PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Após internados em UTI dobrar, Unimed construirá hospital de campanha pela segunda vez

A estrutura, que já funcionou entre os meses de março e junho de 2020, deve ficar pronta entre 10 e 15 dias. A previsão era que a montagem acontecesse apenas no fim de fevereiro, mas teve que ser antecipada

Leonardo Maia
20:22 | 15/02/2021
O hospital foi desmontado no fim de junho de 2020. Na foto: profissionais recebem homenagem no encerramento do hospital de campanha. (Foto: Aurelio Alves/ O POVO)
O hospital foi desmontado no fim de junho de 2020. Na foto: profissionais recebem homenagem no encerramento do hospital de campanha. (Foto: Aurelio Alves/ O POVO)

A Unimed Fortaleza vai iniciar construção de hospital de campanha mais uma vez. Com o aumento dos casos e da pressão assistencial na rede desde o inicio deste mês, o número de leitos disponíveis para atendimento de pacientes com a doença está se esgotando. Nesta segunda-feira, 15, apenas dois dos 76 leitos de UTI da rede estavam disponíveis para internações. As informações foram divulgadas pelo presidente da cooperativa, o médico Elias Leite.

>> Lembre quando o equipamento foi montado pela primeira vez, no fim de março

A estrutura, que também funcionou entre os meses de março e junho de 2020, deve ficar pronta entre 10 e 15 dias. O número de leitos que serão somados aos atuais 76 não foi divulgado pelo médico. Nesta terça-feira, 16, uma ala com dez leitos de UTI será aberta pela cooperativa.

Entre os dias 1º e 15 de fevereiro, o número de pacientes internados em UTI quase dobrou — passou de 76 para 151. O incremento foi ainda maior para aqueles que estão dependendo de ventiladores pulmonares para resistir à doença: 109% de aumento no mesmo período, o índice subiu de 43 para 90 pacientes. Em relação às enfermarias, a ocupação é de 95% no Hospital Regional Unimed, principal unidade de saúde da rede.

Em suas redes sociais, Elias Leite falou sobre o susto da equipe da cooperativa com o aumento tão vertiginoso do estado da pandemia. “Não acreditávamos que os casos iam subir tanto tão rápido, mas já que chegaram a um limite que nós tínhamos determinado previamente, tomamos a decisão de construir o hospital (de campanha)”, lamenta. O médico disse que a expectativa era que o início da construção acontecesse só no fim de fevereiro, caso necessário.

Leia Também | Em janeiro, Unimed Fortaleza atende em um dia segundo maior número de casos suspeitos de Covid-19 desde maio de 2020

Média de ocupação dos leitos de UTI adulto em Fortaleza está em 97%, maior já registrada desde pico da pandemia

Número de pessoas vacinadas contra Covid-19 em Fortaleza pode chegar a 100 mil nesta segunda, 15

O número de pacientes internados em UTI entre ontem e hoje na Unimed subiu em 19, já aqueles que dependem de respiradores também foram incrementados em 10. No domingo, 14, 231 pacientes com suspeitas de Covid-19 foram atendidos pela rede privada. “Muitos estão brincando com a vida, mas tem muita gente em estado grave, infelizmente”, ponderou o médico.

Rede pública também enfrenta superlotação; UTI adulto chega a 94%

O número de ocupação de leitos de UTI no Ceará chega a 87,3% considerando unidades públicas e privadas, de acordo com dados desta noite do IntegraSUS, ferramenta da Secretária de Saúde do Estado do Ceará (Sesa). A taxa é considerada como risco alto de acordo com classificação feita pela pasta.

Considerando apenas as UTIs adulto da administração pública o número é ainda mais preocupante: 94,3% de ocupação. Unidades de referência do Estado, como o Hospital São José e o Hospital da Região Norte, chegam a 100% de ocupação. O Hospital Leonardo da Vinci, com 120 leitos de UTI, está com ocupação de 95,8%.

O governador Camilo Santana (PT) anunciou na última sexta-feira, 12, a ampliação da rede de saúde pública do Estado, com a inclusão de mais 212 leitos de UTI exclusivos para tratamento de Covid-19 até o final do mês de fevereiro. Atualmente, a rede de saúde pública conta com 491 leitos UTI para a doença, com ampliação o número sobe para 703.

10.836 cearenses morreram em decorrência da Covid-19, de acordo com dados do IntegraSUS desta segunda-feira. No total, mais de 396 mil casos foram confirmados no Estado e 37,5 mil seguem em investigação. Nenhum óbito foi confirmado pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas.