Participamos do

Ciro e Cid Gomes têm sigilos bancário e fiscal quebrados

A decisão que determina as quebras, o juiz Danilo Dias Vasconcelos de Almeida, da 32ª Vara Federal do Ceará, determinou a apreensão de computadores, telefones celulares, tablets, pendrives e outros dispositivos de armazenamento de mídia, "sejam eles funcionais e/ou particulares"
16:04 | Dez. 15, 2021
Autor Carlos Holanda
Foto do autor
Carlos Holanda Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Alvos de operação da Polícia Federal nesta quarta-feira, 15, os irmãos pedetistas Cid e Ciro Gomes tiveram quebrados os sigilos bancário e fiscal. A decisão também alcançou outro irmão, o secretário de Infraestrutura do Ceará, Lúcio Gomes. O período que será apurado é de 2009 a 2014. A Polícia Federal deflagrou operação nesta manhã para apurar suposta propina a servidores e políticos para favorecimento a empresa Galvão Engenharia, vencedora de licitação no Castelão. 

O sigilo telefônico de Ciro e Lúcio também foi levantado pelo juiz Danilo Dias Vasconcelos de Almeida, da 32ª Vara Federal do Ceará, de modo que os investigadores poderão averiguar com base nos contatos se ocorreram supostas tratativas referentes ao caso.

Na decisão, o juiz Danilo Dias Vasconcelos de Almeida, da 32ª Vara Federal do Ceará, determinou a apreensão de computadores, telefones celulares, tablets, pendrives e outros dispositivos de armazenamento de mídia, "sejam eles funcionais e/ou particulares."

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O magistrado especifica que os investigadores estão autorizados a acessar dados como fotos, áudios e conversas em WhatsApp e Telegram. Também poderão vasculhar informações contidas na "nuvem" - armazenamento online - dos eletrônicos e e-mails.

Danilo determina ainda que as operadoras de telefonia ou internet forneçam os extratos dos terminais telefônicos e o espelhamento dos dados armazenados nos telefones e endereços eletrônicos que constam na decisão, entre 1º de janeiro de 2007 e 31 de dezembro de 2018, caso ainda estejam em arquivo.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags