PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

"Estamos devastados": médica Lúcia Belém é homenageada por amigos e familiares

Lúcia de Sousa Belém, 61, morreu na tarde da última quinta-feira, 21, ao sofrer atropelamento ao cruzar a esquina da avenida Dom Luís com a rua Coronel Jucá, em Fortaleza.

Marília Freitas
12:05 | 22/01/2021
 Cardiologista Lúcia Belém recebeu homenagens de amigos e familiares (Foto: WhatsApp/Acervo Pessoal)
 Cardiologista Lúcia Belém recebeu homenagens de amigos e familiares (Foto: WhatsApp/Acervo Pessoal)

O enterro de Lúcia Belém, 61 anos, será neste sábado, 23, na cidade de Missão Velha, a cerca de 500 km de Fortaleza. A cardiologista será sepultada na cidade natal de sua família. As homenagens à profissional prosseguem pelo dia de hoje, 22, com amigos e familiares através de missas.

A médica foi atropelada na quinta-feira, 21, ao tentar cruzar a esquina da avenida Dom Luís com a rua Coronel Jucá, no bairro Meireles, em Fortaleza. O velório de Lúcia ocorreu na manhã desta sexta, 22, com a presença de diversos profissionais do dia a dia de Lúcia.

Há cerca de 30 anos, o médico Weiber Xavier a conheceu como colega de turma na faculdade. Juntos, nutriam uma amizade muito forte. "Ainda estamos ainda muito abalados. Era uma amiga muito querida e ainda estamos muito surpresos com a tragédia", contou ao O POVO. "Estamos devastados com essa maneira trágica e absurda que foi a partida dela".

O colunista Marcus Lage também lamentou a morte da médica. "Ela deixou uma marca muito bonita de uma pessoa muito humana, simples e acessível. Com certeza sera uma lacuna para a medicina e para os amigos, porque era uma pessoa que tinha uma teia fraterna muito grande", compadece.

Clique na imagem para abrir a galeria

Lúcia de Sousa Belém formou-se em medicina pela Universidade Federal do Ceará (UFC) em 1989 e realizou a residência de clínica médica no hospital Geral Dr. Cesar Cals entre os anos de 1990 a 1992; e em cardiologia pelo Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes entre os anos de 1992 a 1995.

Em 2020, a cardiologista foi homenageada com seu nome da Unidade Clínica Coronariana do HM. Atualmente, era coordenadora do serviço de telecardiologia da unidade e também trabalhava na UTI do Instituto Dr José Frota e no Hospital Regional da Unimed.

Diante da tragédia, a médica foi homenageada por instituições como a Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (Sesa); pelo Sindicato dos Médicos do Ceará; pela Associação Brasileira de Medicina de Emergência Ceará (Abramed-CE); e pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), do qual Lúcia fazia parte.

A SBC dispôs seus sentimentos através de Gentil Barreira de Aguiar Filho, presidente da instituição no Ceará nesta sexta-feira, 22. "Ao longo de sua brilhante trajetória profissional Dra. Lúcia sempre foi reconhecida pelo amor e dedicação com que cuidava de seus pacientes. Sua competência e dinamismo na cardiologia eram referência para jovens estudantes e residentes que a tinham como inspiração. Nossos mais profundos e sinceros sentimentos à família, amigos e colegas!", disse.

O caso

A médica cardiologista Lúcia de Sousa Belém, de 61 anos, morreu na tarde da última quinta-feira, 21. Ela foi atropelada ao tentar cruzar a esquina da avenida Dom Luís com a rua Coronel Jucá, no bairro Meireles, em Fortaleza.

A profissional tentou atravessar a via na faixa de pedestre quando uma condutora em um veículo Range Rover Evoque fez uma conversão à esquerda e atingiu a médica, que morreu no local. A motorista permaneceu no local para prestar esclarecimentos à Polícia. A condutora não apresentou sinais de consumo de álcool e foi liberada após prestar depoimento. A sequência das investigações, que aguarda perícia do local e outros elementos, será conduzida pelo 2º Distrito Policial a partir desta sexta-feira, 22.