Participamos do

Avenidas Benjamin Brasil e Humberto Monte têm velocidade reduzida para 50 km/h

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que a velocidade excessiva contribui para cerca de um terço de todas as mortes que ocorrem no trânsito em países de alta renda e metade delas em países de baixa e média renda
22:26 | Ago. 11, 2021
Autor Leonardo Maia
Foto do autor
Leonardo Maia Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

As avenidas Benjamin Brasil e Humberto Monte, em Fortaleza, terão velocidade máxima readequada para 50 km/h a partir desta quinta-feira, 12. Os motoristas, no entanto, não estarão sujeitos a multas pelos primeiros seis meses, quando educadores da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) farão um trabalho de conscientização.

Os trechos impactados com a medida ficam entre a avenida Godofredo Maciel e a rua Álvares Cabral, no caso da Benjamin Brasil, e entre as avenidas Mister Hull e José Bastos, em relação à Humberto Monte. A antiga sinalização começará a ser apagada nesta quinta-feira e o trabalho para implementação das novas placas será concluído na sexta, 13.

O motivo para a mudança, conforme defende a AMC, acontece devido ao perigo trazido pelo excesso de velocidade para as vidas das pessoas que estão inseridas no trânsito. “As vias devem ser seguras para todos, tanto para quem anda a pé quanto para quem anda de carro. Se existe um fator que está colocando em risco a vida das pessoas, ele deve ser modificado”, explica em nota Juliana Coelho, superintendente da AMC.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Dez pessoas já morreram em decorrência de acidentes de trânsito nas duas vias que passarão pela mudança, de acordo com dados registrados entre 2015 e 2020. No total, foram contabilizados 39 atropelamentos e outros 322 acidentes com feridos nesse mesmo período. Comparativamente, a Humberto Monte registrou um número maior de acidentes — 484 contra 247 na Benjamin Brasil.

Em seu site oficial, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que a velocidade excessiva contribui para cerca de um terço de todas as mortes que ocorrem no trânsito em países de alta renda e metade delas em países de baixa e média renda. Segundo o órgão, cada aumento de 1% na velocidade média produz aumento de 4% no risco de acidente fatal e de 3% no risco de acidente grave.

Até o fim deste ano, Fortaleza deverá passar a contar com velocidade de 50 km/h em todas as avenidas com índice alto de acidentes e que operam atualmente com 60 km/h. As vias que passarão pela mudança, no entanto, ainda estão sendo definidas pela Prefeitura. Além dessa intervenção, a Capital também conta com 16 zonas de trânsito calmo, que focam em trazer uma maior segurança em áreas com alto fluxo de pedestres.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags