Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Cientistas acham galáxia "gêmea" da Via Láctea a 320 milhões de anos-luz

Chamada de UGC 10738, galáxia se assemelha à Via Láctea por ter dois discos distintos de estrelas com composições diferentes; formação "gêmea" era apontada como rara em simulações

Uma galáxia "gêmea" da Via Láctea foi descoberta por cientistas australianos. Com o pouco atraente nome de UGC 10738, ela está a 320 milhões de anos-luz da Terra.

Conforme explicado em uma publicação por dois dos astrônomos que participaram do estudo, Jesse van de Sande e Nicholas Scott, a Via Láctea se assemelha, em sua maior parte, a outras galáxias espirais, que são as mais comuns do universo. No entanto, um detalhe importante a torna diferente do resto: quando vista horizontalmente por equipamentos especializados, é possível discernir dois "discos" diferentes na formação da galáxia.

O maior deles, mais fino, é visível à noite, a olho nu e pode ser notado em locais de céu aberto, longe de centros urbanos, como um arco de nuvens e estrelas. Ele tem cerca de 1.000 anos-luz de espessura e 100 mil anos-luz de diâmetro.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O segundo precisa de telescópios para ser enxergado, e por isso só foi descoberto em 1983. Ele é consideravelmente mais grosso, com "alguns milhares" de anos-luz de espessura, segundo os pesquisadores, tendo diâmetro menor que o disco mais fino. Ambos têm o mesmo centro.

A diferença entre essas formas é que o disco fino é habitado por estrelas mais jovens, que possuem elementos químicos mais pesados em sua composição, e tem uma densidade muito maior, com mais estrelas. O mais espesso, por sua vez tem estrelas mais antigas, com cerca de 100 vezes menos materiais pesados, e é muito menos "populoso".

| LEIA MAIS |

Discovery vai levar uma pessoa ao espaço em novo reality

Projeto Astrominas oferece 600 vagas para mergulho na ciência

Vida em Marte? Robô Perseverance, da Nasa, não achou fungos no planeta

Formação "gêmea" indica que galáxias como a Via Láctea são comuns


Em simulações de computador feitas em anos anteriores, cientistas haviam chegado à conclusão que este tipo de formação com dois discos distintos provavelmente aconteceria pelo choque entre duas galáxias, o que seria extremamente raro.

Essa percepção mudou com o estudo da UGC 10738. Os astrônomos começaram pesquisando diversas galáxias similares à Via Láctea, e se detiveram nesta por sua posição: vista da Terra, ela está de lado, o que permite distinguir com facilidade os discos fino e espesso.

Analisando a composição da galáxia, eles descobriram que os elementos químicos presentes nela são extremamente similares aos da Via Láctea, inclusive a diferença de materiais e a densidade de estrelas nos dois discos. Outro ponto importante é que a NGC 10738 não tem nenhum indicativo de que tenha sofrido grandes colisões no passado, implicando que esse tipo de formação ocorreu de maneira natural.

A descoberta é importante porque indica que a Via Láctea não é uma galáxia "especial", com características raras, como anteriormente se imaginava. Isso é importante porque, como ela é a mais próxima da Terra e mais fácil de estudar, a possibilidade de usar a Via Láctea como "modelo" para compreender a formação de galáxias diversas é maior.

Mais sobre astronomia

Chuva de meteoros será visível por todo Brasil na madrugada desta quinta-feira, 6

Veja imagens da superlua 'rosa', fenômeno visível a olho nu nesta segunda

Cápsula Crew Dragon da SpaceX levou nova tripulação à ISS

Grande asteroide passa a dois milhões de quilômetros da Terra sem provocar risco

Meteoro ou disco voador? Saiba o que é "bola de fogo" vista em algumas cidades do Ceará

Maior asteroide a se aproximar da Terra no ano passará neste domingo

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar