PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL Abinam

De onde vem a água que você bebe?

Ceará está entre os oito estados do Brasil com maior produção de água mineral natural. São 19 empresas regularizadas junto à vigilância sanitária

28/01/2019 08:00:00
NULL
NULL

[FOTO1]

Água mineral natural é um bem único. Isso porque as condições de ciclo de cada fonte não se repetem. “Quando você abre uma garrafinha de água mineral, é como se estivesse abrindo garrafa de uma safra de vinho”, define Carlos Alberto Lancia, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais (Abinam).


No cenário nacional da produção deste item fundamental para a qualidade de vida, o Ceará responde por 4,3%, figurando entre os oito estados que mais contribuíram para o volume produzido em 2016, segundo os dados mais recentes da entidade. Isso representa 726.915.000 de litros de água mineral natural, um produto captado diretamente da fonte que é entregue ao consumidor sem sofrer intervenções químicas, mas submetido a uma série de testes de controle de qualidade.

Além do monitoramento das características físico-químicas e microbiológicas, a água mineral natural tem padrões regulamentados de proteção ambiental e produtividade das fontes, para evitar qualquer risco de uma mina se exaurir. “Em relação a controle de qualidade e fiscalização, pela legislação, a água mineral tem parâmetros muito mais exigentes a cumprir que a água adicionada de sais”, aponta Evânia Figueiredo, professora do Departamento de Engenharia de Alimentos da Universidade Federal do Ceará (UFC).

[SAIBAMAIS]

Na atualização de 19 de novembro pela Vigilância Sanitária Estadual, 19 empresas de água mineral natural estão regularizadas, com alvará atualizado. A Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) ressalta, em nota, que “cabe aos municípios o processo de fiscalização junto às distribuidoras e comércio varejista. A fiscalização das indústrias é de responsabilidade da vigilância sanitária estadual”.

 

Conforme dados do Estudo Diagnóstico das Águas Minerais e Potáveis de Mesa do Brasil, publicado em 2015 pela hoje Agência Nacional de Mineração (ANM), o Ceará tem 24 concessões de lavra de água mineral, distribuídas em três polos distintos.

Um “no quadrante norte-nordeste e proximidades da costa atlântica”, que inclui a Região Metropolitana de Fortaleza; outro “no quadrante norte-noroeste, Serra de Ubajara”; e o terceiro, “no extremo sul-sudeste, Chapada do Araripe”. Ainda segundo o levantamento, 92% das águas minerais captadas no Ceará são dos tipos fluoretadas e suas combinações.

Mundo Afora

A produção de água mineral natural existe em todas as grandes regiões geográficas do mundo, cada uma com suas propriedades e características específicas. A consultoria internacional Beverage Marketing Corporation, citada no Sumário Água Mineral 2014, também da ANM, indicou que o consumo global de água engarrafada em 2013 foi de 266 bilhões de litros.

Nessa progressão de consumo, China, Estados Unidos e México aparecem como os maiores mercados de consumo, com crescimento expressivo também da Índia, Indonésia e Tailândia. O Brasil, desde que registrou 90 litros per capita por ano consumidos em 2012, continua crescendo no ranking de consumo da água engarrafada. Desde cálculo, mais de 60% corresponde à aquisição de água mineral natural.

O predomínio total é de águas minerais, sendo que 92% são dos tipos fluoretadas e suas combinações (fluoretada hipotermal; fluoretada - litinada e hipotermal; fluoretada - litinada - fracamente radioativa e hipotermal; fluoretada – fracamente radioativa e hipotermal; fluoretada e fracamente radioativa; fluoretada e litinada).

O restante é de sulfatadas %2b combinações (fluoretada-litinada-hipotermal; fluoretada-radioativa-hipotermal; litinada-fluoretada-vanádicahipotermal) e alcalino bicarbonatada – fluoretada – litinada e hipotermal.

Fonte: Estudo Diagnóstico das Águas Minerais e Potáveis de Mesa do Brasil 2015

ÁGUA MINERAL NO CEARÁ

Empresas de água mineral natural regularizadas junto à Vigilância Sanitária Acácia (Ipu), Cristalina dos Alpes (Juazeiro do Norte), Serra Grande (São Benedito), Castelo (Barbalha), Brisa da Serra (Ipu), Cambará (Crato), Conterrânea (Aquiraz), Florágua (São Gonçalo do Amarante), Indaiá (Horizonte), Litorágua (Aquiraz), Mais Sabor (Aquiraz), Límpida (Aquiraz), Naturágua (Fortaleza), Neblina (Guaramiranga), Olympia (Pacoti), Orvalho da Serra (Guaraciaba do Norte), Pacoty (Pacoti), São Geraldo (Juazeiro do Norte), Serrabella (Crato).

Fonte: Relação das Águas com Alvará Sanitário Regularizado, 19/11/2018

TAGS