Participamos do

Personagens LGBTQIA+ de novelas são tema de nova série do Globoplay

A produção inclui 50 entrevistas com artistas e profissionais da TV Globo para relembrar a inserção de personagens LGBTQIA+ nas telenovelas e sua importância para o público
10:09 | Out. 13, 2021
Autor Ana Flávia Marques
Foto do autor
Ana Flávia Marques Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Ao longo dos anos, personagens LGBTQIA+ fizeram sucesso nas novelas, como Crô (Marcelo Cerrado) em "Fina Estampa", Félix (Mateus Solano) em "Amor à Vida" e Ivan (Carol Duarte) em "A Força do Querer". Nesta semana, o Globoplay estreia série documental que aborda a representatividade LGBTQIA+ nas teledramaturgias da TV Globo e inclui entrevistas com o público e profissionais da emissora.

Em três episódios, a produção traça uma linha cronológica sobre a inclusão de personagens LGBTQIA+ nas novelas do canal, além de debater sobre como marcos históricos influenciaram na aceitação ou rejeição dessas histórias. Cerca de 50 pessoas foram entrevistadas, incluindo profissionais da Globo e anônimos. O intuito é discutir sobre a abordagem da comunidade na ficção e o impacto desses personagens na vida real.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Marcelo Cerrado, responsável pelo Crô de "Fina Estampa", relembra o sucesso do personagem, que ganhou até filme. "Sempre fui um amigo das causas e convivi com a comunidade LGBTQIA+. Qualquer personagem que traga alguma representatividade ajuda, principalmente numa novela de dez anos atrás. O público abraçou tanto na época. Fui homenageado em paradas gays e boates. No carnaval, 200 ritmistas saíram fantasiados de Crô na São Clemente. Não tenho palavras para descrever a emoção e o carinho que eu tive do público. Mas o mundo mudou, né?", declarou.

Ao longo dos anos, os personagens LGBTQIA+ ganharam histórias mais aprofundadas, cenas de afeto e carinho passaram a ser exibidas na televisão e além dos gays e lésbicas, outras siglas passaram a ser representadas, como drag queen - Elis Miranda de "A Força do Querer", interpretada por Silvero Pereira - e transgênero - Ivan, interpretado por Carol Duarte também em "A Força do Querer". Confira os principais marcos para a comunidade LGBTQIA+ nas novelas:

 

1. Primeiro personagem gay

O costureiro Rodolfo Augusto (Ary Fontoura) é considerado uma das primeiras representações de um homossexual na televisão. O personagem surgiu em "Assim na Terra como no Céu", exibida no início dos anos 70.

 

2. Beijo Gay cortado

Em "America", exibida em 2005, estava previsto para ser transmitido o primeiro beijo gay da televisão. A cena seria protagonizada por Júnior (Bruno Gagliasso) e Zeca (Erom Cordeiro) e chegou a ser gravada sete vezes, mas nunca foi ao ar. A autora da trama, Gloria Perez, chegou a ser criticada pelo público, mas afirmou que estava chateada com a decisão, dando a entender que não foi responsável pelo corte.

 

3. Primeiro Beijo Gay

O primeiro beijo entre dois homens aconteceu na novela "Amor à Vida", de 2014. A cena foi protagonizada por Félix (Mateus Solano) e Niko (Thiago Fragoso).

 

4. Primeiro Beijo Lésbico

O primeiro beijo entre duas mulheres aconteceu na novela "Senhora do Destino", em 2005, entre as personagens Jenifer (Bárbara Borges) e Eleonora (Mylla Christie), mas ao ser reprisada em 2017, no "Vale a Pena Ver de Novo", algumas cenas entre as duas foram cortadas.

 

5. Transsexualidade

A primeira personagem oficialmente trans foi Ramona (Claudia Raia), que surgiu em “As filhas da mãe” (2001). Mas Ivan é provavelmente o personagem trans mais conhecido da emissora. Carol Duarte interpretou o papel em "A Força do Querer" (2017) e emocionou o público com sua atuação.

 

Série "Orgulho além da tela"

Onde assistir: Globoplay

 

Colunistas sempre disponíveis e acessos ilimitados. Assine O POVO+ clicando aqui

 

Podcast Vida&Arte
O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags