem na Globo, incluindo estagiários e jovens aprendizes. Com exceção daqueles que não podem ser vacinados por motivos médicos, a não vacinação poderá resultar no desligamento.

A obrigatoriedade da vacina está em linha com a prática de diversas empresas no mercado atualmente, uma vez que a decisão por não se vacinar impacta o coletivo e coloca em risco a saúde dos outros colaboradores.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags