PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Reunião nesta terça deve definir metodologia de aplicação da Sputnik V no Nordeste

A partir desta definição, existe um prazo de sete a dez dias para começar a aplicação do imunizante russo na região. Um estudo de efetividade sobre a Sputnik V foi solicitado pela Anvisa

Lais Oliveira
11:57 | 08/06/2021
A Anvisa autorizou a importação excepcional e temporária de doses da Sputnik V feita pelos estados da Bahia, Maranhão, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Piauí.  (Foto: ARIA EUGENIA CERUTTI / Presidência Argentina / AFP)
A Anvisa autorizou a importação excepcional e temporária de doses da Sputnik V feita pelos estados da Bahia, Maranhão, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Piauí. (Foto: ARIA EUGENIA CERUTTI / Presidência Argentina / AFP)

Secretários dos estados que compõem o Consórcio Nordeste devem se reunir nesta terça-feira, 8, para definir a metodologia de aplicação da vacina Sputinik V na região, após autorização, com condicionantes, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na última sexta-feira, 4. A partir desta definição, existe um prazo de sete a dez dias para começar a aplicação do imunizante russo. 

Em entrevista à Rádio O POVO CBN hoje, o titular da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, Dr. Cabeto, informou que o grupo deve se reunir às 17 horas para discutir a proposta do estudo de efetividade solicitado pela Anvisa. 

"Uma vez definido esse estudo, nós temos a perspectiva entre sete a dez dias para começar a aplicar a vacina no Nordeste. O que nós vamos definir hoje é a metodologia. Se nós vamos aplicar em cidades específicas do início, pra depois expandir, haja vista que nós vamos ter no começo um 1 milhão de vacinas disponibilizadas", comentou.

É provável que as primeiras doses da vacina russa sejam aplicadas em uma cidade de cada Estado, de modo a facilitar o monitoramento dos resultados e a exemplo de outros estudos já realizados previamente no Brasil com outros imunizantes. 

A Anvisa autorizou a importação excepcional e temporária de doses da Sputnik V feita pelos estados da Bahia, Maranhão, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Piauí. Um total de 183 mil doses da vacina russa Sputnik V poderão ser importadas para o Ceará.

A decisão vale apenas para lotes específicos de imunizantes e não configura autorização de uso emergencial contra a Covid-19. Segundo a Anvisa, poderão ser importadas inicialmente 928 mil doses da Sputnik V. Após o uso das doses autorizadas, a Agência vai analisar os dados de monitoramento para avaliar os próximos quantitativos a serem importados. No caso da Sputnik, o uso será restrito a 1% da população de cada um dos seis estados solicitantes. 

No domingo, 6, o prefeito de Fortaleza, José Sarto (PDT), anunciou que a vacinação da população geral em Fortaleza contará com o apoio de doses do imunizante russo. A Capital começou a vacinação do público geral.

 

Veja quantas doses da Sputnik cada estado receberá:

Bahia – 300 mil doses.

Maranhão – 141 mil doses.

Sergipe – 46 mil doses.

Ceará – 183 mil doses.

Pernambuco – 192 mil doses.

Piauí – 66 mil doses.

Resultados da vacinação no Ceará

 

O secretário da Saúde do Ceará, Dr. Cabeto, também antecipou que em breve será divulgado estudo com resultados da vacinação com as vacinas CoronaVac e AstraZeneca/Oxford no Estado. Os dados vão revelar índices de eficácia da primeira dose dos imunizantes, além dos efeitos adversos. "Já adianto que é um bom resultado", completou.