PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Pedestre é o público mais vulnerável em acidentes de trânsito; saiba como se prevenir

Em Fortaleza, 14.525 acidentes de trânsito foram registrados em 2019, onde 13.883 pessoas ficaram feridas e 198 morreram

Mirla Nobre
21:34 | 22/01/2021
Prefeitura de Fortaleza lança campanha educativa sobre excesso de velocidade e desrespeito às faixas de pedestres (Foto: Alex Gomes/ Especial para O POVO)
Prefeitura de Fortaleza lança campanha educativa sobre excesso de velocidade e desrespeito às faixas de pedestres (Foto: Alex Gomes/ Especial para O POVO)

Caminhar pelas ruas pode ser a forma mais segura de se deslocar na cidade. No entanto, o público mais vulnerável em sofrer acidentes de trânsito são os pedestres, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Nessa quinta-feira, 21, um atropelamento no cruzamento da avenida Dom Luís com a rua Coronel Jucá, em Fortaleza, levou à morte da médica cardiologista Lúcia Belém, de 61 anos. A profissional tentou atravessar a via na faixa de pedestre quando um veículo Range Rover Evoque fez uma conversão à esquerda e atingiu a profissional da saúde, que morreu no local.

O caso levanta mais uma vez o debate da segurança viária na Capital. O percurso de uma rua para outra pelo pedestre pode parecer simples e seguro se for seguido conforme as intervenções de trânsito instaladas pelos órgãos oficiais, assim como às adoções das obrigações desse público mais vulnerável. Porém, a segurança do pedestre fica para além da responsabilidade dele quando o assunto é segurança viária, o motorista também tem papel fundamental nessa comunicação no trânsito.

De acordo com o gerente de Operação e Fiscalização da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), André Luís Barcelos, existem fatores de risco nas vias que ocasionam os acidentes. “Velocidade, via não sinalizada, comportamento humano, entre outros. Todo acidente que é registrado, principalmente os acidentes que têm algum tipo de severidade maior como morte, são estudados e são observados os fatores de risco que podem ocasionar a ação”, informa.

“A gente observa muito as pessoas nas vias andando distraídas com o uso dos smartphones, isso também acontece nos condutores de veículos. Nós já tivemos vários acidentes com relatos da questão da distração dos smartphones. Outros fatores são os pedestres não estarem no local apropriado para travessia ou o veículo está em uma velocidade que não é permitida, incompatível para aquela manobra”, ressalta André sobre os motivos dos acidentes no trânsito.

Ainda conforme o gerente de Operação e Fiscalização da AMC, um estudo é feito em todas as áreas onde acontece um acidente de trânsito. O estudo é feito por meio de um comitê do órgão durante reunião quinzenal. “O nosso levantamento está mais relacionado à questão das condições da via, do meio, e dos veículos. É discutido readequação de velocidade, sinalização, implementação de medidas nas vias e histórico de acidentes”.

Em Fortaleza, 14.525 acidentes de trânsito foram registrados em 2019, onde 13.883 pessoas ficaram feridas e 198 morreram. Os pedestres representam 40,4% do número total de mortes no trânsito na Capital, segundo os dados do Relatório Anual de Segurança Viária de 2019.

Leia Também | "Estamos devastados": médica Lúcia Belém é homenageada e será sepultada na terra de sua família

Como se prevenir em acidentes no trânsito

Atravessar na faixa de pedestres, olhar para os dois lados antes de atravessar uma via; aguardar a passagem do veículo ou que ele pare; olhar atentamente para os lados ao descer de um carro ou ônibus e esperar sempre que o veículo saia para então atravessar a via são uma das obrigações e direitos do pedestre, segundo o CTB.

Entre as medidas implantadas para segurança do pedestre na Capital, a AMC destaca as travessias elevadas, que são estruturas prioritárias para esse público; alargamento de calçadas, denominada de "calçada verde", que diminui a exposição do pedestre; melhoria na visibilidade dos semáforos, como a iluminação durante à noite e a readequação da diminuição da velocidade em vias movimentadas.

Em relação às orientações para os condutores de veículos, André ressalta que esse público precisa sempre ter uma atenção especial. “O pedestre sempre vai ser a prioridade. Então, os condutores precisam reduzir a velocidade em áreas que têm um grande fluxo de pessoas para não ocasionar infrações, dar sempre prioridade na faixa de pedestre e o respeito a esse público”.

Outro fator discutido, foi o grau de perigo nos cruzamentos semaforizados. Segundo André, os locais onde há um semáforo sempre será mais seguro do que os que não possuem a sinalização. “O semáforo é um meio onde é possível realizar a contagem, ou seja, ele faz uma disciplina para saber o momento seguro para fazer uma travessia”.

O gerente de operação também alerta para o retorno da circulação mais intensa dos veículos e dos pedestres nas ruas, que está associado ao retorno das atividades econômicas durante a pandemia da Covid-19, que também pode ser um fator que ocasiona os acidentes no trânsito.

Leia Também | Avenida Leste Oeste recebe novo trecho de ciclovia a partir de segunda, 25

Plataforma Vida

Qualquer cidadão pode obter informações sobre os acidentes ocorridos em Fortaleza por meio da Plataforma Vida, ferramenta digital que disponibiliza dados de trânsito pelo site www.centralamc.com.br.

A iniciativa é desenvolvida pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) de Fortaleza com o objetivo de promover a melhor compreensão da problemática de mortes e feridos no trânsito, além de aumentar a eficiência na coleta e análise de dados relativos à segurança viária e ao monitoramento de intervenções de engenharia e fiscalização.