Participamos do

Um mês após a morte de travesti apedrejada e espancada, caso segue sem resposta

Família não tem respostas sobre o caso e pede Justiça
12:11 | Abr. 01, 2022
Autor Jéssika Sisnando
Foto do autor
Jéssika Sisnando Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Sofia Giselly foi morta no dia 11 de fevereiro. O corpo franzino cheio de hematomas estirado em um terreno baldio na avenida Osório de Paiva, Grande Bom Jardim, delatava que ali havia violência. Parte da roupa da travesti de 22 anos havia sido retirada. Pedras e pedaços de madeiras estavam próximos ao corpo. Uma cena que chocou amigos, família, moradores do bairro e quem nem conhecia a vítima. O fato é que o caso completou um mês no dia 11 de março e a família não teve respostas sobre o caso.  

Familiares relatam que não foram procuradas para o acompanhamento do caso e que, até o momento, não há suspeitos presos. Os parentes sofrem duas vezes, seja com a ausência da familiar, mas também com a incerteza de uma solução para o caso.  A irmã de Sofia diz os parentes não têm respostas ou atualização do caso. "Ainda choro muito", relata. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O POVO solicitou informações à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e indagou se algum suspeito foi preso. A resposta enviada por meio de nota é que o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) mantém uma investigação sobre a morte que aconteceu no Bom Jardim e que diligências e oitivas são realizadas. "Mais informações serão repassadas posteriormente, visando preservar o andamento do trabalho policial", relata o órgão. 

Pacatuba

 

Nesta quarta-feira, 30, uma vítima de 31 anos foi morta a tiros em Pacatuba, Região Metropolitana de Fortaleza. Mais uma mulher trans vítima de violência. Segundo a SSPDS, equipes da Polícia Civil e da Polícia Militar realizam diligências relacionadas ao homicídio doloso. A vítima foi morta no bairro Alto São João, em via pública. O crime acontece com pouco mais de um mês da execução de Sofia.  Não há informações sobre a motivação dos crimes. Também não houve prisão relacionada ao caso. 

Dandara 

 

Quatro dias depois da morte de Sofia, o caso Dandara completou cinco anos. Dandara dos Santos foi morta no dia 15 de fevereiro de 2011. Ela foi espancada, apedrejada e assassinada a tiros. Foi levada em um carrinho de mão e todo o crime foi filmado. A atrocidade que envolveu Dandara se assemelha em alguns pontos com o caso de Sofia, ambas foram mortas com uma violência brutal, duas travestis.

 


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade.

Aceitar