Participamos do

PM mata vizinho de 18 anos em Fortaleza; após negociação, policial se entrega

Diogo, a vítima, era inquilino do policial. Outra pessoa foi baleada na ação, mas sobreviveu. A motivação do crime seria um surto que o PM teve após um problema de som alto
13:55 | Nov. 07, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O subtenente da Polícia Militar, Reginaldo Alves da Silva, matou o vizinho e baleou outra pessoa após uma discussão relacionada a som alto na noite desse sábado, 6. Diogo Lima dos Santos, de 18 anos, chegava em casa quando foi ferido e morreu no local, na rua Antero Quental, bairro Paupina, Fortaleza. 

Após o crime, o PM se trancou em casa, e familiares de Diogo começaram a depredar a residência do agente de segurança. Os moradores ficaram revoltados com a situação e se planejavam para um linchamento. Depois da chegada da Polícia, o subtenente ameaçou se matar caso os militares entrassem na casa. 

A equipe de negociação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) agiu em negociação, por telefone, durante quase duas horas até que Reginaldo se entregasse. O subtenente entregou o colete balístico e a arma. Ele foi preso e encaminhado ao 30º Distrito Policial. Conforme fonte ouvida pelo O POVO, a negociação foi fundamental para que o PM não tirasse a própria vida.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Durante a negociação, ele ligava para a Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), para a esposa e diversas pessoas. Para realização do trabalho, foi necessário o Bope usar um bloqueador de sinal. A partir disso, a negociação teve início e foi mantido o canal de conversa.

O militar é da ativa e atua no 2º Comando de Policiamento Regional, que corresponde à Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Ele já foi detido anteriormente após transgressões dentro da corporação. 

Tragédia no presídio da Pacatuba 

O fim de semana foi marcado por outra tragédia envolvendo outros dois agentes de segurança pública.  Na madrugada do sábado, 6, um policial penal matou outro dentro do presídio da Pacatuba, na RMF. Ele teria problemas psicológicos.  Wendell Gondin Cruz matou Glauber Monteiro Peixoto a tiros. Cruz fugiu em um automóvel e se matou na Praia de Iracema.  Uma equipe de negociação do Bope foi acionada e chegou a abordar o carro, que estava abandonado. 

Conteúdo sempre disponível e acessos ilimitados. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags