Participamos do

13 profissionais de segurança foram assassinados no Ceará desde o ano passado

O dado foi repassado durante coletiva sobre a prisão de suspeitos de morte do cabo da PM. Duas motocicletas e uma arma de fogo foram apreendidas com suspeitos do latrocínio. O roubo seguido de morte ocorreu na tarde desta quarta-feira, 3
08:25 | Fev. 04, 2021
Autor Angélica Feitosa
Foto do autor
Angélica Feitosa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Atualizada às 19 horas

Um total de 12 agentes de segurança, entre policiais penais, civis, militares e agentes do corpo de bombeiros, foram assassinados em 2020 no Ceará. A média é de um por mês. Os dados foram repassados pelo titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), Sandro Caron, durante coletiva de imprensa realizada no fim da manhã desta quinta-feira, 4, no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar, no bairro Alto da Balança, para informar sobre a prisão dos suspeitos de latrocínio (roubo seguido de morte) do cabo da Polícia Militar Carlos Eduardo Pinheiro Gurgel, 42, ocorrido na tarde desta quarta-feira, 3, no Centro da Capital. Foi o 13º homicídio de profissional de segurança desde o ano passado. Com os suspeito, foram apreendidos duas motocicletas, a arma de fogo, apontada como instrumento do crime, e quatro celulares roubados de um estabelecimento no Centro de Fortaleza.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O secretário informou que em todos os casos, os suspeitos foram presos, a maioria em flagrante. 

Os suspeitos da morte do Cabo Gurgel foram encontrados no bairro Presidente Kennedy e levados ao 11ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro de Fátima. O primeiro localizado foi Gabriel Barbosa Pinheiro, 33, sem registro criminal anterior, que confessou a participação no crime e apontou onde estava a moto usada na ação criminosa, veículo em que ele estava.

Em um local próximo, os PMs encontraram Jonathan Andrade dos Santos, 22, conhecido como “Negueba”, com passagens por receptação, crime ambiental (pichação), furto qualificado e desacato. Jonathan é apontado como autor dos disparos e foi flagrado com um dos celulares levados no roubo. Durante as buscas, os policiais militares apreenderam o revólver calibre 38 confirmado por “Negueba” como a arma utilizada no crime. A arma de fogo estava escondida no telhado de uma residência dentro da Comunidade 2000, na mesma região onde as prisões aconteceram.

O outro suspeito que conduzia a segunda moto, identificado por Francisco Daniel Gomes da Silva, 23, com antecedente criminal por roubo, também foi capturado no mesmo lugar. O quarto envolvido, Deucleciano Alves Mendes, 27, com passagens por receptação, porte ilegal de arma de fogo e desacato,  também foi preso. Ele era o condutor da moto que dava apoio ao crime e levava Gabriel na garupa. O segundo veículo também foi achado com sinais de adulteração, com uma fita adesiva preta colocada na placa.

Além dos suspeitos, foram presos também uma mulher e um homem, ambos autuados por receptação. O homem deve responder também por tráfico de drogas, por portar pó branco utilizado para o desdobramento da cocaína.

O Caso 

Segundo a Polícia, a morte do cabo aconteceu a partir de uma ação dos criminosos na rua Senador Pompeu, quando os suspeitos anunciaram o roubo a uma loja de departamento e levaram os aparelhos celulares. Em alta velocidade e trafegando no sentido contrário da rua, os suspeitos se depararam com os PMs.  O passageiro da moto, então atirou contra o cabo.

O PM chegou a ser socorrido com vida por populares, levado numa picape, mas não resistiu.  O policial militar ingressou na corporação em 26 de junho de 2009 e atualmente era lotado na 1ª Companhia do 5º Batalhão.

Imagens de câmera de segurança flagraram o momento do crime:

Pesar

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) lamentou profundamente a morte do cabo da PM. No texto divulgado nas redes sociais, o comando da corporação se solidarizou com os familiares e amigos da vítima. O policial militar ingressou na corporação em 26 de junho de 2009 e estava lotado na 1ª Companhia do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM). "Durante o tempo em que atuou na Polícia Militar do Ceará, o profissional de segurança pública dedicou o seu trabalho em prol da segurança do povo cearense",  acrescentou a nota da PM.

No fim de janeiro deste ano, dia 29, um policial militar do Cotam foi morto a tiros em Cascavel.

Outro vídeo mostra pessoas que estavam no local tentando socorrer o policial:

Em abril de 2020, O POVO divulgou que agentes de segurança falecidos não tinham causas da morte divulgadas pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Em março do ano passado, em 24 horas, dois agentes de segurança foram mortos e outros dois baleados na Capital e Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), nos últimos dias de paralisação dos policiais militares no Ceará. 

Em julho, o latrocínio do policial penal João Simão de Oliveira, 51 , deixou o sistema penitenciário de luto

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags