PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Fortaleza contratará 1,3 mil agentes escolares e terá aplicativo de monitoramento da Covid

As ações foram anunciadas no âmbito do pacote "Volta às Aulas" pelo prefeito José Sarto (PDT) nesta quarta-feira, 28

Lais Oliveira
12:05 | 28/07/2021
As atividades presenciais estavam paralisadas desde março de 2020, início da pandemia no Estado. (Foto: Barbara Moira)
As atividades presenciais estavam paralisadas desde março de 2020, início da pandemia no Estado. (Foto: Barbara Moira)

Atualizada às 18 horas

Para o retorno presencial das aulas da rede municipal de Fortaleza, serão contratados 1,3 mil agentes escolares que devem atuar na identificação do abandono escolar e no apoio às escolas. Além disso, a Prefeitura anunciou a plataforma Rastreio Covid-19 Fortaleza para monitorar casos suspeitos e positivos na rede municipal de educação.

As ações foram divulgadas no âmbito do pacote "Volta às Aulas" pelo prefeito José Sarto (PDT) nesta quarta-feira, 28. O semestre letivo será retomado na Capital nesta quinta-feira, 29, ainda de forma remota. No dia 8 de setembro, será inaugurado o modelo escalonado com o retorno presencial começando gradualmente. 

Os agentes de busca ativa serão selecionados por meio de edital a ser lançado pela Prefeitura de Fortaleza. A remuneração será de R$ 1.050 e a prioridade é para pessoas residentes na própria comunidade escolar. Os candidatos deverão ter concluído o ensino médio. O investimento será de R$ 16,8 milhões.

Desde março de 2020, as atividades presenciais estavam paralisadas por causa da pandemia de Covid-19. O prefeito Sarto enfatizou que as escolas da Cidade foram adequadas conforme os protocolos sanitários para receber os alunos neste retorno. "As perdas da educação são grandes, mas não são irreparáveis e a gente vai correr atrás", disse. 

A plataforma Rastreio Covid-19 Fortaleza vai monitorar casos suspeitos e positivos de Covid-19 na comunidade escolar. No caso de uma suspeita, será feita notificação, testagem e busca dos contatos. 

O sistema começou a ser testado ainda após a primeira onda epidêmica em Fortaleza, no ano passado. Durante o projeto piloto, o aplicativo foi utilizado no retorno dos servidores da Prefeitura e no monitoramento de escolas privadas. Já foram 26 mil pessoas monitoradas pela plataforma, que agora será ampliada para contemplar o retorno da rede municipal.

Para viabilizar aulas remotas, a Prefeitura entregou de 21,5 mil tablets e outros 242 mil chips com 20gb de acesso à internet. Outros 28,5 mil equipamentos destinados ao uso dos estudantes estão sendo adquiridos. Além disso, serão distribuídos mais de 240 mil kits alimentares em  agosto, setembro, outubro e novembro.

Medidas do pacote "Volta às aulas" em Fortaleza

- 1.300 agentes escolares de busca ativa: terão objetivos de promover integração dos alunos, identificar abandono, apoiar gestão na rotina, participação no cumprimento de protocolos. Devem ser, preferencialmente, residentes na comunidade onde a escola está. Precisam ter concluído o Ensino Médio. A remuneração de R$ 1.050;

- Rastreio Covid-19 Fortaleza: plataforma para monitorar casos suspeitos de Covid-19 na comunidade escolar;

- Aquisição de 28,5 mil tablets: investimento será de 27 milhões. No total, a Prefeitura vai distribuir 50 mil tablets e 242 mil chips de 20 GB para os alunos da rede municipal;

- Mais de 240 mil kits alimentares: começarão a ser entregues nos meses de agosto, setembro, outubro e novembro.

Como será o retorno presencial em Fortaleza

O retorno começará com a educação infantil, seguindo depois para outras séries do ensino fundamental I e II. A meta é de que até o próximo dia 20 de setembro, cerca de 120 mil estudantes da rede estejam em aulas presenciais e a outra metade esteja em atividades domiciliares.


CORREÇÃO: Diferente do que foi informado anteriormente, os kits alimentares serão entregues em agosto, setembro, outubro e novembro.