Participamos do

Facebook: dados de 1,5 bi de usuários são vendidos por criminosos, diz site

Facebook ficou fora do ar hoje, 4, por horas, assim como WhatsApp e Instagram. Dados de mais de 1,5 bilhão de usuários vêm sendo vendido na dark web. A informação é do site Privacy Affairs.
20:02 | Out. 04, 2021
Autor Kauanna Castelo
Foto do autor
Kauanna Castelo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em meio a uma pane mundial ocorrida hoje, 4, nas redes sociais ligadas a Mark Zuckerbeg, o site Privacy Affairs informou que dados de mais de 1,5 bilhão de usuários do Facebook vêm sendo vendidos em um popular fórum de crimes virtuais na dark web.

Até o momento, não foram confirmados se ambos os problemas estão diretamente ligados, já que o Facebook também ficou fora do ar. Porém, segundo o site, há indícios de que os dados são reais e trazem nome, e-mail, número de telefone, localização, gênero e ID de usuário na rede. As contas estão sendo vendidas por US$ 5 mil - cerca de R$ 27,3 mil na cotação atual.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Ainda de acordo com a Privacy Affairs, os vendedores afirmam que esses dados não foram obtidos a partir de invasões, mas sim por meio de raspagem de dados - um método utilizado por hackers para coletar informações que os próprios usuários, de forma consciente ou não, deixam pública. A principal forma de coleta foi através de enquetes divulgadas na rede social.

Mesmo em meio ao transtorno, as contas não foram comprometidas, já que as senhas não estão entre os dados vendidos. Entretanto, com acesso as outras informações como número de telefone e localização, os usuários podem estar vulneráveis a golpes de sequestro virtual com mais facilidade. 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags