PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Vida em Marte? Robô Perseverance, da Nasa, não achou fungos no planeta

Cientista que fez afirmação de que missão da Nasa a Marte teria encontrado fungos é conhecido por publicar teorias da conspiração; Perseverance é equipado para achar sinais de vida no planeta

Bemfica de Oliva
21:09 | 13/05/2021
Imagem enviada pela sonda Perseverance mostra apenas pedras, e não fungos em Marte, ao contrário do que foi noticiado nos últimos dias (Foto: NASA/JPL-Caltech)
Imagem enviada pela sonda Perseverance mostra apenas pedras, e não fungos em Marte, ao contrário do que foi noticiado nos últimos dias (Foto: NASA/JPL-Caltech)

Ao contrário do que alguns veículos de imprensa noticiaram nos últimos dias, não há indícios de que o robô Perseverance, da Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), tenha encontrado vida em Marte. Embora a sonda tenha sensores para detectar a presença de organismos vivos no planeta, nenhuma evidência neste sentido foi achada até o momento.


O cientista responsável pela afirmação, Rhawn Gabriel Joseph, se destacou no campo da neurociência durante os anos 1970. No entanto, além de não ter formação específica na área, ele tem sido conhecido nos últimos anos por propagar teorias da conspiração. Nenhuma publicação científica de renome noticiou indícios de vida em Marte até o momento, tampouco a Nasa, responsável direta pela missão relatou algo do tipo.

As declarações de Joseph são baseadas apenas em fotos de objetos circulares, de fato tiradas pelo Perseverance, porém que não indicam a presença dos fungos. Segundo ele, o fato de que os objetos mudam de tamanho e se aproximam, em diferentes imagens, seria indício de que se tratam de seres vivos. No entanto, se tratam apenas de rochas, cujo formato foi moldado pela ventania do planeta. A diferença de tamanho e posição também é explicada pelo vento, que move as pedras e a quantidade de areia que as cobre.

Robô Perseverance tem sensores para detectar vida em Marte


A missão Curiosity, da Nasa, que é composta pelo robô Perseverance e pelo drone Ingenuity, tem, entre os objetivos, estudar a possibilidade de existência de vida no planeta vermelho. Para isso, o Perseverance tem sensores que podem detectar atividade orgânica já durante sua estadia no planeta. Além disso, amostras recolhidas pela missão retornarão à Terra em uma missão prevista para 2026, e passarão por análises presenciais.

Até o momento, porém, nenhum sinal de que pode haver vida em Marte foi captado pelo Perseverance. Se os sensores detectarem algo do tipo, é esperado que divulgação do fato seja feita pela própria Nasa, e não por cientistas sem relação com a Agência.

Veja vídeo do primeiro sobrevoo do drone Ingenuity em Marte

Mais sobre astronomia