PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Em quatro dias, Fortaleza registra 14 árvores caídas; saiba como solicitar recolhimento

Essas ocorrências se tornam comuns em dias de chuvas. Urbfor tem WhatsApp exclusivo para recolhimento de árvores caídas em vias e logradouros públicos em Fortaleza.

Marília Freitas
13:01 | 26/03/2021
Os cidadãos podem enviar o nome da via, o número e, se possível, uma imagem da árvore, de forma que as equipes possam identificar o local de recolhimento com maior celeridade. (Foto: Eraldo Sá/Especial para O POVO)
Os cidadãos podem enviar o nome da via, o número e, se possível, uma imagem da árvore, de forma que as equipes possam identificar o local de recolhimento com maior celeridade. (Foto: Eraldo Sá/Especial para O POVO)

Entre os dias 22 e 25 de março, a Autarquia de Urbanismo e Paisagismo de Fortaleza (UrbFor) recolheu 14 árvores em Fortaleza. Pasta segue atendendo demandas urgentes em período de lockdown via WhatsApp, das 8h às 17 horas.

Essas ocorrências se tornam comuns em dias de chuvas. Fortaleza segue na quadra chuvosa, período de mais precipitações no Estado, até meados de maio. Pelo menos 15 árvores caíram em Fortaleza em 2020.

Fortaleza teve precipitações quase ininterruptas desde a madrugada desta sexta-feira, 26. A Capital, inclusive, teve nesta sexta-feira o dia com mais precipitações de 2021. Até então, a maior chuva do ano em Fortaleza medida pela Funceme havia sido de 85 milímetros, entre 7 e 8 de março.

LEIA TAMBÉM | Balanço parcial da Funceme mostra chuva em todas as macrorregiões do Ceará

Fortaleza tem alagamentos nesta sexta-feira de chuva

Para solicitar demandas a UrbFor, os cidadãos podem enviar o nome da via, o número e, se possível, uma imagem da árvore, de forma que as equipes possam identificar o local de recolhimento com maior celeridade. O WhatsApp exclusivo para o recolhimento de árvores caídas em vias e logradouros públicos da Cidade funciona de segunda a sexta, das 8h às 17h, através do número (85) 98682.2269. Nos fins de semana, feriados e no período noturno, a população pode acionar o Corpo de Bombeiros (193).