PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Agentes de segurança morrem no Ceará e causas não são divulgadas pela SSPDS

Dados sobre mortes de agentes de segurança e suspeitas de Covid-19 não são divulgados pela SSPDS. SAP divulgou número de 67 agentes que testaram positivo para coronavírus e atua na prevenção

Jéssika Sisnando
20:05 | 29/04/2020

Notas de falecimento são vistas nas páginas da Polícia Militar do Ceará (PMCE), Polícia Civil e Perícia Forense do Estado. Nelas, porém, as causas da morte não são esclarecidas.

O silêncio sobre os casos é diário. O POVO solicitou à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado (SSPDS) informações sobre o número de agentes de segurança mortos vítima de coronavírus, mas não obteve resposta. Apenas foram relatadas medidas de segurança para prevenção de infecção.

Diante da morte de policiais militares, O POVO enviou os respectivos nomes para a SSPDS, questionando o que ocasionou os óbitos. Foi informado que a causa da morte não seria divulgada, pois seria informação de foro íntimo, sendo restrita a familiares. Também não foram divulgados números de profissionais afastados por suspeita do Covid-19.  

O único militar com morte por coronavírus foi o tenente-coronel Océlio Alves, que estava no comando de Sobral. Ele foi o primeiro PM do Ceará a falecer em virtude do Covid-19.

Enquanto há o silêncio da SSPDS sobre os dados de agentes de segurança e divulgação de notas de pesar, a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) divulgou que são 67 agentes penitenciários que testaram positivo para coronavírus.

Conforme a SAP divulgou em nota, a medida tem sido testar os casos suspeitos para tratar com antecedência. Os familiares do agentes penitenciários também passam por testes.

Um detento da CPPL 2 morreu na Unidade de Pronto Atendimento (Upa) de Horizonte na segunda-feira, 28. A ala foi isolada. Nesta quarta-feira, 29, todos os exames dos detentos que encarcerados no local testaram negativo para o Covid-19.

Nota da SSPDS

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS/CE) informa que não há comprometimento na realização dos trabalhos de servidores do Sistema de Segurança do Estado em consequência da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A SSPDS elaborou um plano para preservar a integridade física de seus agentes da segurança pública e a manutenção dos serviços essenciais em todo o Estado do Ceará. A pasta vem viabilizando a aquisição de mais Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para todos os profissionais da segurança pública que precisam desempenhar suas atividades durante o cumprimento de isolamento social, previsto em decreto estadual de situação de emergência em saúde no Ceará.

O plano também estabelece que atividades administrativas em todas as vinculadas sejam realizadas remotamente, sem a necessidade de o servidor se deslocar aos locais de trabalho, comparecendo às unidades apenas se houver necessidade. Os profissionais foram orientados a reforçar a higienização pessoal e de equipamentos, viaturas, laboratórios, corredores, corrimãos, maçanetas, cadeiras e outros locais com fluxo de pessoas.

O atendimento presencial nas delegacias de Polícia Civil foi reduzido e redirecionado para a Delegacia Eletrônica (Deletron), cujas ocorrências de determinados fatos são feitas exclusivamente de forma on-line, visando à diminuição de pessoas nas delegacias em busca de atendimento. Há ainda o redimensionamento no efetivo das delegacias para mantê-las funcionando nos serviços essenciais sem concentração de muitos servidores ao mesmo tempo nos espaços físicos das delegacias e departamentos.

A SSPDS ressalta que as medidas adotadas pela pasta prezam pela saúde de seus profissionais, em prol do enfrentamento e contenção da infecção provocada pelo novo coronavírus (Covid-19) no Ceará.