Participamos do

"Caso Richthofen": filmes baseados no crime estreiam na Amazon

Os filmes "A Menina Que Matou os Pais" e "O Menino Que Matou Meus Pais" mostram versões diferentes do caso que surpreendeu o Brasil. A atriz Carla Diaz interpreta a assassina Suzane von Richthofen no filme
21:57 | Set. 24, 2021
Autor Kauanna Castelo
Foto do autor
Kauanna Castelo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Os filmes "A Menina Que Matou os Pais" e "O Menino Que Matou Meus Pais" que contam a história de Suzane von Richthofen - uma menina que em 31 de outubro de 2002 assassinou os próprios pais - estrearam simultaneamente na plataforma de streaming da Amazon Prime Video nesta sexta-feira, 24 de setembro (24/09). Leonardo Bittencourt e Carla Diaz dão vida aos acusados pelo crime Daniel Cravinhos e Suzane von Richthofen.

Após quase duas décadas do crime que aterrorizou o país, o caso ganhou produção cinematográfica em que conta versões contraditórias do caso Richthofen. Em "A Menina Que Matou os Pais" Suzana é apresentada como uma garota mimada que planeja a morte de sua mãe repressora e do pai agressivo e assediador com ajuda de Daniel Cravinhos e seu irmão Christian. Já no "O Menino Que Matou Meus Pais" ela é interpretada como uma garota ingênua, que foi manipulada pela família Cravinhos que estava interessada no dinheiro dela.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A ideia em abordar a história dessa forma veio dos roteirista da longa, Ilana Casoy e Raphael Montes. Já que Suzane e Daniel relatam fatos diferentes do ocorrido. Os filmes, portanto, são fiéis aos depoimentos que os acusados deram ao tribunal. 

Segundo a atriz Carla Diniz, não é possível ter certeza absoluta sobre o que de verdade aconteceu. "A verdade é algo que nunca saberemos, porque não estávamos lá. Talvez a resposta esteja na mistura das duas versões. Os filmes são baseados nos autos do processo, por isso é compreensível que cada personagem tente defender o seu lado", disse a artista em entrevista a IstoÉ.

De acordo com os críticos de cinema, a longa-metragem em formato “true crime”, versão ficcional de crimes reais, ambos os filmes são bons e alcançam o objetivo ao qual se propõem - que é transformar em cenas o crime estarrecedor cometido por três jovens no interior de uma mansão da zona sul de São Paulo. 

Confira o trailer dos filmes A Menina Que Matou os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais:

Clique aqui para assistir o vídeo no YouTube ou veja o vídeo abaixo:


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags